Meteorologia

  • 21 NOVEMBRO 2019
Tempo
15º
MIN 12º MÁX 16º

Edição

Determinado fim da crise energética relativa a gasóleo nas Flores e Corvo

O Governo dos Açores determinou, a partir de hoje, o fim da crise energética relativa ao gasóleo nas ilhas das Flores e do Corvo na sequência da passagem recente pelo arquipélago do furacão Lorenzo.

Determinado fim da crise energética relativa a gasóleo nas Flores e Corvo
Notícias ao Minuto

11:34 - 08/11/19 por Lusa

Economia Açores

Em nota à imprensa, o executivo regional sinaliza que "o despacho 1593/2019 de 03 de outubro, alterado pelo despacho 1757/2019, de 31 de outubro, que declarou a situação de crise energética nas ilhas da Flores e do Corvo, será atualizado e republicado em breve em Jornal Oficial".

"A alteração, que produz efeitos a partir de hoje, determina o fim da crise energética nas Flores e no Corvo, no que diz respeito ao gasóleo rodoviário e ao gasóleo colorido e marcado utilizado na agricultura e nas pescas", é referido.

A decisão, sublinha o Governo dos Açores, deve-se ao facto de já ter sido possível abastecer as Flores com 363 mil litros de gasóleo, ficando a ilha com um stock atual de 600 mil litros.

Este abastecimento, iniciado na tarde de segunda-feira e terminado na tarde de quarta-feira, só se tornou possível devido à intervenção do rebocador "Pêro de Teive", propriedade da empresa pública Portos dos Açores, que auxiliou o navio "São Jorge", efetuando a trasfega do combustível para a ilha, numa operação de caráter excecional.

A situação de crise energética mantém-se apenas no que se refere à gasolina.

Durante a passagem do Lorenzo pelos Açores, no começo de outubro, foram registadas 255 ocorrências e 53 pessoas tiveram de ser realojadas.

A passagem causou a destruição total do porto das Lajes das Flores, o que colocou em risco o abastecimento ao grupo Ocidental.

No total, o mau tempo provocou prejuízos de cerca de 330 milhões de euros, segundo o Governo Regional dos Açores.

Em 14 de outubro, o presidente do executivo regional, Vasco Cordeiro, pediu ajuda financeira ao Estado e a ativação do Fundo de Solidariedade da União Europeia.

Uma semana depois, o Governo da República assegurou que vai pagar 85% dos estragos causados e agilizar os procedimentos para recuperar as infraestruturas destruídas.

O anúncio foi feito por Vasco Cordeiro, em Lisboa, após uma reunião com o primeiro-ministro, António Costa, e com os ministros da Economia e do Planeamento, Pedro Siza Vieira e Nelson de Souza, respetivamente.

De acordo com Vasco Cordeiro, no encontro, o Governo da República assumiu "sem reservas o dever de solidariedade" para com os Açores, conforme havia sido solicitado pelo Governo Regional.

O governante tem para hoje marcada uma audiência, em Lisboa, com o primeiro-ministro.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório