Meteorologia

  • 08 DEZEMBRO 2022
Tempo
16º
MIN 14º MÁX 17º

PCP frisa que brasileiros disseram que querem "uma mudança"

O PCP considerou hoje que a vitória de Lula da Silva na primeira volta das eleições presidenciais do Brasil demonstra que os brasileiros "querem uma mudança" e aponta para um reequilíbrio na geopolítica internacional.

PCP frisa que brasileiros disseram que querem "uma mudança"
Notícias ao Minuto

13:11 - 03/10/22 por Lusa

Política Brasil

Contactada pela Lusa, a eurodeputada comunista Sandra Pereira, que acompanhou as eleições a partir de São Paulo, disse que houve uma "vitória clara da coligação do PT e dos outros nove partidos, que não só tem quase os 50% para passar à primeira volta, como tem quase mais 5% do que o seu adversário, Jair Bolsonaro".

"Há aqui um sinal de os brasileiros querem uma mudança e aproveitaram esta oportunidade para afirmar a vontade de retomar um caminho de progresso social, de desenvolvimento e progresso [...] que foi interrompido em 2016 com aquele escabroso golpe para destituir a Presidente Dilma Rousseff", completou.

Uma vitória de Lula da Silva na segunda volta, que vai decorrer no dia 30 de outubro, "é difícil" de antecipar, mas Sandra Pereira advogou que os brasileiros têm de votar tendo em conta os últimos quatro anos, sob a governação de Jair Bolsonaro.

A confirmação de uma viragem à esquerda do Brasil vai estar, na opinião da eurodeputada, em linha com o que aconteceu em outros países da América Latina, como é caso do Chile, Colômbia e Honduras.

Também haveria um novo "equilíbrio na geopolítica da América Latina" e "outra ordem internacional mais justa, equilibrada, sem imposição de domínios hegemónicos", numa altura em que vários países estão a virar à direita, inclusive à extrema-direita.

A acompanhar as eleições 'in loco', Sandra Pereira referiu que viu "muitos brasileiros a votar pacificamente em São Paulo" e "com maturidade, contrastando com a expectativa que havia de insurreição ou de atos de violência em grande escala em função do resultado.

De acordo com os dados oficiais, Lula da Silva obteve 47,85% dos votos na primeira volta enquanto Bolsonaro, o Presidente em exercício, teve 43,70%, quando estão contabilizadas 96,93% das secções eleitorais.

A eleição está "matematicamente definida" e obriga a uma segunda volta, pode ler-se na página eletrónica utilizada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para divulgação dos resultados parciais.

Os mais de 156 milhões de eleitores foram no domingo chamados às secções de voto até às 17:00 de Brasília (21:00 em Lisboa), nas 577.125 urnas eletrónicas espalhadas por 5.570 cidades do país.

Às presidenciais brasileiras concorreram 11 candidatos: Jair Bolsonaro, Luiz Inácio Lula da Silva, Ciro Gomes, Simone Tebet, Luís Felipe D'Ávila, Soraya Tronicke, Eymael, Padre Kelmon, Leonardo Pericles, Sofia Manzano e Vera Lúcia.

Leia Também: Portalegre. PCP acusa câmaras PS e PSD de "aumento" das faturas da água

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório