Meteorologia

  • 04 DEZEMBRO 2022
Tempo
MIN 8º MÁX 14º

AO MINUTO: Melitopol tem nova autarca; 79 crianças mortas durante invasão

Acompanhe aqui AO MINUTO os mais recentes desenvolvimentos sobre a guerra na Ucrânia.

AO MINUTO: Melitopol tem nova autarca; 79 crianças mortas durante invasão

Naquele que é já o 17.º dia de invasão russa à Ucrânia, as atenções estão concentradas nos corredores humanitários estabelecidos para a evacuação de várias cidades ucranianas. É o caso de Mariupol, que tem vindo a ser alvo de bombardeamentos constantes por parte do exército de Moscovo, e da região de Sumy, no nordeste do país.

Este sábado fica ainda marcado pelos receios associados a uma eventual invasão russa sobre Kyiv, que pode estar para breve. Segundo o autarca da cidade, as autoridades estão já a armazenar medicamentos, produtos e bens de primeira necessidade, numa altura em que as tropas de Vladimir Putin já bombardeiam os arredores da capital.

Ainda assim, apesar da situação precária vivida em muitas cidades ucranianas, o fluxo de refugiados decorrente desta guerra começa, agora, a diminuir. A informação foi divulgada pela Organização das Nações Unidas (ONU), que dá conta de cerca de 2,6 milhões de pessoas que já fugiram do conflito, de acordo com a mais recente contabilização.

Acompanhe aqui AO MINUTO os mais recentes desenvolvimentos sobre a guerra na Ucrânia:

00h00 - Boa noite! Termina aqui o acompanhamento AO MINUTO do conflito entre a Rússia e a Ucrânia deste sábado, retomaremos um novo registo na manhã de domingo. 

23h38 - Central nuclear de Chernobyl a funcionar com geradores. Funcionários vivem no local desde invasão

As reparações ao sistema elétrico de Chernobyl, danificado durante um ataque russo no passado dia 9 de março, estão em curso, adiantou este sábado a Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA). Isto numa altura em que a central nuclear está dependente de geradores externos, a diesel, para manter os seus reatores em funcionamento.

A empresa operadora das centrais nucleares da Ucrânia, a Energoatom, disse ainda à AIEA que 211 funcionários e guardas de Chernobyl estão a viver na central "desde o dia anterior à tomada do controlo pelas forças russas".

23h16 - Reino Unido vai dar cerca de 420 euros por mês a quem acolher refugiados

Os britânicos que acolherem refugiados ucranianos em suas casas durante, pelo menos, seis meses receberão cerca de 420 euros (350 libras) por mês do governo, noticia a Sky News.

O anúncio foi feito pelo secretário de Estado Michael Gove, que apresentou assim o projeto "Casas para a Ucrânia". No âmbito do mesmo, o governo propõe que cada candidato - que podem ser empresas, instituições de caridade ou particulares - possam receber um refugiado ucraniano (ou até mesmo uma família inteira) em suas casas.

23h07 - Após ser controlada pela Rússia, Melitopol tem agora nova presidente da Câmara

A administração regional de Zaporozhye diz que foi instalada uma nova presidente da Câmara na cidade ucraniana de Melitopol, que está sob controlo militar russo, depois do presidente eleito ter sido detido na sexta-feira, reporta a CNN.

A nova autarca será Galina Danilchenko, antigo membro do Conselho Municipal, de acordo com uma declaração publicada no website da administração regional de Zaporozhye. Apesar de não ter sido eleita pelos cidadãos locais, Danilchenko foi já anunciada como autarca em exercício na televisão local, refere a mesma declaração.

23h01 - Sete civis mortos em Kyiv "não estavam a utilizar o corredor humanitário acordado", admitem autoridades ucranianas

Os sete civis que foram abatidos quando as forças russas atacaram um grupo de pessoas que fugia da aldeia de Peremoha, localizada nas proximidades de Kyiv, "não estavam a utilizar o corredor humanitário acordado", admitiu o Ministério da Defesa da Ucrânia, citado pela Sky News.

A informação agora avançada vem, assim, contradizer a anteriormente divulgada pelos serviços de informação da Ucrânia.

