Meteorologia

  • 23 ABRIL 2021
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 20º

Edição

Orbán quer criar novo grupo no Parlamento Europeu com italianos e polacos

O primeiro-ministro da Hungria, o ultranacionalista Viktor Orbán, está a negociar a criação de um novo grupo no Parlamento Europeu com formações de extrema-direita italianas e polacas, após ter abandonado o Partido Popular Europeu.

Orbán quer criar novo grupo no Parlamento Europeu com italianos e polacos
Notícias ao Minuto

11:16 - 05/03/21 por Lusa

Mundo Hungria

"Falámos com os polacos, com o grande amigo da Hungria, o senhor (Matteo) Salvini (Liga), falamos com a presidência de outro partido italiano de direita, a senhora (Giorgia) Meloni (Irmãos por Itália)", disse hoje o primeiro-ministro húngaro na rádio pública Kossuth.

"O importante é que haja na Europa uma casapolíticapara os que pensam como nós. É preciso trabalhar para isso e eu penso que uma corrente política como esta seria uma força política importante para a Europa", opinou.

O primeiro-ministro não especificou se a formação polaca a que se referia é o partido governamental Lei e Justiça (PiS), que mantémboas relações com o Fideszhúngaro.

Tanto o PiScomo o Irmãos por Itália fazem parte do grupo dos Conservadores e Reformistas Europeus - a que pertence o partido espanhol de extrema direita Vox-, e que quinta-feirademonstrou solidariedade com o Fideszpela decisão "hostil" doPPE de modificar o regulamento interno para poder expulsar o partido de Orbán.

A Liga de Salvini pertence ao Identidade e Democracia, o grupo do Parlamento Europeu onde estão também, entre outros, o partido de extrema-direita da francesa Marine Le Pen e os ultras do AFDda Alemanha e do FPO da Áustria.

O Fidesz, que governa a Hungria com maioria absoluta desde 2010, abandonou na quarta-feira o grupo PPE, pouco depois de a formação europeia aprovar uma mudança de estatutos para facilitar a expulsão do partido húngaro, suspenso há dois anos por violação aos valores do Partido Popular Europeu.

Orbán afirmou na quinta-feira que os populares europeus são um "apêndiceda esquerda" e anunciou a criação de um novo grupo político de direita para os eleitores europeus que rejeitam a emigração, o multiculturalismo e que "não submergiram na loucura LGBTQ".

O ultranacionalista húngaro deixou entender hoje que, após sair do grupo popular no Parlamento Europeu, também vai abandonar o PPE.

"Falei demoradamente com o novo presidente da CDU (Alemanha) nos últimos dias. Seguramente, vai decorrer outra negociação mas, até ao momento, devo dizer que os nossos caminhos se separaram", acrescentou Viktor Orbán.

Leia Também: Covid-19. Agência Europeia do Medicamento começa a avaliar vacina russa

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório