Meteorologia

  • 19 NOVEMBRO 2019
Tempo
13º
MIN 8º MÁX 13º

Edição

"Vamos continuar o caminho que iniciámos há quatro anos"

António Costa discursou, este domingo, na reunião da Comissão Nacional do Partido Socialista.

"Vamos continuar o caminho que iniciámos há quatro anos"

António Costa discursou na reunião da Comissão Nacional do Partido Socialista, este domingo, em Santarém. "Nós vamos continuar o caminho que iniciámos há quatro anos, do qual não estamos arrependidos e não temos qualquer dúvida que é o caminho que deve ser prosseguido", referiu o secretário-geral do PS.

Costa continuou, afirmando que "a porta está aberta e também ficará aberta se mais tarde se desejarem juntar a esta caminhada", acrescentando que "não a desejámos iniciar sozinhos, nem a desejamos prosseguir sozinhos, quem vier por bem é bem-vindo".

"Agora, não impomos nada a ninguém, não fazemos ultimatos a ninguém e aqui estamos de espírito aberto mas com grande determinação", disse ainda.

De acordo com o secretário-geral, "o muro que foi derrubado há quatro anos não vai agora ser reconstruído". Contudo, continuou os avisos às forças à sua esquerda: "Não contem com o PS para fazer o que porventura desejaram que o PS fizesse", afirmou, dizendo que esta linha política que segue é um caminho que definiu desde 2014, altura em que chegou à liderança do partido.

Neste ponto, o líder socialista citou mesmo o dirigente histórico socialista Manuel Alegre: "O PS já é há suficientes anos um partido de esquerda para precisar de professores que lhe digam como se governa à esquerda".

Ou seja, segundo o líder dos socialistas, "o PS não dá aulas, mas também não as recebe, trabalhará em conjunto de igual para igual, com respeito por todos e em parceria".

Sobre o programa do Governo, este sábado conhecido, António Costa também teceu comentários: "Temos o nosso programa e é esse programa que iremos continuar a seguir. É um programa que tem quatro grandes desafios a que temos de responder: o das alterações climáticas, ao desafio demográfico, o desafio da transição para a cidade digital e o desafio do combate às desigualdades".

"Este mandato é para quatro anos e é para quatro anos que aqui estamos para servir Portugal e os portugueses", rematou.

António Costa sublinhou ainda a importância do secretário-geral adjunto no PS, agradecendo o trabalho feito por Ana Catarina Mendes, a quem agora José Luís Carneiro sucede no cargo.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório