Meteorologia

  • 13 JULHO 2024
Tempo
25º
MIN 15º MÁX 25º

AO MINUTO: Kremlin "planeia referendos"; EUA vão reabrir embaixada?

Acompanhe aqui AO MINUTO os mais recentes desenvolvimentos sobre a guerra na Ucrânia.

AO MINUTO: Kremlin "planeia referendos"; EUA vão reabrir embaixada?

Vamos continuar a acompanhar o 63.º dia da invasão russa da Ucrânia, num dia que é marcado pelo anúncio do corte de gás por parte da empresa russa Gazprom à Bulgária e à Polónia, por falta do pagamento em rublos. Apesar de alguns países optarem por não ceder às exigências russas, 10 compradores europeus de gás já abriram contas na Gazprombank, sendo que quatro já pagaram fornecimentos na moeda russa, foi hoje anunciado.

No contexto deste conflito, neste momento já mais de 5,3 milhões de refugiados ucranianos fugiram do país um número que a ONU prevê que aumente para 8,3 milhões até ao final do ano. Também esta quarta-feira a ONU confirmou que pelo menos 2.787 civis morreram e 3.152 ficaram feridos na guerra da Ucrânia, sublinhando que os números reais poderão ser muito superiores.

Acompanhe aqui AO MINUTO os mais recentes desenvolvimentos sobre a guerra na Ucrânia:

00h00 - Boa noite. Terminamos o acompanhamento AO MINUTO dos acontecimentos mais recentes da guerra na Ucrânia. Pode continuar a acompanhar as principais notícias deste conflito esta quinta-feira de manhã.

23h59 - Suspensão dos direitos aduaneiros pela UE apoiará economia "ao máximo", diz Zelensky

A proposta da Comissão Europeia de suspender, por um ano, os direitos sobre todas as exportações ucranianas para a União Europeia (UE) permitirá "apoiar ao máximo a atividade económica", referiu hoje o Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky.

"Esta [medida] permitir-nos-á apoiar a atividade económica tanto quanto possível na Ucrânia e preservar a nossa produção nacional", frisou Zelensky numa mensagem de vídeo divulgada na rede social Telegram.

23h54 - Pentágono diz que ameaças com energia nuclear são "irresponsáveis"

O porta-voz do Pentágono classificou, esta quarta-feira, como "irresponsáveis" as declarações do ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, que disse que o risco de existir uma guerra nuclear era "sério" e "real".

"A retórica que continuamos a ouvir dos líderes russos - e, recentemente, do ministro Lavrov, que aumentou o espetro  de confrontação nuclear - é irresponsável", disse John Kirby aos jornalistas.

23h50 - Rússia expulsa três diplomatas noruegueses e oito japoneses

A Rússia anunciou hoje a expulsão de oito diplomatas japoneses e três noruegueses, em resposta a uma decisão semelhante tomada recentemente pelos dois países contra diplomatas russos, na sequência da ofensiva russa na Ucrânia.

23h45 - Parlamento do Canadá classifica atos da Rússia na Ucrânia como "genocídio"

O parlamento do Canadá votou por unanimidade, esta quarta-feira, que os ataques da Rússia na Ucrânia devem ser considerados “genocídio”, isto tendo em conta a “ampla evidência de crimes de guerra sistémicos e maciços contra a humanidade”.

23h35 - Itália insiste em pagar gás russo em euros e pressiona por ação europeia

O ministro dos Negócios Estrangeiros italiano, Luigi Di Maio, insistiu hoje em continuar a pagar o gás russo em euros e não em rublos, como exige o Kremlin, pressionando por uma ação europeia.

"O pedido russo de pagar o gás em rublos é uma violação do contrato. Vamos tomar uma decisão a nível europeu, mas os nossos contratos preveem o pagamento em euros e queremos para em euros", defendeu o governante em Estrasburgo (França).

23h30 - Ministros europeus da Energia reúnem-se em "sessão extraordinária"

Os governantes europeus responsáveis pelo setor da Energia vão reunir-se na próxima segunda-feira numa "sessão extraordinária", anunciou hoje à noite a ministra da Transição Ecológica francesa, Barbara Pompili.

23h21 - Socorristas ucranianos resgatam cisne ferido

Mesmo em conflito, os Serviços de Emergência da Ucrânia partilham frequentemente resgates de animais, também eles afetados pela guerra. Esta quinta-feira, o organismo revelou ter salvado um cisne ferido, sublinhando que “a beleza salvará o mundo”.

23h00 - Kyiv pede no Conselho de Segurança justiça por crimes de tropas russas

A vice-ministra das Relações Exteriores ucraniana, Emine Dzhaparova, apelou hoje no Conselho de Segurança a que as relações com a Rússia não sejam reatadas antes de ser feita justiça pelos crimes das tropas russas em solo ucraniano.

22h29 - Reino Unido faz declaração mais clara até agora sobre os objetivos de guerra britânicos

A ministra dos negócios estrangeiros britânica, Liz Truss, disse esta quarta-feira, num discurso em Londres, que as forças russas devem ser expulsas de "toda a Ucrânia", sendo esta, segundo a BBC, a declaração mais clara até agora dos objetivos de guerra do Reino Unido.

A governante deixou ainda claro que o Ocidente deveria fazer mais para impedir futuras agressões russas, gastando mais em defesa e usando a sua influência económica para excluir a Rússia dos mercados ocidentais.

Quanto às capacidades de defesa, estas deveriam ser reforçadas não apenas na Ucrânia, mas também em outros países ameaçados, como a Moldova e a Geórgia.

Elogiou também o esforço que está a ser feito para ajudar a Ucrânia, realçando que “diante de uma terrível barbárie e crimes de guerra, que esperávamos terem sido consignados à história, o mundo livre uniu-se à Ucrânia na sua corajosa luta pela liberdade e autodeterminação”.

Por fim, numa perspectiva mais económica do conflito, a ministra falou ainda sobre o facto da China se recusar a condenar a invasão da Ucrânia, enquanto aumenta as importações provenientes da Rússia. "A China não é impermeável. Não continuará a crescer se não seguir as regras. A China precisa do comércio com o G7. Representamos cerca de metade da economia global. E temos escolhas. Mostrámos, com a Rússia, o tipo de escolhas que estamos preparados para fazer quando as regras internacionais são violadas", acrescentou.

22h00 - Agressores sexuais na Ucrânia terão entre 20 a 25 anos, diz comissária

A comissária dos Direito Humanos da Ucrânia, Liudmyla Denisova, deu uma entrevista ao canal de televisão ucraniano Suspilne, durante a qual referiu que, entre 1 e 14 de abril, foram denunciados mais de 400 alegados crimes de violência sexual, que terão sido cometidos por membros das tropas russas.

Segundo conta Denisova ao Insider, a maioria das denúncias envolvia jovens soldados entre o 20 e os 25 anos. "Isto é, aqueles que cresceram sob as regras de Putin, com a sua propaganda", especifica.

21h50 - Kremlin "planeia referendos" no leste da Ucrânia

A Rússia planeia realizar 'referendos' nas cidades do leste ucraniano de Donets e Luhansk, de acordo com a agência de notícias Meduza.

Segundo a agência os referendos serão realizados em meados de maio, apesar de já terem sido adiados devido aos combates, sendo que também podem ocorrer na região de Kherson.

21h30 - O secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, disse ao Congresso hoje que o país está a trabalhar na reabertura da sua embaixada na Ucrânia

Na sua intervenção o governante disse: “Acho que isso vai acontecer nas próximas semanas”.

Acrescentou ainda que há “relatos muito confiáveis” de que os russos estão “a armadilhar coisas como máquinas de lavar e brinquedos para que, quando as pessoas puderem voltar para casa e continuar suas vidas, sejam mortas ou feridas”.

21h20 - Agência para Migrações a cargo da ministra dos Assuntos Parlamentares

O ministro da Administração Interna revelou hoje que a Agência Portuguesa para as Migrações e Asilo (APMA), entidade que ficará com as competências de natureza administrativa do SEF, vai ficar na tutela da ministra Adjunta e dos Assuntos Parlamentares.

José Luís Carneiro justificou o atraso neste processo com as eleições e a guerra na Ucrânia que "trouxe um nível de complexidade do ponto de vista logístico e do ponto de vista aos fluxos migratórios que naturalmente limitou a capacidade de ação do Governo e de execução".

21h00 - Ministro da Defesa da Ucrânia alerta para "semanas extremamente difíceis"

"Esperam-nos semanas extremamente difíceis", preveniu o ministro da Defesa ucraniano, Oleksii Reznikov, através de um comunicado no Facebook, apelando à "resiliência e unidade" dos ucranianos após mais de dois meses de conflito com a Rússia.

20h49 - Um relatório da Microsoft diz que hackers russos apoiados pelo Estado realizaram ataques informáticos “implacáveis ​​e destrutivos”

No relatório da gigante tecnológica, a Microsoft informa que observou quase 40 ataques, “que visam centenas de sistemas”.

“Os ataques não apenas degradaram os sistemas de instituições na Ucrânia , mas também procuram interromper o acesso das pessoas a informações confiáveis ​​e serviços vitais de que os civis dependem, tentaram ainda abalar a confiança na liderança do país. Também observamos atividade limitada de ataque de espionagem envolvendo outros estados membros da NATO e alguma atividade de desinformação”, relata a Microsoft.

20h42 - Artista em Colónia, na Alemanha, faz um poster gigante e coloca-o na lateral de uma casa contra as ações de Vladimir Putin

O autor da obra é Thomas Baumgärtel que normalmente utiliza bananas nas suas obras de arte, que estão em paredes um pouco por todo o mundo.

20h37 - Blinken diz que guerra evidenciou poder da diplomacia norte-americana

O secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, afirmou hoje que a invasão russa na Ucrânia "destacou o poder e o propósito da diplomacia" dos Estados Unidos (EUA), frisando estar "orgulhoso" do papel do seu país.

20h30 - Autarcas ucranianos pedem ajuda à UE para a reconstrução das cidades

O presidente da Câmara de Mariupol, Vadym Boychenko, pediu, esta quarta-feira, ajuda financeira da Europa para reconstruir a cidade, praticamente devastada pelos ataques do exército russo, que continua o cerco à fábrica Azovstal.

19h39 - Espanha proíbe escala de navio maltês com carga de uma embarcação russa

A Espanha proibiu hoje o acesso às suas águas territoriais a um navio maltês que transportava carga de uma embarcação russa proibida de entrar nos portos europeus devido às sanções impostas à Rússia desde a invasão da Ucrânia.

19h36 - Intervenção de Guterres foi "cuidadosa". É esperar para ver, diz Marcelo

O Presidente da República considerou que o secretário-geral das Nações Unidas foi "cuidadoso" ao dizer que "era difícil convencer o presidente Putin" e que, desta forma, a sua intervenção na mediação do conflito entre a Ucrânia e a Rússia "baixou as expetativas"  numa eventual resolução do conflito. "Mas que persistia [António Guterres] com a ideia de ser possível haver alguns corredores humanitários", acrescentou.

19h30 - Embaixada austríaca regressa a Kyiv

O anúncio foi feito pelo próprio ministério dos negócios estrangeiros que mostrou uma fotografia dos trabalhadores da embaixada a colocarem de novo a bandeira da Áustria no edifício da embaixada em Kyiv.