22h35 - Zelensky pediu a primeiro-ministro israelita para ajudar com libertação de autarca de Melitopol

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, falou este sábado com Naftali Bennett, o primeiro-ministro israelita. Nesta conversa, foram abordadas as temáticas relacionadas com a "agressão russa" e com as "perspetivas para conversações de paz", informa o chefe de Estado ucraniano através de uma publicação no Twitter.

"Temos de acabar com as repressões contra civis: pedi para ajudar na libertação do presidente da Câmara cativo de Melitopol e de figuras públicas locais", explicou ainda Zelensky.

22h28 - 79 crianças mortas desde o início da guerra na Ucrânia

Pelo menos 79 crianças morreram desde o início da guerra na Ucrânia, segundo um relatório divulgado este sábado pela Procuradoria Geral da Ucrânia. De acordo com o mesmo, mais de 100 crianças terão ficado feridas desde então.

"Todas as mortes e ferimentos serão documentados, investigados por procuradores juvenis e faremos o nosso melhor para levar à justiça cada criminoso de guerra", garantiu a mesma entidade.

22h16 - Lituânia será próximo alvo da Rússia, dizem autoridades ucranianas

O secretário do Conselho Nacional de Segurança e Defesa da Ucrânia, Oleksiy Danilov, diz que a Lituânia tornar-se-á o próximo alvo de Vladimir Putin, caso a Rússia vença a guerra na Ucrânia, noticia o The Kyiv Independent.

21h50 - Rússia planeia assumir controlo permanente da central de Zaporizhzhia, diz AIEA

A Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) avançou que a Ucrânia lhe transmitiu que a Rússia planeia assumir o controlo total e permanente da central nuclear de Zaporizhzhia, noticia a Sky News. No entanto, os russos negam estas alegações.

"O presidente da Energoatom [Companhia Nacional de Produção de Energia Nuclear da Ucrânia], Petro Kotin, disse numa carta enviada ao diretor-geral que cerca de 400 soldados russos estavam 'presentes a tempo inteiro no local' [em Zaporizhzhia)]", revela a AIEA.

21h37 - "Kyiv é sempre bonita, mesmo em tempo de guerra"

Mykhailo Podolak, conselheiro do presidente ucraniano, divulgou um vídeo no Twitter, na tarde deste sábado, onde surge a passear pelas ruas de Kyiv com dois outros membros da equipa de Volodymyr Zelensky. "Kyiv é sempre bonita, mesmo em tempo de guerra", afirmam.

21h35 - Ajuda ainda vai "a caminho" de Mariupol

Anteriormente, tínhamos dado conta de que vários autocarros destinados a possibilitarem a fuga de civis, bem como comboios repletos de material de ajuda humanitária, estavam a caminho de várias cidades ucranianas.

De acordo com a BBC, o vice-presidente da Câmara de Mariupol, Serhiy Orlov, diz que a cidade ainda está à espera que essa mesma ajude chegue, a qual partiu de Zaporizhzhya.

21h12 - Corredores humanitários ajudaram 13.000 pessoas a sair de várias cidades ucranianas

A vice-primeira-ministra ucraniana, Iryna Vereshchuk, afirmou que cerca de 13.000 pessoas abandonaram, este sábado, várias das cidades ucranianas mais afetadas pelo conflito, através dos corredores humanitários estabelecidos para o efeito.

Porém, ninguém conseguiu sair da cidade de Mariupol - algo que, de acordo com Iryna Vereshchuk, é culpa das forças russas, aponta a Sky News.

20h51 - França cria fundo para apoiar artistas ucranianos e "dissidentes russos"
 
A França anunciou hoje a criação de um fundo, com um milhão de euros, para apoiar e acolher artistas e profissionais da Cultura da Ucrânia, mas também estará aberto aos "artistas russos dissidentes".

20h30 - Chega de "braços abertos" a refugiados ucranianos para Portugal
 
O líder do Chega afirmou hoje que o seu partido está de "braços abertos para receber" refugiados ucranianos, defendendo que "aqueles que vierem por bem" e não pretenderem "dominar" Portugal "são sempre bem-vindos".

20h24 - Fronteira da Polónia prepara-se para segunda vaga de refugiados
 
No centro de acolhimento de refugiados instalado na localidade polaca de Mlyny, na fronteira com a Ucrânia, este sábado foi dia de, sobretudo, fazer limpezas e reorganizar espaços, para preparar a chegada da segunda vaga de fugitivos da guerra.

19h56 - Sacerdotes em Amesterdão abandonam Igreja Ortodoxa Russa

Quatro padres e um diácono de uma paróquia da Igreja Ortodoxa Russa em Amesterdão anunciaram hoje que abandonam esta congregação, por se sentirem pressionados pelo Kremlin, por causa da guerra na Ucrânia.

19h55 - 17.º dia. Kyiv espera invasão, Zelensky fala em abordagem "diferente"

A Rússia intensificou hoje os bombardeamentos no sul da Ucrânia e arredores de Kyiv, num dia em que o presidente ucraniano saudou uma nova abordagem "fundamentalmente diferente" de Moscovo nas conversações com Kyiv.

19h48 - Açores. Primeira família de refugiados chega "à procura de tranquilidade"

A primeira família de refugiados ucranianos chegou hoje à tarde à ilha de São Miguel, nos Açores, depois de terem saído da Ucrânia a 26 de fevereiro, à procura de "um país onde possam estar em tranquilidade".

19h39 - Dois helicópteros russos abatidos em Kherson, revelam Forças Armadas ucranianas

As Forças Armadas da Ucrânia dão conta de que dois helicópteros russos terão sido abatidos na região de Kherson, noticia o The Kyiv Independent. A mesma fonte revela ainda que um dos pilotos terá sobrevivido e que, por isso, será levado para o hospital.

19h29 - Estados Unidos exortam Israel a deixar de aceitar o "dinheiro sujo" da Rússia

Na sequência da invasão russa à Ucrânia, os Estados Unidos exortam Israel a adotar posições mais duras face ao país liderado por Vladimir Putin e a deixar de aceitar o "dinheiro sujo" proveniente do mesmo, reporta o The Independent.

Até agora, Israel ainda não se juntou aos Estados Unidos e à União Europeia na imposição de duras sanções contra Vladimir Putin e contra vários oligarcas russos, nem na concessão de ajuda militar à Ucrânia.

19h25 - Rússia "ainda controla central nuclear de Zaporizhzhia", confirma a Ucrânia

A central nuclear de Zaporizhzhia e a cidade vizinha de Enerhodar ainda estão sob o controlo dos militares russos, adiantaram as autoridades ucranianas, citadas pelo The Independent.

19h15 - Rússia volta a culpar Ucrânia pelo fracasso dos corredores humanitários

A Rússia voltou a culpar, uma vez mais, a Ucrânia pelo fracasso dos corredores humanitários, concebidos com o objetivo de possibilitar a fuga de civis de algumas das cidades ucranianas mais afetadas pela guerra.

De acordo com a agência noticiosa russa Interfax, o Ministério da Defesa do país terá dito que a Ucrânia, "mais uma vez, recusou-se a abrir corredores humanitários para a Rússia".

A mesma fonte terá dito ainda que a situação humanitária na Ucrânia "continua a decair rapidamente e, em algumas cidades, atingiu proporções catastróficas".

18h52 - Tropas russas em Kharkiv terão recebido ordens para disparar sobre civis

Os Serviço de Segurança da Ucrânia intercetaram chamadas telefónicas que provam que os militares russos que se encontram nas proximidades da cidade ucraniana de Kharkiv receberam ordens para disparar sobre civis, incluindo crianças, noticia o The Kyiv Independent.

18h36 - República Checa pede ajuda à União Europeia para acolher refugiados

A República Checa pediu hoje à União Europeia (UE) 25 conjuntos de edifícios modulares para a ajudar a acolher até 50.000 refugiados ucranianos, uma vez que os seus recursos estão quase esgotados.

18h32 - Invasão ameaça a democracia em toda a Europa, diz Kamala Harris

A vice-presidente norte-americana, Kamala Harris, considera que a invasão da Ucrânia pela Rússia representa uma ameaça às democracias europeias.

"A invasão da Rússia não ameaça apenas a democracia da Ucrânia; ela ameaça a democracia e a segurança de toda a Europa", afirmou este sábado Harris, reporta a CNN.

18h26 - É preciso acolher as mulheres ucranianas "com dignidade"

A dirigente do Movimento Democrático de Mulheres Sandra Benfica defendeu hoje que é preciso acolher as refugiadas da Ucrânia "com condições de trabalho com dignidade".

