Meteorologia

  • 22 OUTUBRO 2017
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 16º

Edição

Nunca foi tão fácil engordar como agora. E são estes os motivos

A culpa não é apenas do sedentarismo.

Nunca foi tão fácil engordar como agora. E são estes os motivos
Notícias ao Minuto

10:55 - 31/07/17 por Daniela Costa Teixeira

Lifestyle Saúde

Nunca foi tão fácil engordar como agora... e não é difícil perceber o porquê. Se outrora os empregos eram agitados e implicavam andar de um lado para o outro, agora a tendência é passar mais de nove horas sentado em frente a um computador e com pouca ou nenhuma vontade de levantar para o que quer que seja. Mas esta não é a única causa (de todo).

Os níveis de obesidade estão elevados um pouco por todo o mundo e são vários os fatores que contribuem diretamente para esta doença de peso que teima em não parar e que vai muito além do aumento do tamanho das peças de roupa.

Tal como a ciência tem vindo a provar nos mais recentes estudos e tal como a própria Organização Mundial da Saúde (OMS) já fez questão de frisar, a obesidade é um trampolim para a má saúde, contribuindo negativamente para o coração, a mente, os ossos, os músculos e todo e qualquer outro órgão.

Segundo o site Deporte y Vida do jornal espanhol As, são sete os fatores que mais contribuem para o aumento de peso entre as pessoas de todo o mundo, mas especialmente entre os jovens, que se assumem como a faixa etária de mais peso (especialmente em Portugal). Eis o que nos faz engordar com tanta facilidade:

1 - Ambiente não saudável. Seja num supermercado, numa mercearia, numa padaria, num restaurante ou numa cantina, estamos rodeados de opções alimentares que são tudo menos saudáveis.

2 - Sedentarismo. Além dos empregos 'de cadeira' dos dias de hoje, existe ainda a tendência para não se praticar o exercício físico necessário para combater as consequências do sedentarismo.

3 - Comprar mal os alimentos. Uma ida ao supermercado resume-se, muitas vezes, na escolha dos alimentos mais práticos e fáceis de consumir, ou seja, nos alimentos que são altamente processados e que nada bem fazem à saúde. A ingestão de alimentos industrializados e repletos de açúcar, gordura saturada, sódio e químicos é um dos maiores inimigos da saúde pública. Aprenda a decifrar os alimentos processados e saiba quais não deve voltar a comprar.

4 - Falta de planificação. Diz a publicação que as pessoas tendem a engordar pelo simples facto de não planearem as refeições, deixando-se render à azáfama do dia a dia e a todos os alimentos viciantes que se consomem num abrir e fechar de olhos.

5 - Acreditar no milagre das dietas. Tudo o que promete uma perda de peso rápida não é de fiar e nem tão pouco é eficaz. Porquê? Porque se assim o fosse não existiram tantas pessoas com excesso de peso no mundo. O termo dieta deve ser entendido no sentido de regime alimentar a longo prazo, ou seja, as pessoas devem procurar te ruma alimentação saudável todos os dias e não apenas quando decidem fazer dieta (um hábito que faz com que desistam com facilidade e voltem aos maus hábitos num instante).

6 - Açúcar em todo o lado. Dos bolos às bolachas, passando pelos pães e pelas tostas, nunca esquecendo as bebidas gaseificadas, os sumos de fruta e os chás já prontos. O açúcar está em todo o lado e não faz apenas ganhar peso... tira anos de vida.

7 - Medicamentos a mais. A toma elevada de medicamentos como os antidepressivos está associada ao aumento do apetite e à incapacidade de sentir saciedade, algo que faz com que as pessoas comam mais e optem quase sempre por alimentos calóricos e reconfortantes.

Seja sempre o primeiro a saber. Acompanhe o site eleito pela Escolha do Consumidor 2017.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório