Meteorologia

  • 27 FEVEREIRO 2024
Tempo
12º
MIN 9º MÁX 14º

Irão adverte que situação pode ficar incontrolável no Médio Oriente

O ministro dos Negócios Estrangeiros do Irão avisou hoje os Estados Unidos e Israel que a situação "pode tornar-se incontrolável" no Médio Oriente se não puserem "imediatamente fim aos crimes contra a humanidade e ao genocídio em Gaza".

Irão adverte que situação pode ficar incontrolável no Médio Oriente
Notícias ao Minuto

13:37 - 22/10/23 por Lusa

Mundo Médio Oriente

"Hoje, a região é como um barril de pólvora (...). Gostaria de alertar os Estados Unidos e o regime fantoche israelita que se não puserem imediatamente fim aos crimes contra a humanidade e ao genocídio em Gaza, tudo é possível a qualquer momento e a região pode tornar-se incontrolável", afirmou Hossein Amir-Abdollahian, numa declaração em Teerão com a sua homóloga sul-africana, Naledi Pandor.

A comunidade internacional receia um alastramento da guerra iniciada no passado dia 07 de outubro entre o movimento islamita Hamas e Israel e um maior envolvimento do Hezbollah libanês, aliado do Hamas apoiado pelo Irão.

Os Estados Unidos já anunciaram um reforço dos seus meios militares na região.

O ministro iraniano alertou que "qualquer erro de cálculo na continuação do conflito, do genocídio, do massacre e da migração forçada dos habitantes de Gaza e da Cisjordânia pode ter consequências pesadas" para a região e "contra os interesses dos países agressores".

A ministra sul-africana apelou para a comunidade internacional "prestar muito mais atenção" à situação dos palestinianos no contexto do "ataque vergonhoso" a Gaza.

Mais de 1.400 pessoas foram mortas em Israel, na maioria civis, num violento ataque lançado em 07 de outubro pelo Hamas em território israelita, segundo as autoridades locais.

Na Faixa de Gaza, pelo menos 4.651 palestinianos, maioritariamente civis, foram mortos nos bombardeamentos incessantes de Israel como retaliação, de acordo com as autoridades de saúde do Hamas, que controla o território palestiniano.

O Irão aplaudiu o ataque do Hamas, mas afirmou que não esteve envolvido no ocorrido.

Leia Também: Ministro russo Sergei Lavrov vai visitar o Irão na segunda-feira

Recomendados para si

;
Campo obrigatório