Meteorologia

  • 28 JANEIRO 2020
Tempo
14º
MIN 13º MÁX 17º

Edição

Novo orçamento do Irão resiste sanções e diminui dependência do petróleo

O Presidente do Irão, Hassan Rouhani, disse hoje que o seu país dependerá menos da receita do petróleo no próximo ano, com base num novo orçamento concebido para resistir aos embargos comerciais dos Estados Unidos da América (EUA).

Novo orçamento do Irão resiste sanções e diminui dependência do petróleo
Notícias ao Minuto

14:29 - 08/12/19 por Lusa

Mundo Irão

O Irão atravessa uma crise económica, após os EUA voltarem a aplicar sanções, que impedem o país de vender petróleo ao exterior, na sequência decisão do Presidente Donald Trump de se retirar do acordo nuclear Teerão 2015.

"O orçamento envia uma mensagem ao mundo de que, apesar das sanções, governaremos o país", afirmou o Presidente Hassan Rouhani na sessão de abertura do parlamento, citado pela agência norte-americana Associated Press (AP), acrescentando que o orçamento proposto irá conter a "máxima pressão e as sanções" dos EUA.

Os órgãos de comunicação social do Irão, incluindo a agência de notícias semioficial Tasnim, indicaram que o novo orçamento aumenta impostos e prevê a venda de algumas propriedades do Governo, mas não ficou totalmente claro no discurso de Rouhani se estas medidas propostas compensariam totalmente a queda nas receitas do petróleo.

O Irão vai ainda obter um empréstimo da Rússia, de cinco biliões de dólares norte-americanos, que está a ser finalizado.

Rouhani reiterou que os EUA e Israel vão continuar "sem esperança", apesar do objetivo de enfraquecerem o Irão com as sanções impostas.

O orçamento visa "dar mais alívio e reduzir as dificuldades" para as pessoas pobres, ao diminuir substancialmente as necessidades alimentares e médicas, acrescentou o Presidente do Irão.

O próximo ano fiscal iraniano começa em 20 de março, com o advento do Ano Novo Persa.

O orçamento contempla cerca de 40 biliões de dólares norte-americanos, cerca de 10% a mais face a 2019.

O aumento ocorre quando o país sofre com uma taxa de inflação de 40%.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório