Meteorologia

  • 18 JUNHO 2018
Tempo
21º
MIN 19º MÁX 23º

Edição

Portugal é o 2.º país europeu que mais investimento recebeu da China

Um estudo divulgado hoje, em Madrid, pela escola espanhola de ensino superior Esade coloca Portugal, tendo em conta a sua dimensão económica, como o segundo país europeu que mais investimento direto recebeu da China de 2010 até 2016.

Portugal é o 2.º país europeu que mais investimento recebeu da China
Notícias ao Minuto

13:16 - 23/05/18 por Lusa

Economia Esade

O relatório sobre as "Tendências do investimento chinês na Europa" revela que Portugal teve um rácio de investimento acumulado, ponderado pela sua dimensão económica, de 3,66, apenas ultrapassado pela Finlândia (4,47) e à frente da Hungria (3,11), Irlanda (2,80) e Malta (2,56).

A autora do estudo, Ivana Casaburi, professora do Esade, sublinhou na apresentação do relatório que no caso de Portugal, os investimentos são mais "diversificados" em vários setores do que noutros países e estão "concentrados" no período de 2011 até 2014.

A China investiu em Portugal um total de 7.321 milhões de dólares (6.249 milhões de euros ao câmbio de hoje) entre 2010 e 2016, sendo o sétimo país europeu que mais investimentos chineses recebeu a seguir ao Reino Unido (32.080 milhões de dólares), Alemanha (18.610), Itália (15.810), França (12.930), Finlândia (10.580) e Irlanda (8.220).

O gigante asiático converteu-se em 2016 no segundo maior investidor do mundo com um total de 170.110 milhões de dólares norte-americanos, tendo um quarto deste montante (41.150 milhões) tido a União Europeia (UE) como destino, um aumento de 31% em relação ao ano anterior.

"A China ocupa uma posição privilegiada para substituir os Estados Unidos como impulsionador da globalização", destaca o relatório, mas acrescenta que "o facto de o gigante asiático controlar fortemente o seu mercado interno e as suas empresas públicas no exterior retira credibilidade a este papel".

Em 2016, os destinos mais importantes na Europa para o investimento chinês foram a Alemanha (11.260), a Finlândia (10.490) e o Reino Unido (10.350), com Portugal a ocupar a décima quarta posição com 90 milhões de dólares.

No caso de Portugal, em 2016 "não houve operações com a envergadura dos anos anteriores", mas o relatório sublinha que nesse ano a Fosun anunciou a intenção de acompanhar o aumento de capital do BCP (Banco Comercial de Português), a fim de atingir o objetivo de controlar 30% da entidade financeira.

Ivana Casaburi também destaca a entrada "particularmente interessante" da Hainan Airlines no capital da TAP, através do consórcio Atlantic Gateway.

O relatório assinala que as empresas e os setores tecnológicos europeus, que até há poucos anos praticamente não atraiam o investimento chinês, converteram-se num dos "principais objetivos" das operações de aquisição do gigante asiático.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.