18h25 - Como acabará a guerra na Ucrânia? Os cinco cenários possíveis

A previsão inicial era de que a Rússia venceria a guerra em cerca de uma semana, mas a resistência ucraniana aliada ao apoio do Ocidente tornaram a batalha mais difícil do que o esperado e levanta-se agora uma questão. Como terminará a guerra na Ucrânia?

18h24 - Hyundai suspende o acordo de patrocínio com o Chelsea

A Hyundai anunciou, neste sábado, que suspendeu o seu acordo de patrocínio com o Chelsea até nova ordem, na sequência das sanções impostas a Roman Abramovich.

18h22 - Mais de 1,6 milhões de pessoas fugiram da Ucrânia para a Polónia

Mais de 1,6 milhões de pessoas fugiram da Ucrânia para a Polônia desde que a guerra começou, avançaram este sábado as autoridades fronteiriças polacas, citadas pela BBC.

18h13 - Rússia terá recrutado "16.000 voluntários" para combater na Ucrânia, diz Reino Unido

No âmbito das suas atualizações regulares sobre a situação na Ucrânia, o Ministério da Defesa do Reino Unido aponta que o presidente russo, Vladimir Putin, celebrou já o recrutamento de "16.000 voluntários" que irão robustecer as forças que têm levado a cabo a invasão sobre território ucraniano. A mesma fonte revela que a "maioria" dos mesmos são provenientes do "Médio Oriente".

"À medida que as perdas se acumulam, a Rússia será forçada a recorrer a fontes alternativas para reforçar as suas forças regulares sobrecarregadas", garante ainda o Ministério da Defesa do Reino Unido.

18h06 - Conversações de paz continuam por videoconferência

As conversações de paz entre a Rússia e a Ucrânia continuam agora por videoconferência, reporta o The Kyiv Independent. Depois de três encontros presenciais, agora as duas partes envolvidas no conflito passaram a discutir o assunto virtualmente, relata o negociador ucraniano Mykhailo Podolyak.

A criação e a expansão de corredores humanitários, especialmente na cidade de Mariupol, faz parte do leque das principais prioridades neste âmbito.

17h58 - Zelensky diz que há uma abordagem diferente de Moscovo nas conversações

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, congratulou-se hoje com uma nova abordagem "fundamentalmente diferente" de Moscovo nas conversações com Kiev, sublinhando que a Rússia deixou de "fazer só ultimatos".

17h52 - Ucrânia acusa Rússia de matar sete civis que fugiam de Kyiv

Os serviços de inteligência da Ucrânia acusam as tropas russas de terem disparado sobre pessoas que tentavam fugir da aldeia de Peremoha, na região de Kyiv, na sequência dos corredores humanitários estabelecidos para o efeito. Segundo informa a Sky News, sete civis terão morrido na sequência do ataque.

"Após o ataque, os invasores forçaram os remanescentes indivíduos a voltarem para Peremoha e não os deixaram sair da aldeia", acrescentou a mesma fonte.

17h44 - Alemanha vai cessar a maioria das importações de petróleo russo até final do ano

Até final de 2022, a Alemanha colocará um fim à maioria das compras de petróleo proveniente da Rússia. Segundo o The Kyiv Independent, a informação foi avançada pelo ministro da Economia do país, Robert Habeck, que terá também garantido que a Alemanha deixaria de importar carvão russo até ao fim deste ano.

Porém, Habeck terá dito que será difícil, para o país, colocar um fim às importações de gás russo.

17h36 - Cerca de 2.000 pessoas abandonaram Kyiv este sábado

Cerca de 2.000 pessoas abandonaram a região ucraniana de Kyiv este sábado, na sequência dos corredores humanitários que têm sido estabelecidos, por todo o país, com essa mesma finalidade.

A informação foi avançada pelos Serviços de Emergência do Estado, que dão conta de que 40 autocarros chegaram, em segurança, à vila de Bilohorodka durante esta tarde.

17h17 - Casal de idosos confronta soldados russos que estavam a entrar em casa

Um casal de idosos ucraniano confrontou, de forma corajosa, soldados russos armados que estavam a invadir a sua propriedade em Mykolayiv, na Ucrânia. 

17h13 - Biden autoriza apoio de 200 milhões de dólares à Ucrânia

O presidente norte-americano, Joe Biden, autorizou a cedência de 200 milhões de dólares (183,28 milhões de euros) em assistência militar à Ucrânia, anunciou este sábado a Casa Branca.

Como reporta a Reuters, em causa estão fundos que podem ser materializados em armas, equipamento de defesa e educação e treino militar.

17h10 - Catarina Martins defende realização de uma "conferência da paz"

A coordenadora do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, defendeu hoje, em Braga, a realização de uma "conferência da paz" para assegurar a autodeterminação da Ucrânia e uma segurança duradoura na Europa.

17h03 - Autocarros a caminho de Mariupol para evacuar a cidade

O vice-presidente da Câmara de Mariupol, Serhiy Orlov, adiantou à BBC que vários autocarros estão já a caminho da cidade para possibilitar a evacuação da mesma. Por sua vez, Mariupol aguarda também a chegada de mantimentos destinados àqueles que ainda se encontram na mesma.

A mesma fonte disse ainda que cerca de 2.000 pessoas foram já mortas em Mariupol, embora ressalve que não é possível estabelecer o número exato de fatalidades.

16h58 - ONU reporta mais de 1.500 vítimas civis na sequência da guerra

A Organização das Nações Unidas (ONU) registou um total de 1.581 vítimas civis - 579 mortos e 1.002 feridos - desde o início da invasão russa sobre a Ucrânia, a 24 de fevereiro.

Há a lamentar o óbito de 42 crianças, com outras 54 a terem ficado feridas, de acordo com o mais recente relatório da ONU, aqui citado pela CNN.

16h49 - Rússia apresenta "exigências inaceitáveis" à Ucrânia, diz Dmytro Kuleba

Dmytro Kuleba, ministro dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia, disse, no âmbito de um evento virtual, que a Rússia tem apresentado "exigências inaceitáveis" ao país, na sequência das conversações que têm decorrido entre ambas as partes..

A mesma fonte esclareceu ainda que as táticas russas utilizadas neste conflito são "semelhantes às que foram utilizadas na Síria".

O ministro garantiu ainda que, apesar da cidade de Mariupol estar cercada por forças militares russas, a mesma continua, ainda, nas mãos das autoridades ucranianas.

16h41 - Forças ucranianas destruíram equipamento russo no valor de 5,1 mil milhões de dólares

Os estragos feitos pelas tropas ucranianas sobre equipamentos militares russos ascendem aos 5,1 mil milhões de dólares (4,67 mil milhões de euros), informa a Forbes Ucrânia, que cita as Forças Armadas do país.

Segundo a mesma fonte, as forças da Ucrânia terão sido capazes de destruir 2.593 unidades de equipamento militar russo, incluindo aviões, tanques e artilharia.

16h37 - Autoridades ucranianas acusam russos de planear referendo para a "independência" de Kherson

Um alto funcionário ucraniano de Kherson, que está agora sob ocupação russa, adiantou que os russos estão a pressionar o Conselho Regional para que este concorde com um referendo acerca da "independência" da região face à Ucrânia, reporta a CNN.

Serhiy Khlan, um deputado do Conselho Regional de Kherson, disse que "os ocupantes estão a preparar um referendo acerca da criação da República Popular de Kherson".

Segundo o The Kyiv Independent, Dmytro Kuleba, o ministro dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia, veio depois dizer que este se trata de um falso "referendo" separatista, à semelhança do que aconteceu, em 2014, na Ucrânia oriental e na Crimeia.

16h26 - Estados Unidos prontos para tomar medidas diplomáticas adicionais

Os Estados Unidos estão dispostos a tomar medidas diplomáticas adicionais que o governo ucraniano considere úteis, adiantou um porta-voz do Departamento de Estado, citado pela Reuters. Em causa estão declarações que surgem após Volodymyr Zelenskiy ter dito que o Ocidente deveria estar mais envolvido nas negociações, com vista a colocar um fim à guerra.

"Estamos a trabalhar para colocar os ucranianos na posição de negociação mais forte possível, inclusive aumentando a pressão sobre a Rússia, impondo custos severos e fornecendo assistência ao nível da segurança, para ajudar os ucranianos a defenderem-se", apontou o mesmo porta-voz.

16h13 - Rússia diz que centrais nucleares de Chernobyl e Zaporizhzhia estão a ser geridas por funcionários ucranianos

As centrais nucleares de Chernobyl e Zaporizhzhia, tomadas pelo exército russo na sequência da invasão à Ucrânia, estão a ser administradas por funcionários ucranianos, de acordo com a informação avançada pela agência russa de energia atómica Rosatom, citada pela Sky News.

16h03 - Avó caminha ao frio por 8 quilómetros para fugir à guerra na Ucrânia

Uma avó ucraniana conseguiu fugir da guerra na Ucrânia depois de duas duras noites sem dormir e mais de oito quilómetros caminhados ao frio

16h02 - Quase um milhão de ucranianos estão sem eletricidade, diz Ministério da Energia

Segundo a mais recente atualização feita pelo Ministério da Energia da Ucrânia, 960.000 ucranianos estão, neste momento, sem eletricidade, informa o The Kyiv Independent. A mesma fonte revela ainda que 260.000 pessoas estão também sem acesso a gás, na sequência da invasão russa à Ucrânia.

15h57 - Zelensky propõe encontro com Putin em Jerusalém

O presidente ucraniano quer encontrar-se com o homólogo russo em território israelita, mais concretamente em Jerusalém. Segundo o The Kyiv Independent, Volodymyr Zelensky diz ter pedido ao primeiro-ministro israelita, Naftali Bennett, para atuar como intermediário nas conversações com Vladimir Putin.

15h50 - Cidade de Volnovakha totalmente destruída, informa governador de Donetsk

Pavlo Kyrylenko, governador de Donetsk, relata que a cidade ucraniana oriental de Volnovakha foi completamente destruída na sequência da invasão russa, noticia a Reuters.

Nessa cidade, as tropas ucranianas continuam a lutar para tentar impedir um cerco russo, adianta Kyrylenko.

15h37 - Cerca de 1.300 soldados ucranianos mortos desde o início da invasão

O presidente ucraniano Volodymyr Zelensky anunciou este sábado numa conferência de imprensa o número de vítimas mortais provocadas desde o início da invasão russa, há duas semanas. 

15h34 - Putin "não parece pronto para acabar com a guerra", diz funcionário da Presidência francesa

Na sequência da conversa que, este sábado, existiu entre o presidente russo Vladimir Putin, o chefe de Estado francês Emmanuel Macron e o líder alemão Olaf Scholz, um funcionário da Presidência francesa veio revelar que Putin "não parece pronto para acabar com a guerra" na Ucrânia.

Segundo as informações divulgadas, os líderes francês e alemão terão solicitado a Putin a ocorrência de um cessar-fogo como condição necessária para a posterior ocorrência de negociações estruturadas, informa a Sky News.

15h33 - As imagens da fuga de comboio à guerra, entre Kyiv e Lviv

O esforço para retirar civis da capital ucraniana continua. No dia de ontem, vários ucranianos conseguiram abandonar a cidade de comboio.

Nesta galeria, partilhada pela agência Reuters, pode ver-se o comboio repleto de pessoas de todas as idades, que ontem tentaram deixar Kyiv rumo a Lviv.

15h32 - Fundação Benfica ajuda na integração de quatro crianças ucranianas

A Fundação Benfica, presidida por Carlos Móia, vai ajudar na integração de quatro crianças ucranianas em Portugal, que estavam inscritas nas escolas dos 'encarnados' neste país que se encontra em guerra após a invasão da Rússia.

15h31 - Pai tira foto da filha com arma e chupa-chupa e imagem torna-se viral

Oleksii Kyrychenko, um fotógrafo de Kyiv, decidiu partilhar imagens da sua filha com um chupa-chupa e uma arma na mão para chamar a atenção do mundo para a guerra na Ucrânia. 

15h30 - Poupança pessoal de energia não substitui a ação política, diz Alemanha

O ministro alemão da Economia e Energia, Robert Habeck, afirmou hoje que os esforços dos cidadãos para poupar energia contribuem para reduzir a dependência da Rússia, mas não podem substituir a necessidade de ação política.

15h30 - Boa tarde. Continuamos neste registo o acompanhamento AO MINUTO do conflito entre a Rússia e a Ucrânia deste sábado. Pode recordar o anterior aqui.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório