Meteorologia

  • 15 AGOSTO 2022
Tempo
19º
MIN 18º MÁX 27º

Ucrânia soma 226 ataques a instalações de saúde desde o início da guerra

A Organização Mundial da Saúde registou 226 ataques contra instalações de saúde na Ucrânia desde o início da guerra, que causaram pelo menos 75 mortos e 59 feridos, anunciou hoje o diretor regional da OMS para a Europa.

Ucrânia soma 226 ataques a instalações de saúde desde o início da guerra
Notícias ao Minuto

22:16 - 17/05/22 por Lusa

Mundo Ucrânia

"São quase três ataques, em média, por dia", afirmou Hans Kluge numa conferência de imprensa em Kyiv, salientando que dois terços das agressões a profissionais do setor da saúde registadas globalmente em 2022 ocorreram na Ucrânia.

Neste momento, a OMS pode confirmar que estes ataques causaram pelo menos 75 mortos e 59 feridos, refere o gabinete da região europeia da OMS, que também abrange a Rússia e várias antigas repúblicas soviéticas, sem avançar mais detalhes sobre as vítimas por razões de segurança.

Kluge, que visitou na segunda-feira instalações de saúde afetadas por conflitos na região de Chernigov, no norte da Ucrânia, aproveitou a ocasião para expressar o seu "imenso apreço e admiração" pelos profissionais de saúde ucranianos.

"Eles têm demonstrado uma tremenda coragem e dedicação desde o início da guerra. Fazem o impossível, mantêm-se firmes e salvam vidas", disse o responsável, citado pela agência de nostícias espanhola Efe.

O diretor regional anunciou que esta semana se reunirá com representantes do Governo ucraniano para obter mais informações sobre os desafios que o país enfrenta, entre os quais apontou o acesso a medicamentos por parte de doentes crónicos.

Destacou também a necessidade de fortalecer os serviços de saúde mental, uma vez que uma em cada cinco pessoas em zonas de conflito desenvolvem problemas "graves" nesta área, e para apoiar sobreviventes de violência e abuso sexual.

Hans Kluge lançou ainda o repto de colocar a saúde "no centro dos esforços de reconstrução e recuperação", dando como exemplo o problema do fornecimento de eletricidade em hospitais e centros de saúde.

Explicou que a OMS trabalha para fornecer geradores, mas que a longo prazo o objetivo é avançar para a utilização de energias renováveis para garantir a sustentabilidade do sistema de saúde.

Por seu lado, o representante da OMS na Ucrânia, Jarno Habicht, explicou que as infraestruturas de saúde danificadas pela guerra, entre as quais hospitais, centros de cuidados de saúde primários e ambulâncias, prestavam serviço todos os meses a um quarto de milhão de civis.

"Este é o impacto destes ataques e são ataques que continuam. É inaceitável e não há nenhuma razão para isso", vincou Jarno Habicht.

Até agora, a OMS forneceu à Ucrânia mais de 500 toneladas cúbicas de material médico, incluindo medicamentos, equipamentos para o tratamento de doentes, ambulâncias e geradores elétricos, adiantou.

Leia Também: Zelensky questiona Festival de Cannes: "O cinema vai calar-se?"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório