Meteorologia

  • 21 OUTUBRO 2018
Tempo
16º
MIN 16º MÁX 17º

Edição

The XX com concerto emocionado para 16 mil pessoas no arranque do SBSR

Os The XX encerraram na quinta-feira, no festival Super Bock Super Rock (SBSR), em Lisboa, a digressão europeia com um concerto emocionado para cerca de, segundo a organização, 16 mil pessoas.

The XX com concerto emocionado para 16 mil pessoas no arranque do SBSR
Notícias ao Minuto

07:15 - 20/07/18 por Lusa

Cultura Parque das Nações

Foi em lágrimas que o baixista Oliver Sim lembrou, já o concerto ia a meio, que a banda anda em digressão há dois anos e que 'a vida tem acontecido' enquanto estão em palco: 'coisas aconteceram, nasceram bebés'.

'Tomem conta de vocês, quero que se divirtam e aproveitem', disse o músico, dedicando 'Shelter' a 'todas as pessoas LGBTQ [Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transexuais] aqui hoje'. 'Eu adoro-vos, eu vejo-vos', afirmou.

Ao longo de pouco mais de uma hora, a banda passou em revista os três álbuns que gravou desde 2009, com o público a assumir o papel de coro em 'Islands', 'I dare you' e 'On hold'.

'Loud places', 'VCR', 'Crystalised' e 'Intro' foram outros dos temas incluídos no alinhamento do concerto, que encorrou ao som de 'Angels'.

Já perto do fim, de mão no coração e visivelmente emocionada, a guitarrista Romy Croft agradeceu várias vezes ao público por 'toda a energia e amor'.

A relação afetiva da banda com o público português recua a 2010, quando se estrearam em Portugal na Aula Magna, em Lisboa, e saiu mais uma vez reforçada no concerto de quinta-feira.

Horas antes, enquanto no Altice Arena os músicos portugueses recordavam o guitarrista Zé Pedro, a uns metros dali, debaixo da pala do Pavilhão de Portugal reinava o poder da 'soul', com o músico norte-americano Lee Fields, acompanhado dos The Expressions.

Num impecável fato branco debruado a lantejoulas, com um estilo, porte e voz que fazem lembrar James Brown -- não é por acaso que alcunha dele é 'Little J.B.' -- Lee Fields prestou homenagem a dois cantores da música 'soul' recentemente desaparecidos: Sharon Jones e Charles Bradley.

Lee Fields, que se estreou em 1969, perguntou ao público do SBSR se tinha 'soul' e cantou sobretudo sobre o amor, para superar 'as cenas maradas que se passam no mundo'.

Ao longo da tarde e noite, neste palco junto ao icónico edifício de Álvaro Siza ouviu-se ainda o 'punk rock' dos portugueses Parkinsons, o revivalismo pop-psicadélico dos Temples, a 'pop' eletrónica dos Parcels e o 'rock' inglês dos The Vaccines.

No palco dedicado à música portuguesa, junto à escadaria do Altice Arena, o festival deu mais visibilidade a Vaiapraia e as Rainhas do Baile e a Filipe Sambado e os Acompanhantes de Luxo, fechando as atuações com Mirror People, Rui Maia dos X-Wife.

O primeiro dia do SBSR prossegue até às 04:00 de hoje, dentro do Sala Tejo do Altice Arena, com Mahalia e Songhoy Blues.

O 24.º SBSR decorre até sábado no Parque das Nações, em Lisboa.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório