Meteorologia

  • 21 AGOSTO 2018
Tempo
30º
MIN 28º MÁX 32º

Edição

Cirurgião plástico procurado no Brasil após morte em operação clandestina

O cirurgião plástico Denis Furtado é procurado desde terça-feira pelas autoridades brasileiras por causa de uma operação clandestina que resultou na morte de uma paciente, no Rio de Janeiro.

Cirurgião plástico procurado no Brasil após morte em operação clandestina
Notícias ao Minuto

07:05 - 18/07/18 por Lusa

Mundo Rio de Janeiro

Seduzida pelas fotos do 'antes' e 'depois' das operações publicadas pelo cirurgião de 45 anos, que se intitula de 'Doutor Bumbum' e é seguido por mais de 650 mil pessoas no Instagram, Lilian Quezia Calixto, funcionária de um banco, não hesitou em viajar mais de dois mil quilómetros de Cuiabá para o Rio de Janeiro.

Operada no último domingo no apartamento de Denis Furtado, na Barra da Tijuca, um bairro rico do Rio de Janeiro, sentiu-se indisposta e teve que ser hospitalizada.

Após quatro paragens cardíacas, acabou por morrer. Denis Furtado desapareceu e a sua namorada, que era também sua assistente, foi detida.

Acusado de homicídio e conspiração criminosa, o cirurgião é procurado pelas autoridades do Brasil, o segundo país do mundo onde são praticadas mais cirurgias estéticas, depois dos Estados Unidos.

O cirurgião usou uma controversa técnica de aumento das nádegas, injetando polimetilmetacrilato (PPMA).

A paciente "não apresentou qualquer complicação" durante a intervenção, disse Naira Baldanza, advogada de Denis Furtado, citada pelo site de notícias brasileiro G1. "Qualquer conclusão sobre a morte de Lilian e a possível responsabilidade do meu cliente (...) é prematura", acrescentou.

Segundo um comissário de polícia da Barra Tijuca, também citado pelo G1, a diretora do hospital onde a paciente foi transferida afirmou, na sua declaração à polícia, que Lilian Quezia Calixto "ainda estava lúcida e descreveu o que tinha acontecido".

A Sociedade Brasileira de Cirurgia Estética (SBPC) denunciou uma "invasão de não-especialistas que têm causado cada vez mais casos fatais como este".

"Não se pode praticar cirurgia plástica num apartamento. Muitas pessoas vendem uma ilusão, uma fantasia, desprovida de qualquer ética, para pessoas fragilizadas, atraídas por preços baixos", disse o presidente da SBPC, Niveo Steffen, à agência de notícias France-Presse.

O mesmo responsável explicou que o aumento da injeção de biopolímeros glúteos, também chamada de bioplastia, apresenta muitos riscos e causou a morte de dezenas de mulheres na América Latina, incluindo a Venezuela.

O caso do 'Doutor Bumbum' mostra uma certa "banalização das cirurgias estéticas realizadas por não especialistas, que às vezes nem são médicos e colocam a população em risco", sublinhou Steffen.

Segundo o G1, o cirurgião, que também atuava em Brasília, foi acusado quatro vezes pela polícia do Distrito Federal de exercício ilegal da medicina e crimes contra o consumidor.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.