Meteorologia

  • 24 NOVEMBRO 2017
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 15º

Edição

Governo está a discutir novo reembolso antecipado ao FMI

O secretário de Estado Adjunto e das Finanças, Ricardo Mourinho Félix, disse hoje que o Governo está a discutir com o Mecanismo Europeu de Estabilidade uma nova autorização para fazer um reembolso antecipado ao FMI.

Governo está a discutir novo reembolso antecipado ao FMI
Notícias ao Minuto

18:05 - 20/04/17 por Lusa

Economia Ajuda externa

"Estamos já a discutir com o Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEE) uma nova autorização para antecipar pagamentos ao FMI [Fundo Monetário Internacional], para reduzir o custo médio da nossa dívida", afirmou Mourinho Félix numa entrevista à televisão norte-americana CNBC.

O governante falava à margem dos encontros de primavera do FMI em Washington, nos Estados Unidos, sem adiantar o valor dos novos reembolsos ou data para a amortização antecipada.

"Estamos muito focados e comprometidos em pagar a dívida e em fazer com que o rácio da dívida desça o mais rapidamente possível, mas é claro que é preciso que isto seja feito num cenário de sustentabilidade", afirmou o secretário de Estado, destacando a importância da manutenção dos excedentes primários no médio prazo.

No Programa de Estabilidade, entregue à Assembleia da República na semana passada, o Governo estima que a dívida pública desça para 127,9% este ano, para 124,2% no próximo, para 120% em 2019, para 117,6% em 2020 e para 109,4% em 2021.

Já ao saldo primário (que exclui os encargos com os juros da dívida), o executivo prevê um excedente de 2,7% para este ano, de 3,1% para o próximo, de 3,6% para 2019, de 4,2% para 2020 e de 4,9% para 2021.

Em fevereiro foi realizado o último reembolso antecipado ao FMI, no valor de 1.700 milhões de euros, tendo o Governo na altura afirmado que o Estado já amortizou antecipadamente metade do empréstimo total inicial.

O pagamento antecipado do empréstimo ao FMI permite poupanças para o Estado porque a este crédito, pedido por Portugal no âmbito do Programa de Assistência Económica e Financeira (PAEF), estão associadas taxas de juro mais elevadas.

No entanto, para que o Estado possa realizar estes reembolsos antecipados ao Fundo, tem de previamente ser autorizado tanto pelo FMI como pelo MEE.

Seja sempre o primeiro a saber. Acompanhe o site eleito pela Escolha do Consumidor 2017.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório