Meteorologia

  • 22 OUTUBRO 2020
Tempo
14º
MIN 12º MÁX 19º

Edição

Milícia ataca a maior cidade mineira do sudeste da RDCongo

Uma milícia separatista atacou na sexta-feira à noite Lubumbashi, a maior cidade mineira do sudeste da República Democrática do Congo, causando a explosão de munições, segundo fontes oficiais.

Milícia ataca a maior cidade mineira do sudeste da RDCongo
Notícias ao Minuto

11:11 - 26/09/20 por Lusa

Mundo RDCongo

Por volta das 23:00 locais (24:00 em Lisboa), "insurgentes da Bakata Katanga (uma milícia separatista) entraram na cidade e conseguiram chegar ao centro da cidade", disse à agência AFP o ministro provincial do Interior de Haut-Katanga (sudeste), Philbert Kunda Milundu.

"Os tiros que se ouvem são mais dissuasores do que os confrontos, pelo menos nesta fase", disse, referindo que as forças de segurança receberam ordens para disparar para o ar e não contra os milicianos.

Várias testemunhas entrevistadas pela agência AFP disseram que as milícias conseguiram içar a bandeira da antiga República do Katanga na Place de la Poste, uma encruzilhada mítica em Lubumbashi.

Hoje, cerca das 08:00 locais (09:00 em Lisboa), a maior loja da cidade abriu as suas portas a pedido do presidente da Câmara e os tiros tornaram-se esporádicos, informou um correspondente da AFP em Lubumbashi.

Um grande número de militares e polícias continua destacado na cidade, onde o sinal da rádio e televisão estatal permanece cortado, de acordo com a mesma fonte.

"A situação está sob controlo", afirmou Harce Kayumba, ministro da Informação e porta-voz do Governo provincial de Haut-Katanga, remetendo para mais tarde uma nova avaliação, após uma reunião de segurança.

Nos últimos confrontos entre as forças de segurança e a milícia Kata-Katanga, a 19 de outubro, foram mortos três soldados e dois milicianos.

A província de Haut-Katanga, que é rica em recursos minerais (cobre, cobalto), resulta da divisão da antiga província do Katanga em quatro novas províncias.

A milícia Kata Katanga é composta por partidários que fazem campanha pela secessão desta rica província mineira.

Em 2015, tinham hasteado a bandeira da antiga República do Katanga em Lubumbashi antes de irem para uma base de Capacetes Azuis da Missão da ONU na RDC (Monusco).

Desde então, estes milicianos foram desmobilizados e estacionados em Lubumbashi enquanto aguardavam a sua reintegração na vida civil. Mas queixam-se de terem sido abandonados pelas autoridades após treino numa base militar.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório