Meteorologia

  • 21 FEVEREIRO 2019
Tempo
MIN 7º MÁX 8º

Edição

Theresa May pede mais tempo aos deputados para negociar com a UE

A primeira-ministra britânica pediu hoje aos deputados mais tempo para negociar com a União Europeia (UE) o 'Brexit', admitindo que o processo poderá arrastar-se durante várias semanas.

Theresa May pede mais tempo aos deputados para negociar com a UE
Notícias ao Minuto

14:01 - 12/02/19 por Lusa

Mundo Brexit

"Tendo conseguido um acordo com a União Europeia para mais conversas, agora precisamos de algum tempo para concluir esse processo. Quando alcançarmos o progresso de que precisamos, apresentaremos outro voto significativo", prometeu Theresa May.

O voto significativo é a aprovação que o governo precisa do parlamento para ratificar um Acordo de Saída do Reino Unido da UE que garanta uma saída ordenada a 29 de março.

Se o governo não conseguir concessões satisfatórias de Bruxelas, May prometeu fazer uma nova declaração a 26 de fevereiro, seguida por um novo debate e votação a eventuais propostas dos deputados.

"As negociações estão numa fase crucial. Precisamos todos de manter o sangue frio para conseguir as alterações que esta Câmara pediu e concretizar o 'Brexit' a tempo", disse.

A chave para fazer passar o documento na Câmara dos Comuns, vincou May, está em obter "as mudanças que precisamos para o 'backstop, em proteger e reforçar os direitos dos trabalhadores e as proteções ambientais, e em reforçar o papel do parlamento na próxima fase das negociações".

O 'backstop' é a solução de salvaguarda prevista no Acordo de Saída negociado entre o governo e Bruxelas para evitar uma fronteira física entre a Irlanda do Norte com a vizinha europeia Irlanda.

May foi hoje ao parlamento para atualizar os deputados sobre o decorrer das negociações com os líderes europeus para negociar alterações ao documento, plano que será sujeito a uma votação esta quinta-feira.

O líder da oposição, o trabalhista Jeremy Corbyn, considerou a demora do governo em concluir o processo de saída "um profundo ato de irresponsabilidade".

"Ela está a ganhar tempo e a brincar com os empregos das pessoas, a nossa segurança económica e o futuro da nossa indústria", lamentou, referindo as estatísticas que indicam uma desaceleração da economia e o anúncio da construtora de automóveis Nissan de deslocar investimento para o Japão.

Corbyn lamentou também que May não tenha mostrado boa vontade para encontrar um consenso com o partido Trabalhista na resposta que enviou à oferta de apoio em troca da negociação de uma união aduaneira permanente com a UE.

"A primeira-ministra está apenas a fingir que está a procurar soluções interpartidárias e não indicou que esteja disposta mexer um milímetro do seu acordo ou das suas 'linhas vermelhas'", acusou.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório