Meteorologia

  • 14 NOVEMBRO 2019
Tempo
13º
MIN 10º MÁX 16º

Edição

Brasil em silêncio sobre Venezuela para garantir vaga em conselho da ONU

O presidente da organização Human Rights Watch (HRW) considerou hoje que o Brasil, para garantir a sua recondução no Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), permanece em silêncio sobre a candidatura da Venezuela.

Brasil em silêncio sobre Venezuela para garantir vaga em conselho da ONU
Notícias ao Minuto

20:31 - 16/10/19 por Lusa

Mundo Brasil

"O Brasil está colocando sua candidatura acima de tudo. O Governo está permitindo que a Venezuela tenha lugar no Conselho de Direitos Humanos [da ONU] para que o Brasil possa entrar no Conselho mesmo que seja sem votos. E este é o pacto com o demónio que o Governo Bolsonaro fez", afirmou Kenneth Roth, em declarações à Lusa.

O presidente global da HRW reuniu-se, em Brasília, com o ministro das Relações Exteriores brasileiro, Ernesto Araújo, e defendeu um posicionamento do país a favor da Costa Rica, na sua candidatura ao Conselho de Direitos Humanos, mas disse não a certeza de que isso vá acontecer.

"Ontem [terça-feira], em Brasília, nos encontramos com o ministro das Relações Exteriores. Muitos de vocês sabem que amanhã vão votar os novos membros para o Conselho de Direitos Humanos da ONU. Até uma semana atrás havia dois candidatos para as duas vagas, o Brasil e a Venezuela, mas a Costa Rica, no último minuto, anunciou a sua candidatura", explicou.

A candidatura da Costa Rica, anunciada este mês, tem o objetivo declarado de impedir que o Governo do Presidente venezuelano, Nicolás Maduro, assuma uma das posições no Conselho de Direitos Humanos da ONU.

No total, mais de 50 organizações não-governamentais de direitos humanos também se uniram para se opor às aspirações venezuelanas.

Kenneth Roth reiterou o desafio para que o Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, se manifeste publicamente contra Maduro, considerando que o Governo brasileiro faz um jogo perigoso ao negar apoio público à Costa Rica.

"O Governo brasileiro recusa opor-se publicamente à Venezuela e a apoiar a Costa Rica, que é o oponente direto da Venezuela. Apresentei isto para o ministro das Relações Exteriores e ele não soube o que dizer", contou.

O presidente da HRW revelou que Ernesto Araújo "prometeu fazer uma declaração muito clara" e "que o Brasil iria incitar todos a votarem contra a Venezuela e a favor da Costa Rica".

"Estou esperando porque hoje é o último dia para fazer isto. A votação é amanhã de manhã", concluiu.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório