Vista Alegre vai abrir a primeira loja na Índia em 2017

O grupo Vista Alegre Atlantis (VAA) vai abrir a primeira loja na Índia no próximo ano, em Deli, disse o diretor de marketing, Nuno Barra, à Lusa, estando a empresa a recrutar pessoas naquele mercado.

© DR
Economia Investimento

"Na Índia fizemos uma parceria este ano com um grupo indiano para explorar o mercado", afirmou o responsável, salientando que tal resultou numa empresa conjunta, com o objetivo de abrir lojas naquele mercado.

PUB

"Queremos abrir a primeira loja em Deli em 2017 e depois expandir", acrescentou o diretor de marketing, acrescentando que o grupo está agora à procura da primeira loja e está a "recrutar pessoas para fazer a gestão do negócio" localmente.

Sobre o investimento, Nuno Barra não avançou números.

Relativamente à China, mercado onde a Vista Alegre Atlantis tem um 'corner' [uma área dedicada aos produtos da marca] no centro comercial Lufthansa em Pequim, o diretor de marketing disse que "é um mercado difícil" e "não é o parceiro certo".

Por isso, a parceria "tem de ser revista, claramente", acrescentou.

Os principais mercados externos da VAA são Espanha, que ocupa o primeiro lugar, representando cerca de 12% da faturação do grupo, seguida da França, Alemanha, Itália, Brasil e Estados Unidos.

No entanto, a Vista Alegre Atlantis aposta em mercados como a Colômbia e México, com "grande potencial de crescimento".

"Em janeiro colocámos 'country managers' [responsáveis pelo negócio num determinado país] na Colômbia e México", explicou.

"O México tem um potencial de crescimento grande, daí a aposta para o ano com uma marca de luxo mexicana", disse, salientando que a na Colômbia a marca "tem crescido, mas a um ritmo mais lento" do que o esperado.

"São dois mercados importantíssimos com potencial enorme", reiterou o diretor de marketing.

A Polónia é também um mercado prioritário para a VAA, a par da Coreia do Sul e dos Estados Unidos.

Relativamente ao facto de Donald Trump ter vencido as eleições presidenciais norte-americanas, Nuno Barra disse não estar preocupado com as ameaças de um eventual isolacionismo do país.

"Há medidas que foram anunciadas que Trump terá de adaptar à realidade", considerou.

Sobre o que espera para o próximo ano, o diretor de marketing disse que as expetativas são de "manter o crescimento e equilibrar as contas o mais rapidamente possível", já que o resultado líquido do grupo tem melhorado, mas ainda continua em terreno negativo.

Até setembro, a Vista Alegre Atlantis registou um prejuízo de 1,5 milhões de euros, uma melhoria face aos 4,6 milhões de euros negativos em igual período do ano passado.

Entre janeiro e setembro, o volume de negócios subiu 6% para 53,3 milhões de euros, tendo o mercado externo contribuído com 67% deste valor, já que "o reforço das equipas comerciais e a presença nas principais feiras mundiais do setor reforçaram a notoriedade", segundo a empresa.

 

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS