Meteorologia

  • 28 JUNHO 2022
Tempo
26º
MIN 15º MÁX 26º

Governos polaco e checo procuram solução para disputa sobre mina

Os líderes dos Governos da Polónia e da República Checa mantiveram hoje negociações intensas na tentativa de resolver uma disputa de anos que ressurgiu recentemente sobre uma mina de carvão polaca.

Governos polaco e checo procuram solução para disputa sobre mina
Notícias ao Minuto

15:03 - 25/05/21 por Lusa

Mundo Carvão

O Governo checo diz que a mina de carvão Turow, localizada no sudoeste da Polónia, perto das fronteiras checa e alemã, está a poluir as águas subterrâneas, causando danos ambientais na região.

O caso foi levado ao tribunal da União Europeia, que na semana passada ordenou a Polónia a interromper imediatamente a extração de carvão no local, enquanto se aguarda a decisão final da justiça.

Mas as autoridades polacas não aceitam a ordem judicial, alegando que não podem encerrar a mina, já que esse gesto provocaria cortes de energia que afetariam milhões de polacos e suspenderia a operação de fábricas que empregam dezenas de milhares de funcionários.

Desde segunda-feira e durante o dia de hoje, o primeiro-ministro polaco, Mateusz Morawiecki, e o primeiro-ministro checo, Andrej Babis, têm discutido a questão de Turow, aproveitando uma cimeira da UE em Bruxelas.

A disputa sobre esta mina salienta o potencial do carvão como um fator de perturbação nas relações entre as nações da União Europeia (UE), em particular no momento em que a comunidade europeia procura metas ambiciosas para se tornar neutra em carbono até 2050.

A Polónia fez alguns progressos no desenvolvimento de energia verde e no encerramento de minas de carvão, mas o processo tem sido lento e dificultado pela dependência histórica do país em relação ao carvão, que é muito usado para aquecer residências e para a indústria de energia.

O Governo polaco prolongou recentemente a licença para extração de carvão em Turow até 2044, mas as autoridades checas consideram que essa decisão foi tomada sem uma consulta prévia, o que a Polónia nega.

"Não há nenhum acordo ainda (com o lado polaco), mas espero que o consigamos em breve", disse hoje Babis.

O ministro polaco com a pasta dos ativos estatais, Jacek Sasin, disse também hoje que uma estrutura para um acordo já foi elaborada, para tratar das preocupações de Praga e garantir fundos conjuntos para as necessidades ambientais locais.

"Temos a boa vontade dos nossos vizinhos checos", reconheceu Sasin, salientando que o cumprimento da ordem judicial de encerramento da mina seria um "golpe desastroso para a energia da Polónia, para a economia da Polónia".

A Polónia argumenta que não está a ser tratada de forma justa, já que a República Checa e a Alemanha operam várias minas de lignite perto das fronteiras da Polónia, sem que tenham sido confrontados com obstáculos.

Cerca de 48% da energia da Polónia é originária do carvão negro e 17% do lignite (ou carvão castanho), com 25% originária de várias fontes renováveis e de biocombustíveis e 10% de gás e de outras fontes.

Leia Também: Polónia condena sequestro de voo da Ryanair e abre investigação

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório