Meteorologia

  • 06 DEZEMBRO 2021
Tempo
15º
MIN 9º MÁX 18º

Edição

União de Sindicatos saúda reabertura de troço da Linha da Beira Baixa

A União de Sindicatos de Castelo Branco (USCB) saudou hoje a reabertura da Linha da Beira Baixa no troço entre a Covilhã e a Guarda, que estava encerrado desde 2009 e que reabriu à circulação este domingo.

União de Sindicatos saúda reabertura de troço da Linha da Beira Baixa
Notícias ao Minuto

11:27 - 03/05/21 por Lusa

Economia Linha da Beira Baixa

Em nota de imprensa enviada à agência Lusa, aquela estrutura sindical sublinha que está em causa a resposta a uma "exigência de mais de uma década" e apenas lamenta "o tempo que se perdeu com indefinições e atrasos nas obras de requalificação da linha e que originaram prejuízos económicos, sociais e ambientais".

Esta estrutura sindical afetada à CGTP salienta que sempre colocou, nas respetivas propostas e planos, "a requalificação, modernização e rentabilização da linha da Beira Baixa até à Guarda como uma questão estratégica para o desenvolvimento integrado do Interior do país e para a facilitação da ligação do distrito de Castelo Branco ao Litoral Norte e à Europa, via Vilar Formoso e Espanha".

"Ainda recentemente, face aos inaceitáveis atrasos nas obras da Linha da Beira Baixa, voltámos a exigir a requalificação e eletrificação integral da via-férrea entre a Covilhã e a Guarda, adequando os horários e garantindo a via ferroviária internacional e a reposição do comboio intercidades Guarda-Lisboa-Guarda (via Castelo Branco) e a ligação por intercidades entre a Covilhã e Coimbra, ligação que, lemos, tem o apoio e também é exigida pelo Município da Covilhã", acrescenta.

Por outro lado, a USCB diz que "importa agora avançar com a implementação de ligações ferroviárias regulares e a preços acessíveis entre Guarda-Belmonte-Covilhã-Fundão-Castelo Branco, com horários adequados às necessidades de mobilidade profissional e de outras, o que pressupõe a criação de uma rede de transportes de passageiros, combinando o transporte rodoviário com a linha ferroviária da Beira Baixa, para assegurar uma efetiva mobilidade intradistrito e na Beira Interior".

"Como é evidente, o avanço e o necessário incremento da utilização do transporte ferroviário não podem servir de pretexto para travar a inevitável reposição das SCUT na A23 e na A25 ainda na presente legislatura", acrescenta.

O troço ferroviário da Linha da Beira Baixa entre as cidades da Guarda e da Covilhã, que estava fechado desde 2009, reabriu no domingo ao serviço comercial após obras de requalificação e de eletrificação.

Segundo informação disponibilizada pela CP - Comboios de Portugal, com esta reabertura passa a existir uma "oferta integrada" dos serviços Intercidades e Regional das Linhas da Beira Baixa e Alta.

Para incentivar a mobilidade regional no novo percurso, o preço aplicado nas viagens entre as duas cidades "é sempre de tarifa Regional, quer os clientes viajem em Serviço Intercidades ou Regional".

A cerimónia oficial de inauguração está agendada para terça-feira.

O investimento total no projeto de modernização do troço foi de cerca de 77 milhões de euros.

Leia Também: Habitantes da Guarda e da Covilhã satisfeitos com reabertura de Linha

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório