Meteorologia

  • 15 JUNHO 2021
Tempo
19º
MIN 18º MÁX 34º

Edição

CDS espera que "ventos dos Açores" ajudem a derrubar socialismo

O líder do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos, disse hoje ter esperança de "derrubar o socialismo" nas próximas eleições legislativas nacionais, seguindo o exemplo do que aconteceu nos Açores.

CDS espera que "ventos dos Açores" ajudem a derrubar socialismo
Notícias ao Minuto

15:30 - 09/05/21 por Lusa

Política CDS

"Contamos que os ventos dos Açores cheguem ao resto do país, que o socialismo também esteja a terminar na governação de Portugal. A inspiração que nos chega dos Açores, juntamente com a governação de centro-direita na Madeira, são ingredientes fundamentais para acreditarmos que vamos derrubar o socialismo também a nível nacional", afirmou.

Francisco Rodrigues dos Santos falava, em Angra do Heroísmo, no encerramento do X Congresso Regional do CDS-PP/Açores.

Os centristas integraram, pela primeira vez, um Governo Regional nos Açores, no final de 2020, depois de o PS ter perdido a maioria absoluta nas eleições legislativas regionais após 24 anos de governação, abrindo caminho a uma coligação entre PSD, CDS-PP e PPM, apoiada por acordos de incidência parlamentar com Chega e Iniciativa Liberal.

Saudando Luís Silveira, único presidente de uma Câmara Municipal ganha pelo CDS nos Açores, por ter anunciado a sua recandidatura pelo partido, apesar das divergências com a liderança regional, Francisco Rodrigues dos Santos disse esperar que a coligação que forma o Governo Regional possa também conquistar autarquias no arquipélago.

"Nas próximas eleições autárquicas, sempre que PSD e CDS juntos consigam derrubar a esquerda, façam os compromissos e entendimentos necessários para continuar a virar a página do socialismo nos Açores e consigam, juntamente com o PPM, um partido estruturante da alternativa política, ser uma ambição renovada de construir novas soluções autárquicas para os açorianos", apelou.

O líder centrista disse que o Governo Regional de direita recebeu um legado "duro e difícil de solucionar" do PS, mas defendeu que o CDS está "a fazer a diferença", sobretudo na área social, tutelada pelo líder do CDS-PP/Açores e vice-presidente do executivo açoriano, dando como exemplo a criação de um programa para manter os idosos em casa, a promoção da habitação acessível para a classe média a gratuitidade das creches.

Francisco Rodrigues dos Santos manifestou ainda a sua gratidão para com Artur Lima, líder do CDS-PP nos Açores desde 2007, reeleito neste congresso para mais quatro anos, destacando o resultado das eleições legislativas regionais de outubro de 2020.

"O CDS nos Açores, apesar das sondagens que maldosamente vaticinavam a nossa morte, confirmou o estatuto de terceira força política, tem mais votos do que o BE e PCP juntos e é um partido estruturante da democracia açoriana e uma componente fundamental no Governo da Região Autónoma dos Açores", frisou.

"Contigo à direita lidera o CDS, uma direita que não quer dividir, uma direita que não quer subtrair, que quer somar e que compreende que só com entendimentos se podem construir maiorias alternativas ao Partido Socialista", acrescentou, dirigindo-se a Artur Lima.

Leia Também: "João Galamba, qual 'hater', tornou-se um cowboy do teclado no Twitter"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório