Meteorologia

  • 02 MARçO 2024
Tempo
13º
MIN 10º MÁX 14º

AO MINUTO: Rússia quer "libertar ucranianos"; Explosões em Kiev

Acompanhe aqui AO MINUTO os mais recentes desenvolvimentos sobre o conflito na Ucrânia.

AO MINUTO: Rússia quer "libertar ucranianos"; Explosões em Kiev
Notícias ao Minuto

07:48 - 25/02/22 por Notícias ao Minuto

Mundo Rússia/Ucrânia

O Exército da Rússia invadiu a Ucrânia durante a madrugada de quinta-feira e ameaçou com "consequências que nunca viram" os países que tentarem intervir no conflito. 

Durante o dia, o presidente russo, Vladimir Putin, justificou a "operação militar especial" com a necessidade de "desmilitarizar e desnazificar" a Ucrânia

O primeiro dia da guerra na Ucrânia ficou marcado pela morte de 137 ucranianos, segundo o último balanço do presidente Volodymyr Zelensky. Há ainda 316 feridos.

Apesar das sanções de vários países do mundo à Rússia, as forças russas aproximam-se da capital Kiev e durante esta madrugada foram ouvidas várias explosões na região, causadas por disparos de defesa antiaérea para repelir um ataque de mísseis russos.

Acompanhe aqui AO MINUTO os mais recentes desenvolvimentos sobre o conflito na Ucrânia:

12h00 - Boa tarde! Terminamos aqui mais um acompanhamento AO MINUTO do conflito na Ucrânia. Pode acompanhar o novo aqui.

11h45 Presidente ucraniano disponível para dialogar com Putin

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, mostrou-se disponível para dialogar e negociar com o presidente russo, Vladimir Putin.

“Gostaria de me dirigir ao presidente da Rússia mais uma vez. O conflito está a decorrer em toda a Ucrânia. Vamo-nos sentar numa mesa de negociação. Para parar com as mortes”, afirmou Zelensky, de acordo com o jornal Novaya Gazeta.

Segundo um porta-voz de Zelensky, citado pela Sky News, a Ucrânia está aberta a discutir o seu estatuto neutro com a Rússia.

11h38 - 18 mil armas entregues a ucranianos em Kiev

O Ministério da Defesa da Ucrânia revelou que 18 mil armas e as correspondentes munições foram distribuídas aos cidadãos em Kiev.

11h36 - Duas crianças mortas após Rússia bombardear 33 "alvos civis"

Duas crianças morreram na sequência de bombardeamentos russos, nas últimas 24 horas, em 33 locais civis na Ucrânia, avança um responsável do Ministério do Interior ucraniano à agência de notícias independente russa Interfax, citada pela Reuters.

11h36 - Forças armadas alemãs questionam preparação face a eventual conflito
 
Várias figuras ligadas às forças armadas da Alemanha questionaram a preparação do Exército federal (Bundeswehr) perante um eventual conflito, depois da incursão militar russa na Ucrânia, que começou esta semana.

11h27 - Zelensky está escondido e diz que Ucrânia ficou “sem tempo”

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, encontra-se já escondido devido à invasão russa a Kiev e afirmou que a Ucrânia ficou sem “tempo”, segundo revelou o primeiro-ministro italiano, Mario Draghi, citado pelo jornalista correspondente Tancredi Palmeri.

"O presidente Zelensky disse-nos que está escondido algures e que a Ucrânia ficou sem tempo. Ele devia atender uma chamada telefónica pelas 9h30, mas não conseguiu", lê-se.

11h22 - Hungria anuncia que vai receber e proteger refugiados da invasão russa
 
A Hungria anunciou hoje que vai receber e proteger todos os cidadãos ucranianos que estejam a fugir da invasão russa e também os cidadãos de países terceiros que se encontrem legalmente naquele país.

11h20 - Nações Unidas relatam pelo menos 25 civis mortos e 102 feridos na Ucrânia

Desde o início da invasão russa à Ucrânia, que começou na quinta-feira, as Nações Unidas receberam já relatos de, pelo menos, 25 civis mortos no seguimento dos bombardeamentos e dos ataques aéreos ao país. Segundo a Sky News, os números da mesma entidade dão conta de 102 civis feridos na sequência da invasão.

11h19 - Câmara do Porto ilumina fachada com azul e amarelo em solidariedade
 
O edifício da Câmara do Porto vai estar hoje à noite e no fim de semana iluminado de azul e amarelo, as cores da bandeira da Ucrânia, num ato simbólico que pretende mostrar solidariedade com o povo ucraniano.

11h18 - UEFA 'transfere' jogos de russos e ucranianos para terrenos neutros
 
Os jogos das competições europeias a serem disputados na Ucrânia ou na Rússia vão passar para terreno neutro, anunciou hoje a UEFA, na sequência da ofensiva militar da Rússia na Ucrânia.

11h15 - Ucrânia terá destruído 20 tanques russos em Chernihiv

O Exército russo terá destruído 20 tanques na cidade de Chernihiv, avança a agência de notícias Reuters.

Chernihiv localiza-se no norte da Ucrânia, entre a Bielorrússia e a capital ucraniana Kiev. 

11h09 - Continuam relatos de explosões em Kiev

11h03 - UEFA? Kremlin não comenta

10h55 - Kremlin não revela quanto tempo durará a invasão

O porta-voz do Kremlin Dmitry Peskov fez esta sexta-feira algumas declarações à Reuters onde recusou adiantar a duração planeada para a operação militar na Ucrânia, reconhecendo, porém, a disponibilidade do presidente ucraniano para discutir. O porta-voz disse, ainda, que as suas expetativas em relação à Ucrânia permanecem as mesmas - algo hoje reforçado pelo MNE russo Sergey Lavrov - e que a Rússia não muda de ideias.

O representante disse, também, de acordo com a agência, que Vladimir Putin vai hoje reunir com o seu conselho de segurança e que vai fazer várias chamadas internacionais. Sobre as mortes de civis, terá dito que isso é uma questão para o exército. Quanto às sanções, admite que causarão problemas, mas é possível contornar.

10h51 - Cinco formas de ajudar o povo da Ucrânia (mesmo à distância)

Têm as vidas em suspendo e, no seu próprio país, estão refugiados. Em estações de metro, como acontece em Kharkiv e Kiev, ou em abrigos, um pouco por todo o país. A guerra começou na Ucrânia e Portugal já se mostrou disponível para ajudar, sendo que António Costa disse até já estar a identificar oportunidades de trabalho para refugiados.

10h49 - Reunião do Conselho de Ministros do Interior da UE no fim de semana
 
Uma reunião extraordinária do Conselho de Ministros do Interior da União Europeia (UE) será realizada este fim de semana para "discutir respostas concretas à situação na Ucrânia", anunciou hoje o ministro do Interior francês, Gérald Darmanin.

10h48 - Rússia diz ter preparado pacote retaliatório de sanções para o Ocidente
 
Após o Ocidente ter anunciado a aplicação de um pacote alargado de sanções à Rússia após a invasão feita pelo país à Ucrânia, Moscovo diz ter já preparado um pacote retaliatório de sanções destinado às nações ocidentais.

10h48 - Embaixadores já reunidos para aprovar sanções da UE ao regime russo
 
Os embaixadores dos Estados-membros junto da União Europeia (UE) estão já reunidos para aprovar o pacote de sanções acordado pelos líderes europeus hoje de madrugada, que visa os setores financeiro, energético, transportes, exportações e política de vistos.

10h46 - Sanções da UE visam Conselho de Segurança da Rússia e corte a depósitos
 
As novas sanções da União Europeia (UE) à Rússia após a invasão da Ucrânia abrangem membros do Conselho de Segurança Nacional russo e corte a depósitos acima de 100 mil euros em bancos europeus, visando a elite russa.

10h42 - Invasão russa foi motivada por incumprimento de acordos, diz Lavrov

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia justificou a invasão russa à Ucrânia com o incumprimento dos acordos relacionados com as regiões separatistas de Donetsk e Lugansk, que tinham “um estatuto especial”, e acusou a NATO de tentar “impor uma cultura neonazi” .

“As bases dos acordos foram destruídas, tentamos muitas vezes chamar à atenção de Kiev”, frisou. “Julgavam que íamos aceitar eternamente que reprimissem os russos.”

10h28 - Objetivo da Rússia é "libertar os ucranianos da opressão"

O ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Sergei Lavrov, afirmou hoje que a Rússia não reconhece o governo da Ucrânia como democrático e que o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, “mente” quando diz querer discutir a neutralidade do país. 

Em conferência de imprensa, o ministro acrescentou ainda que “ninguém está a planear ocupar a Ucrânia” e que o objetivo da Rússia é "libertar os ucranianos da opressão".

