Meteorologia

  • 25 SETEMBRO 2021
Tempo
18º
MIN 16º MÁX 23º

Edição

Bruxelas pede fim das detenções de ativistas em Hong Kong

A Comissão Europeia pediu hoje que se ponha fim às detenções dos ativistas em Hong Kong, depois de Leon Tong Ying-kit se tornar hoje o primeiro condenado a nove anos de prisão devido à polémica Lei de Segurança Nacional.

Bruxelas pede fim das detenções de ativistas em Hong Kong

"Devem acabar as detenções de ativistas a favor da democracia e os ataques contra aqueles que defendem os direitos e liberdades e os valores democráticos", pediu, na sua conta da rede social Twitter, a porta-voz dos Negócios Estrangeiros do executivo comunitário, Nabila Massrali.

A porta-voz disse também que a nova lei "está a ser utilizada para reprimir o pluralismo político e o exercício dos direitos humanos e das liberdades políticas em Hong Kong".

A 01 de julho de 2020, horas depois de a Lei de Segurança Nacional ter entrado em vigor, Tong foi detido por avançar com a sua mota sobre um grupo de polícias enquanto brandia uma bandeira com o 'slogan' dos protestos contra o Governo da segunda metade de 2019: "Libertem Hong Kong. A Revolução dos nossos dias".

A juíza Esther Toh disse hoje que "o tribunal considerou que a punição de Tong deve refletir a sua culpa e a repulsa da sociedade pelas suas ações, ao mesmo tempo que deverá obter o efeito dissuasor necessário", segundo a televisão pública de Hong Kong RTHK.

Pelo crime de secessão, relativo à exibição da referida bandeira, Tong cumprirá seis anos e meio de prisão efetiva, ao passo que pelo crime de terrorismo serão oito, dos quais dois e meio terão de ser cumpridos de forma consecutiva aos da acusação anterior, resultando num total de nove anos.

Leia Também: EUA alertam que China está a construir mais silos de mísseis nucleares

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório