Meteorologia

  • 19 SETEMBRO 2018
Tempo
19º
MIN 18º MÁX 20º

Edição

Desentendimento entre colegas leva homem a disparar arma de guerra

Suspeito foi detido pela presumível prática do crime de homicídio na forma tentada, em Alverca do Ribatejo. Vítima e agressor são colegas de trabalho.

Desentendimento entre colegas leva homem a disparar arma de guerra
Notícias ao Minuto

18:30 - 12/07/18 por Melissa Lopes 

País Vila Franca de Xira

O Comando Metropolitano de Lisboa, através da Divisão Policial de Vila Franca de Xira, deteve, esta terça-feira, em Alverca do Ribatejo, um homem de 32 anos por suspeita da prática do crime de homicídio na forma tentada.

A autoridade explica, em comunicado, que foi dado o alerta de que o suspeito havia atingido a tiro outro homem, de 24 anos. Através da indumentária e descrição do suspeito, o qual, estaria em fuga apeada e armado, os polícias da PSP, que se encontravam nas imediações, identificaram um indivíduo com correspondência à descrição dada.

Sabendo da possibilidade de este poder estar armado, sublinha a PSP, os agentes “rapidamente, delinearam uma estratégia para a abordagem em segurança, conseguindo surpreendê-lo e proceder à sua abordagem sem lhe deixar qualquer possibilidade de reação”.

Efetivamente o suspeito tinha na sua posse uma arma de fogo, “uma pistola semiautomática usualmente denominada de calibre de guerra (9mm), cujo uso se encontra restrito a forças de segurança e militares”, detalha a PSP.

Quanto à vítima, um colega de trabalho do agressor, foi atingida com um único disparo num dos membros inferiores, estando consciente enquanto era assistida no local pelas equipas de socorro. Foi o próprio quem esclareceu que o agressor era um colega de trabalho e que a situação teria resultado de um desentendimento entre ambos. O agredido foi estabilizado e posteriormente encaminhado ao hospital de Vila Franca de Xira para observação médica, encontrando-se livre de perigo de vida.

O agressor foi presente no Tribunal Judicial de Vila Franca de Xira, para primeiro interrogatório judicial, tendo-lhe sido aplicada a medida de coação mais gravosa de prisão preventiva

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório