Meteorologia

  • 20 JULHO 2019
Tempo
20º
MIN 17º MÁX 23º

Edição

Sangue do cordão umbilical pode ajudar a tratar Leucemia em crianças

Um estudo publicado recentemente na revista Blood Advances revelou que o sangue do cordão umbilical é uma fonte de células a considerar para a transplantação de doentes pediátricos com Leucemia Mieloide Aguda (LMA) de alto risco, estando associado a melhor esperança e qualidade de vida no período pós-transplante.

Sangue do cordão umbilical pode ajudar a tratar Leucemia em crianças

Este estudo comparou os resultados da transplantação de 317 crianças com LMA utilizando células da medula óssea de um irmão compatível, de um dador compatível não familiar ou sangue do cordão umbilical. Os grupos foram comparados relativamente a dois aspetos que refletem o sucesso de um transplante: a sobrevivência livre de doença e a ausência de doença do enxerto contra o hospedeiro crónica, uma complicação dos transplantes hematopoiéticos que compromete seriamente a qualidade de vida dos doentes no período pós-transplante.

Segundo os autores, as crianças que receberam uma unidade de sangue do cordão umbilical apresentaram melhores resultados comparativamente às tratadas com células da medula óssea de um dador não familiar.

Segundo Bruna Moreira, Investigadora do Departamento de I&D da Crioestaminal, “Apesar de ser mais frequente em adultos, a LMA pode também ocorrer em crianças, representando pouco menos de um quarto dos casos de leucemia infantil. Quando se trata de LMA de alto risco ou após uma recaída, o transplante hematopoiético com células de um irmão compatível é a abordagem terapêutica mais indicada, no entanto, cerca de 70% dos doentes não dispõem dessa opção. Nestes casos, segundo este estudo, o sangue do cordão umbilical pode ser a melhor alternativa de tratamento”. 

A LMA é uma doença maligna do sangue que resulta do crescimento descontrolado de glóbulos brancos imaturos da linhagem mieloide na medula óssea. Este processo impede a produção normal de células sanguíneas, dando origem a sintomas como anemia, infeções, fadiga, hemorragias e febre. As abordagens terapêuticas atualmente disponíveis para o seu tratamento incluem quimioterapia, radioterapia, imunoterapia e transplante hematopoiético (i.e., com células estaminais hematopoiéticas, formadoras de células sanguíneas). De acordo com a American Cancer Society, só nos EUA são diagnosticados cerca de 20 mil novos casos de LMA todos os anos.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório