Meteorologia

  • 17 ABRIL 2024
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 28º

UE diz que morte de opositor na prisão mostra a repressão na Bielorrússia

A União Europeia (UE) afirmou hoje que a morte do jornalista e preso político bielorrusso Igar Lednik na prisão é um exemplo da "dimensão desumana" do regime do Presidente da Bielorrússia, Alexandr Lukashenko.

UE diz que morte de opositor na prisão mostra a repressão na Bielorrússia
Notícias ao Minuto

10:58 - 21/02/24 por Lusa

Mundo Bielorrússia

"A trágica morte de Igar Lednik na prisão demonstra a dimensão desumana da opressão de Lukashenko", declarou Peter Stano, porta-voz do alto representante da UE para a Política Externa e de Segurança, Josep Borrell, na rede social X.

O porta-voz europeu lembrou que existem mais de 1.400 presos políticos na Bielorrússia que são "maltratados ou privados de cuidados médicos".

"O regime é responsável pelas suas vidas e saúde e terá de ser responsabilizado", concluiu.

Na segunda-feira, os ministros dos Negócios Estrangeiros da UE reafirmaram, nas suas conclusões, o seu "apoio inabalável" à luta do povo bielorrusso por um país livre, democrático, soberano e independente, como parte de uma Europa pacífica e próspera.

"Igar Lednik, antigo membro do Partido Social-democrata bielorrusso (Gramada), militante e jornalista, morreu na prisão aos 64 anos", anunciou, na terça-feira, a formação política numa mensagem na rede social Telegram, confirmada pela organização de defesa dos direitos humanos Viasna.

Depois de ser preso em dezembro de 2022, Lednik foi condenado a três anos de prisão por difamação de Aleksandr Lukashenko num artigo publicado num jornal do Gramada.

O estado de saúde do opositor "deteriorou-se consideravelmente" na prisão, acrescentou o partido, mantido por militantes bielorrussos exilados.

Lednik foi operado a um problema gastrointestinal e também sofria do coração, mas o partido não esclareceu qual a causa da sua morte.

A repressão política na Bielorrússia agravou-se depois das presidenciais de 2020, vencidas por Lukashenko apesar de denúncias de fraude eleitoral.

O Presidente da Bielorrússia está no poder desde 1994 e é um aliado fiel do líder russo, Vladimir Putin.

O resultado de 2020 suscitou uma onda inédita de manifestações de grande dimensão que foram reprimidas à força e levaram a condenações de militantes políticos, jornalistas e ativistas pelos direitos humanos.

Segundo a Viasna, há 1.400 pessoas presas na Bielorrússia por motivos políticos.

Igar Lednik é o quinto preso político a morrer no país desde 2021, acrescentou a organização.

Leia Também: Opositor político bielorrusso morreu na prisão. Saúde "deteriorou-se"

Recomendados para si

;
Campo obrigatório