Meteorologia

  • 18 NOVEMBRO 2019
Tempo
10º
MIN 9º MÁX 16º

Edição

Boris Johnson envia carta para Bruxelas a pedir adiamento do Brexit

Mas numa carta escrita para os deputados britânicos o primeiro-ministro insiste que não quer esse prolongamento e que vai "fazer de tudo" para concretizar a saída do Reino Unido do bloco europeu até dia 31 deste mês.

Boris Johnson envia carta para Bruxelas a pedir adiamento do Brexit

Boris Johnson enviou uma carta ainda hoje para Donald Tusk, presidente do Conselho Europeu, a pedir um adiamento do Brexit até 31 de janeiro do próximo ano. De acordo com a Sky News, que cita uma fonte de Bruxelas, o primeiro-ministro confirmou a Tusk que vai pedir a extensão da data limite para a saída do Reino Unido da União Europeia.

"Com base nessa carta, Tusk vai consultar os líderes da União Europeia sobre como reagir. Isto pode levar alguns dias", esclarece a mesma fonte. 

Depois de se saber que a emenda Letwin - que força o governo a pedir um adiamento do Brexit - foi aprovada no parlamento britânico, Donald Tusk escreveu na sua conta do Twitter que esperava a carta de Boris Johnson, tendo pouco depois  confirmado a receção da mesma. 

No entanto, e segundo uma fonte de Downing Street citada pela agência noticiosa AFP, o chefe do Executivo de Londres não assinou a carta que solicita um adiamento do Brexit.

Johnson terá decidido enviar uma segunda carta, essa assinada, especificando que não pretendia este atraso, que terá de ser aplicado por motivos legais.

Uma terceira carta terá sido ainda escrita pelo embaixador britânico na UE, Tim Barrow, para precisar que a missiva que solicita um adiamento foi unicamente enviada para não contrariar a lei.

No entanto, o primeiro-ministro Boris Johnson escreveu outra carta antes destas, esta dirigida aos deputados. Na missiva o líder britânico deixa claro que "não vai negociar um adiamento" com a União Europeia, ao mesmo tempo que declara que vai afirmar a Bruxelas que "adiar de novo não é a solução". 

"É por isso que na próxima semana este governo vai introduzir a legislação necessária para deixarmos a União Europeia com o nosso grande acordo no dia 31 de outubro. É muito provável que os nossos amigos na União Europeia rejeitem o pedido de prolongamento do parlamento (ou que não tomem uma decisão muito rapidamente). Nestas circunstâncias, eu espero que os colegas de todos os partidos da Câmara dos Comuns - enfrentando uma escolha entre o nosso novo acordo ou sem acordo - apoiem este novo acordo", escreveu Boris Johnson. 

O primeiro-ministro mantém que vai "fazer de tudo" para concretizar o Brexit até ao próximo dia 31. 

[Notícia atualizada às 23h21]

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório