Meteorologia

  • 13 JUNHO 2024
Tempo
24º
MIN 14º MÁX 25º

AO MINUTO: Corte de gás? "Medida unilateral agressiva"; Preços aumentam

Acompanhe aqui AO MINUTO os mais recentes desenvolvimentos sobre a guerra na Ucrânia.

AO MINUTO: Corte de gás? "Medida unilateral agressiva"; Preços aumentam

Ao 63.º dia da invasão russa da Ucrânia, a petrolífera estatal russa Gazprom vai suspender o fornecimento de gás à Bulgária e à Polónia, perante a recusa em fazer os pagamentos em rublos. Já a Alemanha anunciou que pode ficar independente do petróleo russo em questão de dias e não só no final do ano, como foi anteriormente anunciado.

Ontem, o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, visitou Moscovo, onde se encontrou com o presidente russo, Vladimir Putin. Durante a reunião, Putin admitiu que a situação na cidade portuária de Mariupol, sitiada há mais de um mês pelas tropas russas, é “trágica”, mas espera um “resultado positivo” nas negociações com a delegação ucraniana.

Por cá, o Parlamento vai votar, na sexta-feira, um texto comum da Comissão de Negócios Estrangeiros de condenação pela invasão da Ucrânia e de apoio a "uma investigação independente para apurar responsabilidades sobre crimes de guerra".

Acompanhe aqui AO MINUTO os mais recentes desenvolvimentos sobre a guerra na Ucrânia:

15h30 -  Boa tarde. Terminamos por aqui a nossa cobertura AO MINUTO sobre a invasão na Ucrânia. Pode continuar a acompanhar as notícias até ao final do dia aqui.

15h00 - Número de refugiados ultrapassa os 5,3 milhões de pessoas
 
Mais de 5,3 milhões de ucranianos fugiram do país desde a invasão da Rússia, em 24 de fevereiro, um número que a ONU prevê que aumente para 8,3 milhões até ao final do ano.

15h00 - “Hoje Putin falhou novamente na sua tentativa de semear divisões entre Europeus”

A presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen, considerou esta quarta-feira que o presidente russo, Vladimir Putin, “falhou na sua tentativa de semear divisões entre Europeus”. Em causa está o facto de a petrolífera estatal russa ter anunciado a suspensão do fornecimento de gás russo à Bulgária e Polónia.

“Hoje Putin falhou novamente na sua tentativa de semear divisões entre Europeus. A era dos combustíveis fósseis russos na Europa chegará ao fim. Estamos determinados a fazer com que isto aconteça o mais depressa possível. A Europa está a avançar no domínio da energia”, escreveu na rede social Twitter.

14h51 - Proposta do PSD para visitar parlamento ucraniano foi adiada
 
A votação da proposta do PSD para uma visita de uma delegação da Assembleia da República ao parlamento ucraniano foi hoje adiada, mas já está autorizada uma reunião por videoconferência entre deputados dos dois países.

14h34 - Rússia expulsa três diplomatas noruegueses

A Rússia vai expulsar três diplomatas noruegueses do país, revelou esta quarta-feira o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Noruega à agência de notícias Reuters. A decisão surge semanas após Oslo ter tomado decisão semelhante em relação a diplomatas russos, na sequência da invasão russa da Ucrânia.

“O lado russo não tem qualquer base para acusar os diplomatas norueges de fazerem outra coisa que não seja o trabalho diplomático normal”, afirmou o Ministério.

14h25 - Polónia deteve russo e bielorrusso por suspeitas de espionagem

A polícia polaca deteve, na semana passada, dois cidadãos estrangeiros - um russo e um bielorrusso - por suspeitas de “realizar atividades de espionagem no território da Polónia” para a Rússia. Segundo um comunicado, divulgado esta quarta-feira pelo governo polaco, os suspeitos foram detidos pela Polícia Militar, após uma investigação do Serviço de Contra-inteligência Militar da Polónia (SKW).

14h23 - Pagamento de gás à Rússia em rublos viola sanções, diz Von der Leyen
 
A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, garantiu hoje que os pagamentos do gás russo em rublos é uma violação das sanções da União Europeia (UE) à Rússia, adotadas após a invasão da Ucrânia.

14h18 - Corte de gás é mais uma "medida unilateral agressiva" da Rússia
 
O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, considerou hoje que a decisão do grupo Gazprom de cortar o fornecimento de gás à Polónia e Bulgária constitui mais uma "medida unilateral agressiva" da Rússia e prometeu solidariedade entre os 27.

14h14 - Kremlin anuncia corte de gás a mais países se não pagarem em rublos
 
O Kremlin anunciou hoje, após o corte do fornecimento de gás russo à Polónia e à Bulgária, que o envio será interrompido igualmente a outros países, se não aceitarem o novo mecanismo de pagamento em rublos.

14h09 - Preço do gás sobe mais de 10% após cortes à Polónia e Bulgária
 
O preço do gás natural para entrega em maio no mercado holandês sobe hoje mais de 10%, depois de a Rússia cortar o fornecimento à Polónia e à Bulgária por terem recusado o pagamento em rublos.

13h44 - Quatro compradores europeus de gás russo pagaram em rublos
 
A exigência de pagamento de gás russo em rublos por Moscovo levou 10 compradores europeus de gás a abrirem contas na Gazprombank, sendo que quatro já pagaram fornecimentos na moeda russa, segundo fonte da gigante Gazprom.

13h40 - UE suspende todos os direitos sobre exportações ucranianas para a Europa
 
A Comissão Europeia propôs hoje a suspensão, por um ano, dos direitos sobre todas as exportações ucranianas para a União Europeia (UE), um "gesto de ajuda sem precedentes" para apoiar os produtores e exportadores ucranianos devido à guerra.

12h38 - Suspensão de gás “não é uma chantagem”, afirma Rússia

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, defendeu esta quarta-feira que a suspensão do gás russo não é uma “chantagem”. Sublinhe-se que a presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen, acusou hoje a Rússia de utilizar o fornecimento de gás como “um instrumento de chantagem”.

“A exigência de pagar pelo gás em rublos não é uma chantagem. A Rússia continua a ser um fornecedor de energia fiável”, afirmou Peskov, citado pela imprensa russa.

12h20 - República Checa critica Rússia e defende redução da dependência do gás
 
O primeiro-ministro checo, Petr Fiala, criticou hoje o corte pela Rússia do fornecimento de gás à Polónia e à Bulgária, defendendo ser urgente uma diminuição da dependência em relação a energia com origem na Rússia.

12h15 - "Histeria russofóbica". Rússia sanciona 287 deputados britânicos

O Ministério dos Negócios Estrangeiros russo anunciou, esta quarta-feira, que irá avançar com sanções contra 287 membros da Câmara dos Comuns do Reino Unido. A notícia é avançada pelo The Guardian, que cita a agência de notícias russa Interfax.

11h42 Grécia irá “ajudar” Bulgária após suspensão de gás russo

A Grécia “irá ajudar” a Bulgária no fornecimento de gás natural, após a suspensão da Rússia. A informação foi avançada pelo primeiro-ministro grego, Kyriakos Mitsotakis, ao seu homólogo búlgaro, Kiril Petkov.

“O primeiro-ministro disse que a Grécia vai ajudar a Bulgária a lidar com a nova situação causada pela decisão russa sobre a energia”, avançou o gabinete de Mitsotakis, sem adiantar mais pormenores. 

11h29 - Explosões na Rússia? São "karma", diz conselheiro de Zelensky

O conselheiro presidencial ucraniano, Mykhailo Podolyak, disse esta quarta-feira que as explosões ouvidas em três províncias da Rússia na fronteira com a Ucrânia são “karma” e vingança pela invasão.

“As razões para a destruição das infra-estruturas militares nas zonas fronteiriças (russas) podem ser bastante variadas”, escreveu na aplicação Telegram, acrescentando que "mais cedo ou mais tarde as dívidas terão de ser pagas" quando um país decide atacar outro país.

11h19 - Rússia anuncia saída da Organização Mundial do Turismo
 
A Rússia anunciou que se retira da Organização Mundial do Turismo (OMT), embora esta decisão não paralise o procedimento de suspensão como membro que a instituição está a debater hoje em Madrid numa assembleia extraordinária.

11h17 - Primeiro-ministro polaco diz que suspensão de gás é "uma vingança" da Rússia

O primeiro-ministro da Polónia, Mateusz Morawiecki, acredita que a suspensão do fornecimento de gás russo ao país é uma "vingança" de Moscovo pelas novas sanções impostas à Rússia por Varsóvia, que visam 50 oligarcas e empresas russas, entre as quais a petrolífera estatal Gazprom.

No parlamento polaco, o governante sublinhou que a Polónia “não se acobardará” pelo corte de gás e que o país está “seguro” devido aos esforços no sentido de garantir gás de outros países. 

10h58 - Polónia e Bulgária garantem que têm alternativas ao gás russo
 
A Polónia e a Bulgária garantiram hoje que conseguem continuar a fornecer gás aos consumidores apesar do corte anunciado pela empresa russa Gazprom, explicando ter alternativas e contar com a ajuda da União Europeia.

10h57 - Zelensky visita hospital e oferece iPhones e iPads a órfãos de Mariupol

Volodymyr Zelensky distribuiu cabazes, com produtos como iPhones ou iPads e condecorou os médicos do hospital pediátrico.

10h56 - Presidente do parlamento russo pede corte de gás a outros "países hostis"
 
O presidente da Câmara Baixa russa (Duma), Viacheslav Volodin, saudou hoje o corte do fornecimento de gás russo à Bulgária e à Polónia e pediu o alargamento da medida a "outros países hostis".

10h45 - Mulher russa rasgou bandeira da Ucrânia e ofendeu ucraniana na Suécia

Na Suécia, uma jovem ucraniana assistiu a uma mulher russa, de 70 anos, a rasgar a bandeira da Ucrânia, perto da embaixada russa, em Estocolmo. A idosa insultou a ucraniana, Helga Kaida, que divulgou o incidente na sua página do Facebook, onde partilhou não só fotos da mulher a pontapear o símbolo ucraniano como um vídeo da mesma a ofende-la constantemente. 

10h17 - Sérgio Sousa Pinto: "Excelente para quem tem como prioridade ser fotografado com Zelensky"

Sérgio Sousa Pinto respondeu, na CNN Portugal, à proposta do PSD que pretende que seja constituída uma delegação de deputados da Assembleia da República para visitarem o parlamento ucraniano.

10h05 - Ministério do Interior da Transnístria diz que região foi atacada pela Ucrânia

O Ministério do Interior da Transnístria afirmou esta quarta-feira que a região separatista e pró-russa foi atacada pelas forças ucranianas

Num comunicado, o autoproclamado governo revelou que “ontem à noite, vários drones foram vistos no céu sobre a aldeia de Kolbasna, região de Rybnitsa” e que as “aeronaves no território da Transnístria foram lançadas a partir da Ucrânia”.

Já hoje, pelas 08h45, “foram disparados tiros do lado ucraniano em direção à aldeia de Pridnestrovian”. “Neste momento, não foi recebida qualquer informação sobre vítimas”, acrescenta a nota.

O governo separatista acrescenta ainda que a aldeia de Kolbasna tem o maior depósito de munições da Europa, de acordo com especialistas. 

09h53 - Rússia diz ter destruído arsenal enviado do estrangeiro para a Ucrânia
 
O Exército russo disse hoje que destruiu uma "grande quantidade" de armamento que tinha sido enviado para as forças ucranianas pelos Estados Unidos e por vários países europeus.

09h30 - Ucrânia “preparada para possível escalada” de conflito na Transnístria

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, disse na terça-feira que as Forças Armadas da Ucrânia “estão preparadas” para uma “possível escalada” de conflito na Transnístria, território ocupado da República da Moldova.

“O objectivo é óbvio - desestabilizar a situação na região, ameaçar a Moldávia. Eles [russos] mostram que se a Moldávia apoiar a Ucrânia, haverá certos passos”, disse Zelensky em conferência de imprensa. 

Sublinhando que a Ucrânia tem conhecimento da presença de tropas russas “em constante prontidão” no território autoproclamado, Zelensky frisa que as “Forças Armadas da Ucrânia estão preparadas” e “não têm medo”.

09h16 - Von der Leyen acusa Rússia de usar gás como "instrumento de chantagem"

A presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen, acusou esta quarta-feira a Rússia de tentar usar o gás natural “como instrumento de chantagem”

09h12 - Renault deixa o mercado russo com opção de recompra dos ativos
 
Grupo automóvel francês decidiu desfazer-se de 68% das ações da fábrica da AvtoVaz, a maior da Rússia e da Europa de Leste, e 100% das da fábrica da Avtoframos, antiga Renault Russia.

09h10 - Fabricante de drones suspende operações na Rússia e na Ucrânia

A fabricante de drones DJI Technology anunciou que suspenderá as suas operações na Rússia e na Ucrânia, uma decisão tomada de forma a garantir que os seus produtos não são usados no atual conflito.

“A DJI abomina qualquer uso dos nossos drones para causar danos e vamos suspender temporariamente as vendas nesses países para ajudar a garantir que ninguém utiliza os nossos drones em combate”, pode ler-se no comunicado divulgado pela empresa e partilhado pela Reuters.

09h07 - Oficial: Grupo russo Gazprom suspende entregas de gás à Polónia e Bulgária
 
O grupo russo Gazprom anunciou hoje que suspendeu todas as suas entregas de gás à Bulgária e à Polónia, dois países membros da União Europeia por não terem feito o pagamento em rublos.

09h06 - As imagens da demolição da estátua do 'Arco da Amizade dos Povos'

A câmara municipal de Kyiv demoliu, na terça-feira, a estátua do ‘Arco da Amizade dos Povos’, monumento da era soviética que assinala a amizade entre russos e ucranianos, na sequência da invasão da Ucrânia pela Rússia. Veja as imagens.

08h43 - Kyiv reconhece avanço militar russo no leste da Ucrânia
 
O exército ucraniano reconheceu hoje o avanço das forças russas no leste da Ucrânia, após a tomada de várias localidades nas regiões de Kharkiv e do Donbass.

08h40 - Após suspensão de fornecimento, Bulgária acusa Rússia de usar gás como “arma política”

O ministro da Energia da Bulgária, Alexander Nikolov, acusou esta quarta-feira a Rússia de usar o gás como “arma política e económica”. Em causa está o facto de a petrolífera estatal russa Gazprom suspender, a partir de hoje, o fornecimento de gás à Bulgária e à Polónia, perante a recusa em fazer os pagamentos em rublos.

“Neste momento, o gás natural está a ser usado como uma arma política e económica na guerra atual”, disse o ministro em conferência de imprensa.

O governante acusou ainda a Gazprom de violar o contrato que tem com a Bulgária, alegando que já pagou o fornecimento do gás na totalidade para o mês de abril.

08h24 - Ex-dirigente da ONU diz que guerra pode levar ao fim das Nações Unidas
 
Franz Baumann, ex-secretário-geral Adjunto da ONU, disse hoje à Lusa que teme que a guerra iniciada pelo Rússia na Ucrânia leve ao fim das Nações Unidas, pedindo uma maior ação do secretário-geral, António Guterres.

07h37 - Rússia fala de explosões em depósito de armas junto à fronteira
 
O governador da região russa de Belgorod, Viacheslav Gladkov, anunciou hoje que foram registadas explosões, na sequência de um incêndio num depósito de armas numa cidade localizada junto à fronteira com a Ucrânia.

07h36 - Metsola não exclui nova emissão de dívida conjunta na UE
 
A presidente do Parlamento Europeu não exclui nova emissão de dívida conjunta na União Europeia (UE) para responder aos picos de preços causados pela guerra da Ucrânia e investir em defesa, embora preferindo utilizar "fundos não gastos".

07h35 - Pior erro da União Europeia seria não abrir a porta aos ucranianos, diz Metsola
 
A presidente do Parlamento Europeu, Roberta Metsola, considera em entrevista à Lusa que "o pior erro" da União Europeia (UE) seria "não abrir a porta aos ucranianos", após a solicitação da Ucrânia para aderir ao bloco comunitário.

07h35 - Presidente do Parlamento Europeu defende "embargo total" ao petróleo, gás e carvão russo
 
A presidente do Parlamento Europeu (PE), Roberta Metsola, defende um "embargo total" pela União Europeia (UE) ao petróleo, gás e carvão russo, devido à guerra na Ucrânia, considerando que o apoio europeu a Kyiv "ainda não é suficiente".

07h34 - Fabricante de armas dos EUA adia produção de mísseis por falta de peças
 
A fabricante de armas norte-americana Raytheon Technologies não vai retomar a produção de mísseis antiaéreos Stinger - enviados para a Ucrânia pelo Ocidente - antes de 2023, devido à falta de peças, alertou na terça-feira o diretor-executivo.

07h33 - Rússia condena Wikimedia a multa por conteúdo "falso" sobre a invasão
 
Um tribunal de Moscovo impôs na terça-feira uma multa de três milhões rublos, quase 37.800 euros, à Wikimedia, parceira da Wikipedia, por conteúdo "falso" sobre a chamada operação militar especial na Ucrânia, noticia a agência russa de notícias.

07h32 - EUA alertam para tentativas de aumentar tensões na região da Transnístria
 
Os Estados Unidos alertaram terça-feira para as tentativas de "aumentar as tensões" na região separatista moldava pró-russa da Transnístria, na fronteira com a Ucrânia, após uma série de explosões que suscitaram o receio de um alastramento da guerra.

07h31 - Rússia e China criticam resolução sobre veto no Conselho de Segurança
 
A Rússia e a China criticaram a resolução, aprovada na Assembleia-Geral da ONU, que visa reduzir o uso do veto no Conselho de Segurança, enquanto o Brasil e a Índia exigiram uma reforma do conselho.

07h30 - Austrália vai enviar canhões e munições para apoiar Kyiv
 
A Austrália anunciou hoje o envio para a Ucrânia de seis canhões M777 Howitzer e munições, para reforçar a resposta do país europeu à invasão russa.

07h29 - Transnístria pede à Moldova e à Ucrânia que "preservem a paz"
 
O presidente da Transnístria, Vadim Krasnoselski, apelou às autoridades da Moldova e da Ucrânia que "preservem a paz", após uma série de explosões em Tiraspol, capital da região separatista moldava pró-russa.

07h25 - Para recordar: 

07h00 - Bom dia! Damos início ao acompanhamento AO MINUTO desta quarta-feira sobre a invasão russa na Ucrânia. Pode recordar o registo anterior neste link.

Recomendados para si

;
Campo obrigatório