Meteorologia

  • 20 OUTUBRO 2019
Tempo
13º
MIN 12º MÁX 18º

Edição

Rei não reúne já com partidos, apesar de investidura falhada de Sánchez

A presidente do parlamento espanhol esteve com o Felipe VI para o notificar formalmente do resultado da votação para a recondução de Pedro Sánchez.

Rei não reúne já com partidos, apesar de investidura falhada de Sánchez

Depois de se reunir com a presidente do parlamento Espanhol, Meritxell Batet, que o notificou formalmente do resultado da votação para a recondução de Pedro Sánchez, o rei de Espanha transmitiu-lhe a sua decisão de "não iniciar, para já" novas reuniões com os representantes designados dos grupos políticos com representação parlamentar. O objetivo é que os partidos tenham um pouco mais de tempo para chegarem a acordo para a eleição de um chefe de governo.

Num comunicado emitido pelo Palácio da Zarzuela, a residência dos Reis da Espanha, citado pelo El País, Felipe VI diz que a sua decisão pretende dar tempo "às formações políticas para que possam levar a cabo as atuações políticas que considerem ser convenientes".

O que deveria acontecer seria que após a falhada a investidura do líder do PSOE, o rei começasse de imediato a convocar os partidos para decidir se vai voltar a convidar o primeiro-ministro do executivo de gestão para ser candidato a ser investido, o que deverá acontecer, visto que Sánchez, o líder do Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE), foi o mais votado (28%) nas eleições de 28 de abril

Mas o chefe de Estado resolveu dar tempo para que as partes reiniciem o diálogo e, caso cheguem a um acordo, convocará um novo debate de recondução.

Recorde-se que ainda não foi à segunda que Pedro Sánchez foi eleito primeiro-ministro espanhol. A abstenção do Unidas Podemos foi decisiva para o desfecho sem sucesso da sessão de investidura e Espanha continua assim sem governo. Sánchez precisava de apenas mais votos a favor do que contra e obteve 124 votos a favor da sua investidura, 155 contra e 67 abstenções.

Caso haja hipótese de o governo XIII sobreviver, a investidura terá de ser marcada para antes de 23 de setembro, dia em que o Parlamento será dissolvido caso não cheguem a consenso e, nesse caso, Espanha será obrigada a marcar eleições antecipadas a 10 de novembro.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório