Meteorologia

  • 19 MAIO 2024
Tempo
17º
MIN 12º MÁX 21º

Marcelo vai a Paris 2024 "quem quer que seja o primeiro-ministro"

O Presidente da República já decidiu e, "daqui a três anos", vai aos "[Jogos] Olímpicos e aos Paralímpicos, quem quer que seja o primeiro-ministro".

Marcelo vai a Paris 2024 "quem quer que seja o primeiro-ministro"
Notícias ao Minuto

19:44 - 12/08/21 por Notícias ao Minuto com Lusa

País Jogos Olímpicos

Marcelo Rebelo de Sousa assegurou, esta quinta-feira, que, "daqui a três anos", vai marcar presença nos "[Jogos] Olímpicos e nos Paralímpicos, quem quer que seja o primeiro-ministro".

O garantia foi deixada pelo Presidente da República durante a cerimónia de despedida da Missão Paralímpica de Portugal aos Jogos Paralímpicos Tóquio 2020, que decorreu esta tarde no Museu Nacional dos Coches, Lisboa.

O chefe de Estado disse ainda que o primeiro-ministro da altura "terá de se ajustar" à sua decisão. "Vou até aos limites dos poderes presidenciais", vincou. 

Marcelo expressou ainda um "lamento": "Tínhamos combinado [este] que o Primeiro-Ministro iria aos Jogos Olímpicos e eu aos Paralímpicos, não foi possível". 

O Presidente aproveitou a oportunidade para prometer apoio de todos os portugueses aos atletas lusos que vão participar nos Jogos Paralímpicos Tóquio2020: "Vamos vibrar convosco exatamente o mesmo que vibrámos com todos os demais que estão a representar a pátria, num espírito universal e fraternal de abertura e de diálogo".

O chefe de Estado lembrou que em período de pandemia "o desporto olímpico e paralímpico português tem conseguido converter dificuldades em sucessos" e classificou os atletas portadores de deficiência como "vencedores" e "construtores da democracia social".

"Se já é difícil ser-se os melhores olímpicos, é ainda mais difícil ser-se os melhores paralímpicos. Estar aqui é ser o exemplo de já serem vencedores numa luta feita a pulso, uma luta difícil, que é a luta de cultural, de uma sociedade que tem de se olhar ao espelho e aceitar-se como é. Isso é que é construir uma democracia social", afirmou.

Marcelo Rebelo de Sousa, que prometeu estar no regresso dos atletas paralímpicos para lhes manifestar "agradecimento e gratidão", destacou a importância da equiparação dos apoios e prémios de olímpicos e paralímpicos.

"Foram décadas de luta para os prémios dos paralímpicos serem equiparados aos dos olímpicos, parece que havia portugueses de primeira e de segunda, não parece, havia mesmo. Em boa hora o governo tomou esta decisão", referiu.

O presidente do Comité Paralímpico de Portugal, José Lourenço, também destacou a importância da equiparação dos prémios e garantiu que os atletas portugueses "vão para Tóquio com espírito de compromisso e missão".

Tiago Brandão Rodrigues, que tutela o Desporto, afirmou ser "um ministro cheio de orgulho e de esperança de que todos se possam superar" e deixou uma garantia aos atletas: "os portugueses já estão com o coração aberto para vos apoiar".

Portugal vai estar representado nos Jogos Paralímpicos Tóquio2020, que decorrem entre 24 de agosto e 5 de setembro, por 33 atletas, que competirão em oito modalidades.

Leia Também: Beatriz Monteiro e Miguel Monteiro são os porta-estandarte de Portugal

Recomendados para si

;
Campo obrigatório