19h25 - Mais de 400 feridos retidos na fábrica de Mariupol, segundo médico militar

Mais de 400 feridos, civis e militares, encontram-se retidos na fábrica metalúrgica Azovstal na cidade ucraniana de Mariupol, sitiada pelo exército russo, disse hoje um médico do batalhão Azov, do exército da Ucrânia.

O médico, identificado apenas como Hassan, disse à televisão estatal ucraniana que o número de feridos está constantemente a aumentar, porque o "fogo de artilharia, bombardeamentos e disparos de foguetes não param por um momento".

19h05 - Divulgado vídeo do ataque ao hospital na região de Sievierodonetsk, em Luhansk

O vídeo foi divulgado pela agência NEXTA que afirma que a vítima mortal foi do sexo feminino. Veja aqui o vídeo:

18h53 - Volodymyr Zelensky agradece à Comissão Europeia a suspensão de todas taxas de importação associadas a bens vindos da Ucrânia e pede embargo de petróleo

Recorrendo às redes sociais Zelensky informa que falou com Ursula von der Leyen. Foram ainda discutidos mais apoios nomeadamente o 6.º pacote de sanções, que "deve incluir o embargo de petróleo", segundo o governante.

18h48 - Membro de banco privado abandona Rússia para lutar na Ucrânia

O vice-presidente do maior banco privado russo, Gazprombank, terá deixado o cargo para regressar à Ucrânia, onde nasceu, e participar no conflito.

"Eu não podia mais estar na Rússia. A minha nacionalidade é ucraniana, nasci em Akhtyrka, não conseguia mais olhar para o que a Rússia está a fazer à minha terra natal", contou Igor Volobuev ao jornal russo independente The Insider.

18h40 - Ucrânia afirma ter atacado ponto de controlo e sistema antiaéreo russo na Ilha das Serpentes

Num comunicado nas redes sociais, as Forças Armadas da Ucrânia afirmam que “realizaram ataques aéreos às posições inimigas” na Ilha das Serpentes, sendo que as baixas nas tropas russas ainda estão a ser "clarificadas".

Esta ilha do Mar Negro tornou-se um símbolo da resistência ucraniana no início da invasão depois de militares ucranianos terem dito a um Navio russo: "Navio russo, vão-se lixar!" através do rádio, isto enquanto as tropas russas ameaçavam bombardeá-los.

18h35 - Polónia anuncia medidas legais contra a Rússia por corte de gás

O presidente polaco, Andrzej Duda, disse hoje que o seu país acolheu "tranquilamente" o corte de gás natural russo e anunciou que as empresas afetadas pela "violação de contratos" agirão judicialmente contra a Rússia.

18h25 - Polónia deteve um russo e um bielorrusso por espionagem a favor da Rússia

Um homem russo e outro bielorrusso foram detidos na Polónia, na semana passada, acusados de espionagem a favor dos serviços de informações especiais da Rússia, informaram hoje as autoridades de segurança polacas.

18h17 - Canadá sanciona 203 pessoas relacionadas com Donetsk e Lugansk

O Canadá reforçou hoje a sua campanha de sanções à Rússia pela invasão da Ucrânia, impondo novas medidas a 203 pessoas envolvidas na criação das chamadas repúblicas de Donetsk e Lugansk, no leste do território ucraniano.

18h15 - Comissão Europeia quer suspender taxas de produtos ucranianos importados

A Comissão Europeia propôs, esta quarta-feira, a suspensão de todas taxas de importação associadas a bens vindos da Ucrânia que não estejam abrangidos por um acordo de comércio livre.

18h14 - Poderes e recursos das Nações Unidas usados na resolução de conflitos

A Assembleia-Geral da ONU aprovou esta semana uma resolução para obrigar os seus membros a debater qualquer questão vetada no Conselho de Segurança, após a Rússia ter impedido a condenação da sua invasão da Ucrânia.

18h11 - Rússia quer usar Transnístria para atacar a Moldova, avisa Ucrânia

A tensão continua a aumentar na Transnístria, região separatista na Moldova, onde têm sido relatadas uma série de explosões. Esta quarta-feira, a Ucrânia alertou que a Rússia está a usar a região para atacar a Moldova

18h10 - Ministro diz que guerra mostra a urgência da transição energética

O ministro do Ambiente e da Ação Climática disse hoje que a guerra na Ucrânia sublinha a urgência da transição energética, para que a energia deixe de servir para "chantagear a democracia e a liberdade".

18h00 - O Reino Unido enviou mais de 5.000 mísseis antitanque para a Ucrânia, segundo o ministério da defesa britânico

Segundo um anúncio feito esta quarta-feira pela tutela, o Reino Unido enviou mais de 5.000 mísseis antitanque para as forças ucranianas, juntamente com 1.360 munições anti-estrutura.

Em um comunicado, o ministério disse: "O Reino Unido continua a fornecer ajuda militar, enquanto a Ucrânia luta contra a invasão ilegal do presidente Putin".

No total, 4,5 toneladas de explosivos e cinco sistemas de defesa aérea foram enviados para a Ucrânia.

17h30 - “As negociações têm estado muito lentas e muito complexas”, segundo Guterres

Ainda na conferência de imprensa o secretário-geral da ONU afirmou esperar “que um dia a paz regresse a estas terras”, referindo-se à Ucrânia, e que a “hipótese nuclear tem de ser impensável”.

Confessou ainda ter dito a Putin "que consideramos que houve uma invasão", mas que "nunca são conseguidos todos os objetivos" nos encontros com com o líder da Federação Russa.

Afirmou que quer ser um “mensageiro da paz e arranjar soluções" apesar de destacar ter a "humildade de perceber" que pode não conseguir "convencer totalmente Putin”.

17h12 - Há "acordo de princípio do presidente Putin" para retirada de civis de Azvotal, em Mariupol, diz Guterres

Ao chegar a Kyiv, António Guterres falou, no hotel onde vai ficar alojado, aos jornalistas sobre a situação em Mariupol nomeadamente na siderurgia em Azovstal. 

"Neste momento estão a decorrer negociações entre as Nações Unidas e o ministério da Defesa Russo e as autoridades ucranianas no sentido de ver as modalidades concretas para a evacuação" de civis, começou por dizer, referindo que "houve um acordo de princípio com o presidente Putin em que ficou acordado que os detalhes seriam discutidos nestas reuniões que estão a decorrer neste momento".

Segundo Guterres, a operação de resgate dos civis retidos em Azovstal é “particularmente delicada” e deverá ser realizada na sexta-feira, desde que haja condições para tal. “O objetivo era fazer esta operação na sexta-feira. Era o nosso objetivo. Mas naturalmente é preciso que as condições estejam criadas. O nosso objetivo é a sexta-feira, mas não posso garantir porque estamos ainda a discutir as modalidades”, ressalvou.

17h00 - A Rússia foi suspensa da World Tourism Organization (a organização da ONU para o turismo)

A Rússia foi suspensa da World Tourism Organization (UNWTO) na primeira sessão extraordinária da sua Assembleia Geral.

Recorrendo ás redes sociais o MNE ucraniano Dmytro Kuleba diz estar "grato a todos os membros que apoiaram este movimento". Acrescentou ainda que a "única direção de viagem para criminosos de guerra russos deveria ser Haia", onde se localiza o Tribunal Internacional.

16h40 - Comandante em Mariupol pede evacuação como foi feita em Dunkirk, na segunda guerra mundial

Um fuzileiro naval ucraniano escondido dentro da siderúrgica Azovstal de Mariupol recorreu às redes sociais para dizer que a situação dentro da fábrica está a ficar cada vez pior e pediu aos líderes mundiais uma evacuação como a feita em Dunkirk, na segunda guerra mundial.

16h17 - António Guterres já está na Ucrânia

O secretário-geral da ONU recorreu ao Twitter para anunciar que tinha chegado à Ucrânia. Na rede social, o governante disse que pretende continuar o trabalho para "expandir o apoio humanitário e garantir a evacuação de civis das zonas de conflito".

Afirmou ainda que "quanto mais cedo esta guerra terminar, melhor – pelo bem da Ucrânia, da Rússia e do mundo".

16h00 - Russos bombardearam hospital em Sievierodonetsk

De acordo com o governador de Luhansk, Serhiy Haidai, citado pelo jornal The Kyiv Independent este hospital atacado era um dos dois hospitais que ainda funcionavam em Luhansk. O ataque terá resultado na morte de uma pessoa, segundo a mesma fonte.

15h50 - Kasparov condena palavras de Djokovic: "A Rússia mata por nacionalidade"

Garry Kasparov recorreu, esta quarta-feira, às redes sociais para condenar as mais recentes palavras de Novak Djokovic, que defendeu que a organização do torneio de Wimbledon tinha errado ao proibir a participação de tenistas russos e bielorrussos.

15h40 - Intervenção internacional na Ucrânia? Putin preparou resposta "imediata"

O presidente da Rússia reiterou, esta quarta-feira, que qualquer tentativa por parte de outros países de interferir em território ucraniano iria desencadear uma resposta rápida por parte do Kremlin.

15h30 - ONU confirma 2.787 civis mortos e 3.152 feridos na Ucrânia

A ONU confirmou hoje que pelo menos 2.787 civis morreram e 3.152 ficaram feridos na guerra da Ucrânia, 63 dias após o início da invasão russa, sublinhando que os números reais poderão ser muito superiores.

15h28 - Sanções russas? Deputados devem considerá-las uma "medalha de honra", diz Boris

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, afirmou, esta quarta-feira, que os 287 deputados britânicos - alguns já fora do ativo - sancionados pela Rússia devem considerar as sanções uma “medalha de honra”.

15h27 - Menina do filme 'Lista de Schindler' ajuda refugiados e pede donativos

Oliwia Dabrowska representou a única personagem que surgia a cores no filme de sobre o Holocausto. Quase 30 anos depois, pede ajuda para os refugiados da guerra na Ucrânia.

15h20 - Quatro compradores europeus de gás russo pagaram em rublos

A exigência de pagamento de gás russo em rublos por Moscovo levou 10 compradores europeus de gás a abrirem contas na Gazprombank, sendo que quatro já pagaram fornecimentos na moeda russa, segundo fonte da gigante Gazprom.

15h10 - Para recordar:

  • Número de refugiados ultrapassa os 5,3 milhões de pessoas. Mais de 5,3 milhões de ucranianos fugiram do país desde a invasão da Rússia, em 24 de fevereiro, um número que a ONU prevê que aumente para 8,3 milhões até ao final do ano.
  • “Hoje Putin falhou novamente na sua tentativa de semear divisões entre Europeus”. A presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen, considerou esta quarta-feira que o presidente russo, Vladimir Putin, “falhou na sua tentativa de semear divisões entre Europeus”. Em causa está o facto de a petrolífera estatal russa ter anunciado a suspensão do fornecimento de gás russo à Bulgária e Polónia.
  • Proposta do PSD para visitar parlamento ucraniano foi adiada. A votação da proposta do PSD para uma visita de uma delegação da Assembleia da República ao parlamento ucraniano foi hoje adiada, mas já está autorizada uma reunião por videoconferência entre deputados dos dois países.
  • Rússia expulsa três diplomatas noruegueses. A Rússia vai expulsar três diplomatas noruegueses do país, revelou esta quarta-feira o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Noruega à agência de notícias Reuters.

15h00 - Boa tarde. Continuamos aqui o acompanhamento AO MINUTO da invasão das tropas russas na Ucrânia. Pode recordar os acontecimento desta manhã aqui.


  
  

Recomendados para si

;
Campo obrigatório