"Putin tomou a decisão de realizar uma operação militar especial para desmilitarizar e desnazificar a Ucrânia para que, livres da opressão, os próprios ucranianos pudessem determinar livremente o seu futuro", afirmou.

10h16 - Residentes de Kiev recebem ordens para se deslocarem para abrigos

Os residentes de Kiev receberam ordens para se “deslocarem imediatamente” para um abrigo, após ter sido emitido um alerta de ataque aéreo.

“Um alerta de ataque aéreo foi declarado em Kiev, e foi pedido aos moradores para se deslocarem imediatamente para um abrigo. Este é o terceiro alerta”, revelou, Iuliia Mendel, ex-porta voz do presidente ucraniano.

10h00 - Ouvem-se explosões no centro de Kiev

Ouvem-se explosões nas transmissões em direto que mostram os principais pontos da capital Kiev. 

Segundo a agência de notícias Agence France-Presse (AFP), que cita fonte do exército da Ucrânia, as forças russas chegaram à cidade através de duas frentes: a nordeste e leste.

09h44 - Oficial: UEFA muda final da Champions de São Petersburgo para Paris

A UEFA decidiu, esta sexta-feira, mudar a final da Liga dos Campeões para Paris, retirando a mesma de São Petersburgo, na Rússia. A decisão da UEFA tem por base os ataques da Rússia à Ucrânia

09h37 - Tiroteio ouvido nas proximidades de edifícios governamentais em Kiev

Depois do conselheiro do gabinete presidencial ucraniano, Mykhailo Podolyak, ter revelado que o plano da Rússia pode passar por "capturar Kiev" e matar o presidente do país, Volodymyr Zelensky, a Associated Press relata agora a existência de um tiroteio nas proximidades dos edifícios governamentais da capital.

09h35 - UE "quer cortar todos os laços entre a Rússia e o sistema financeiro"
 
A União Europeia (UE) "quer cortar todos os laços entre a Rússia e o sistema financeiro global", disse hoje o ministro da Economia francês, após o anúncio de um novo conjunto de sanções contra Moscovo.

09h31 - Eurovisão permite que a Rússia participe no festival apesar da invasão
 
A União Europeia da Radiodifusão (EBU), organizadora do Festival Eurovisão da Canção, confirmou que, como "evento cultural de natureza não política", a Rússia participará da edição de 2022, apesar da invasão da Ucrânia.

09h30 - Rússia fecha espaço aéreo a companhias do Reino Unido
 
O relatório surge após o governo britânico ter anunciado que a transportadora nacional russa Aeroflot seria banida do espaço aéreo britânico, num pacote de sanções generalizadas anunciado na quinta-feira.

09h29 - Boris Johnson promete aumentar ajuda à Ucrânia
 
O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, prometeu aumentar o apoio britânico à Ucrânia durante um telefonema esta manhã ao presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, após os ataques à capital Kiev.

09h28 - Rússia falhou "principais objetivos" para primeiro dia de invasão

Ben Wallace, secretário de Estado da Defesa do Reino Unido, disse em declaração à Sky News, que o primeiro dia de invasão russa à Ucrânia não foi um completo sucesso para Vladimir Putin, ao contrário do que o presidente do país advogou no final desse mesmo dia.

09h27 - Agência da UE para Asilo pronta para apoiar no acolhimento de refugiados
 
A Agência da União Europeia para o Asilo (EUAA) disse hoje estar "preparada para qualquer cenário" de "súbito aumento" de pedidos para proteção internacional de ucranianos na União Europeia (UE), bem como para apoiar os Estados-membros no acolhimento.

09h26 Ucrânia elimina restrições de idade para integrar o exército

A Ucrânia decidiu suspender as restrições de idade para integrar o exército. “Hoje, a Ucrânia precisa de tudo”, lê-se na conta oficial do Ministério da Defesa ucraniano na rede social Twitter.

“Todos os procedimentos de adesão estão simplificados. Tragam apenas o vosso passaporte e o número de identificação. Não há restrições de idade”, acrescenta. 

09h23 - Câmaras em direto mostram principais pontos da cidade de Kiev

Quatro câmaras colocadas na capital ucraniana, Kiev, mostram os principais pontos da cidade em direto. Numa altura em que os militares russos se encontram num bairro residencial a 10 quilómetros de distância do centro, soam as sineres de emergência.

Segundo jornalistas no local, nunca as sirenes soaram de forma tão persistente. 

09h10 - Noite em branco nos abrigos de Kiev
 
Kiev teve uma noite agitada numa cidade quase deserta e com o bulício a decorrer nos diversos abrigos subterrâneos após espaçados sinais de alerta sobre possíveis intensos bombardeamentos, que afinal foram esporádicos.

09h06 - Vídeo mostra tanques do Exército russo no bairro de Obolon, próximo de Kiev

09h02 - Manifestação de apoio à Ucrânia na Georgia. "Sou russo. Desculpem"
 
Os apoiantes da Ucrânia marcharam ao longo da avenida central Rustaveli, na quinta-feira à noite, formando correntes humanas. Muitos cartazes diziam: "Sou russo. Desculpem".

09h00 - Zelensky pede coligação antiguerra aos países da NATO na região
 
O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, pediu hoje aos países da NATO do chamado grupo Nove de Bucareste ajuda para defender a Ucrânia e para formar uma "coligação antiguerra" que leve Rússia à mesa das negociações.

08h59 - Le Drian. Putin quer tirar Kiev "do mapa dos Estados"
 
O chefe da diplomacia francesa advertiu hoje que o Presidente da Rússia quer tirar a Ucrânia do "mapa de Estados", acrescentando que "a segurança" do líder ucraniano foi ameaçada pela ofensiva russa em curso.

08h57 - Radiação gama sobe na zona de exclusão da Central Nuclear de Chernobyl

A Inspeção Estatal de Regulação Nuclear da Ucrânia informou hoje que “os níveis de referência da radiação gama” na zona de exclusão da Central Nuclear de Chernobyl “excederam num número significativo de pontos de observação”.

Na rede social Twitter, o organismo ucraniano acrescenta que, por agora, “é impossível estabelecer uma razão para as mudanças de radiação na zona de exclusão devido à ocupação e atividade militar neste território”.

08h47 - Conselheiro diz que Rússia quer "capturar Kiev" e matar Zelensky

Mykhailo Podolyak, conselheiro do gabinete presidencial ucraniano, indicou, esta sexta-feira de manhã, o que diz ser o plano da Rússia para a invasão levada a cabo no país. Os russos, de acordo com informações reveladas por Podolyak, querem "capturar Kiev", a capital da Ucrânia, e matar o presidente Volodymyr Zelensky, avança a SkyNews. 

08h47 - Editoriais portugueses destacam consequências para a Europa
 
A invasão russa da Ucrânia domina os editoriais de hoje da imprensa portuguesa, que sublinham as consequências para a Europa e os desafios que esta guerra trará para a Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO).

08h39 - Exército russo está a 10 quilómetros do centro de Kiev

Os militares russos entraram no bairro residencial de Obolon, localizado a dez quilómetros do centro de Kiev, segundo anunciou o Ministério da Defesa ucraniano.

O governo pede aos seus cidadãos para denunciarem os movimentos das tropas russas e que utilizem cocktails molotov contra o inimigo. 

Segundo o conselheiro Mykhailo Podolyak, citado pela imprensa internacional, o objetivo da Rússia é controlar a capital ucraniana e matar o presidente Volodymyr Zelensky. 

08h33 - Russos nas ruas para se manifestarem contra guerra na Ucrânia

Enquanto o presidente Vladimir Putin iniciava um sangrento conflito em solo europeu, por diversas cidades russas os cidadãos manifestavam-se contra as últimas decisões do seu governo

08h28 - Talibãs reforçam a sua neutralidade face à invasão russa
 
Os talibãs, no Afeganistão, pediram hoje à Rússia e à Ucrânia que "resolvam o conflito através do diálogo", após a invasão de Moscovo, destacando a sua neutralidade no conflito.

08h27 - Zelensky pede apoio ao Reino Unido e reitera que “sanções devem ser reforçadas”

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, conversou hoje com o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, e frisou que o país precisa “do apoio dos parceiros” e que as sanções impostas à Rússia “devem ser reforçadas”.

“Conversei com o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson. Reportei o caminho da defesa da Ucrânia e os ataques insidiosos a Kiev pelo agressor. Hoje, mais do que nunca, a Ucrânia precisa do apoio dos parceiros . Exigimos uma oposição efetiva à Federação Russa. As sanções devem ser reforçadas”, escreveu na rede social Twitter. 

08h17 - Sanções contra Rússia nos setores de semicondutores e financeiro
 
O Japão anunciou hoje novas sanções contra a Rússia face à invasão da Ucrânia, que abrangem o controlo das exportações de semicondutores e outros produtos usados para fins militares, bem como o congelamento de fundos de entidades financeiras russas.

08h07 - Exército ucraniano espera invasão a Kiev durante esta sexta-feira

Oexército ucraniano avançou, esta sexta-feira, estar a combater forças russas nas proximidades da capital do país, Kiev, de acordo com a agência noticiosa AFP. Isto numa altura em que os russos tentam garantir o domínio da cidade, o que indica que a guerra na cidade pode acontecer dentro das próximas horas.

08h07 - Facebook quer ajudar a proteger contas de utilizadores na Ucrânia

A equipa de segurança do Facebook decidiu lançar uma nova ferramenta para proteger os utilizadores na Ucrânia e prevenir que as suas contas sejam usadas para espalhar desinformação.

08h06 - Federação dos Direitos do Homem condena invasão nos termos mais fortes
 
A Federação Internacional dos Direitos do Homem e a sua organização filiada ucraniana, o Centro para as Liberdades Civis (CLC), condenaram "nos termos mais fortes" a agressão e a ocupação russa da Ucrânia.

08h04 - Parlamento russo termina visita a Havana com o apoio político de Cuba
 
O presidente do parlamento russo (Duma), Viacheslav Volodin, terminou quinta-feira a visita oficial a Cuba, na qual recebeu apoio político sobre a "interferência" e "histeria de propaganda" dos Estados Unidos e potências ocidentais quanto à ofensiva militar na Ucrânia.

08h03 - Air France reduz ligações de Paris a Moscovo a uma por dia
 
A Air France decidiu reduzir as suas ligações com Moscovo, a partir de Paris-Charles de Gaulle, de 12 para sete voos semanais (um por dia), anunciou na quinta-feira a companhia, depois da invasão russa da Ucrânia.

08h01 - Procurador do TPI pede respeito pelo direito humanitário
 
O procurador do Tribunal Penal Internacional (TPI) disse hoje que está cada vez mais preocupado com os desenvolvimentos na Ucrânia, apelando às partes em conflito para que respeitem o direito humanitário internacional.

07h59 - Portugal "pronto a apoiar os Estados-Membros vizinhos da Ucrânia"

A invasão russa à Ucrânia tem resultado no estabelecimento de medidas concertadas, por parte dos Estados-membros da União Europeia, para tentar amenizar o conflito existente entre os dois países. Na reunião do Conselho Europeu da noite passada, foi definido um "pacote robusto de sanções contra a Rússia" a aplicar, conjuntamente, pela União Europeia, aponta o primeiro-ministro português, através de publicações no Twitter.

07h58 - Embaixador no Japão pede ajuda à China para travar invasão russa
 
O embaixador ucraniano no Japão pediu hoje à China para se juntar aos esforços internacionais para impedir "o massacre" russo no país.

07h57 - Jimmy Carter diz que invasão russa "ameaça" Europa e mundo
 
O antigo Presidente dos Estados Unidos Jimmy Carter disse que a invasão russa da Ucrânia viola a lei internacional e "ameaça a segurança" da Europa e do mundo.

07h55 - Avião do Exército russo abatido em Kiev

Um avião do Exército russo foi abatido hoje pelas forças ucranianas em Kiev. Segundo o conselheiro do ministro do Interior, Anton Herashchenko, citado pela agência de notícias Reuters, o avião colidiu com um prédio residencial, que incendiou depois. 

07h41 - Austrália prepara sanções à Bielorrússia devido ao apoio à invasão russa
 
O primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, disse hoje que a Austrália vai impor sanções a pessoas e entidades da Bielorrússia envolvidas na invasão russa da Ucrânia.

07h40 - Londres denuncia ataque "bárbaro" e "injustificado"
 
A ministra dos Negócios Estrangeiros britânica, Liz Truss, denunciou hoje o ataque "bárbaro" e "injustificado" do presidente russo, Vladimir Putin, à Ucrânia, após o disparo de mísseis na capital Kiev ao amanhecer.

07h37 - "As forças mais poderosas do mundo estão a observar de longe"
 
O presidente ucraniano disse hoje que a Ucrânia está a defender-se sozinha, lamentou que as "forças mais poderosas do mundo estão a observar de longe" e sustentou que as sanções internacionais são insuficientes.

07h36 - Proteção dos civis deve ser "prioridade número um"
 
O secretário-geral da ONU, António Guterres, garantiu hoje que a "proteção dos civis" na Ucrânia "deve ser a prioridade número um".

07h34 - China freta aviões para retirar chineses do país
 
A embaixada da China na Ucrânia comunicou a organização de voos 'charter' para retirar cidadãos chineses que queiram abandonar a Ucránia, alvo de uma ofensiva militar russa desde a madrugada de hoje, que Pequim não condenou.

07h33 - Banco da Rússia anuncia apoio a bancos russos sancionados pelo Ocidente
 
O Banco Central da Rússia (BCE) garantiu hoje que, juntamente com o governo, vai dar o apoio necessário aos bancos sancionados pelo Ocidente devido à ofensiva militar lançada na quinta-feira na Ucrânia pelo Kremlin.

07h32 - Expansionismo da NATO é "ameaça à estabilidade e segurança"
 
O presidente iraniano, Ebrahim Raisi, afirmou na quinta-feira à noite que o expansionismo da NATO é uma ameaça à estabilidade e segurança de países independentes numa conversa com o homólogo russo, Vladimir Putin.

07h31 - "Rússia terá de falar connosco mais cedo ou mais tarde"
 
O Presidente ucraniano disse hoje que "mais cedo ou mais tarde" a Rússia terá de "falar" com a Ucrânia para pôr fim aos combates e denunciou que Moscovo está também a visar áreas civis.

07h31 - Canadá anuncia sanções para 58 pessoas e entidades russas
 
O Canadá vai sancionar "58 pessoas e entidades russas" em resposta à invasão russa da Ucrânia, anunciou quinta-feira o primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau, mencionando "sanções severas".

07h30 - Embaixador russo ameaça Japão com "resposta séria" a sanções
 
O embaixador russo no Japão, Mikhail Yurievich Galuzin, ameaçou hoje o Executivo japonês com "uma resposta séria" de Moscovo às novas sanções japonesas impostas após a invasão russa da Ucrânia.

07h30 - Gostomel, a "primeira grande vitória" da resistência a Putin
 
Com tropas russas a avançarem até às portas de Kiev, onde foi decretada a mobilização de reservistas, o governo ucraniano celebrou uma "primeira grande vitória" - a recuperação de Gostomel, aeroporto militar estratégico às portas da capital.

07h29 - Nova Zelândia impõe sanções à Rússia e suspende consultas bilaterais
 
A primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, anunciou hoje que vai impor sanções à Rússia pela invasão da Ucrânia e suspender indefinidamente as consultas ministeriais bilaterais.

07h28 - Rússia quer "decapitar" governo ucraniano e instalar regime pró-Moscovo
 
Os militares russos, que têm "total superioridade aérea" na Ucrânia, aproximaram-se de Kiev na quinta-feira com a intenção de "decapitar o governo ucraniano" e instalar um regime pró-Moscovo naquele país, alertaram fontes militares do Ocidente.

07h27 - Guardas de fronteira falam em vários mortos após ofensiva russa
 
Guardas de fronteira ucranianos informaram hoje que várias pessoas foram mortas na sequência de disparos de foguetes pelo exército russo num dos pontos de passagem no sul do país.

07h26 - Kiev compara ataque de mísseis russos à capital aos bombardeamentos nazis
 
O ministro dos Negócios Estrangeiros ucraniano, Dmitro Kuleba, comparou o ataque de mísseis russos a Kiev, esta manhã, com os bombardeamentos nazis de 1941.

07h24 - Líderes da NATO discutem hoje invasão russa em cimeira virtual
 
Os líderes dos países membros da NATO vão discutir hoje a crise de segurança na Europa à luz da ofensiva militar russa na Ucrânia e os próximos passos a dar pela Aliança Atlântica, numa cimeira virtual extraordinária.

07h24 - Taiwan condena invasão e ocupação da Rússia
 
O governo de Taiwan "condenou energicamente a violação pela Rússia da Carta das Nações Unidas" por "invadir e ocupar a Ucrânia", disse o Ministério dos Negócios Estrangeiros da ilha.

07h23 - Austrália acusa China de lançar linha de salvação à Rússia

O primeiro-ministro da Austrália acusou a China de lançar à Rússia uma linha de salvação, ao aliviar restrições comerciais, quando parte do mundo avançou com sanções contra Moscovo, devido à invasão da Ucrânia.

07h20 - Bom dia! Damos início a um novo acompanhamento AO MINUTO do conflito entre a Rússia e a Ucrânia. Pode recordar o anterior aqui

Recomendados para si

;
Campo obrigatório