Meteorologia

  • 08 DEZEMBRO 2019
Tempo
13º
MIN 12º MÁX 17º

Edição

Cientista sugere corte do cordão umbilical até 1 minuto após nascimento

Colher o sangue e tecido do cordão umbilical é valorizar uma importante fonte de vários tipos de células, não só células estaminais, já que uma unidade de sangue do cordão umbilical criopreservada contém diferentes tipos de células que podem ser usadas em tratamentos de várias doenças, seja no próprio dador ou num doente não relacionado.

Cientista sugere corte do cordão umbilical até 1 minuto após nascimento
Notícias ao Minuto

13:30 - 22/04/19 por Liliana Lopes Monteiro  

Lifestyle criopreservação

O processo de colheita do sangue é indolor e não representa riscos para a mãe ou o recém-nascido. Adicionalmente, após a criopreservação, a amostra colhida poderá vir a ser utilizada no tratamento de mais de 80 doenças.

Apesar de a Organização Mundial de Saúde recomendar o corte tardio do cordão em todos os partos, estudos em recém-nascidos de termo (não prematuros) têm demonstrado que aproximadamente 70-80% do sangue que está no cordão e na placenta é transferido para o bebé durante o primeiro minuto após o nascimento.

A pediatra e hematologista Joanne Kurtzberg, que integrou a equipa que fez o primeiro transplante de células estaminais provenientes do cordão umbilical há 30 anos, recomenda que o corte do cordão umbilical no momento do parto não deve exceder 1 minuto, por forma a manter a viabilidade de uma colheita e armazenamento do sangue do cordão umbilical.

“É importante não desperdiçarmos o sangue do cordão”, afirmou a médica na sua primeira visita a Portugal, onde participou como oradora na Reunião de Primavera da Sociedade Portuguesa de Obstetrícia e Medicina Materno-Fetal (SPOMMF).

Joanne Kurtzberg recomendou aos obstetras e enfermeiros especialistas em Portugal que “colham o sangue do cordão umbilical sempre que possam e não o desperdicem, quer seja para guardar em bancos públicos ou privados. É um produto biológico muito valioso pelo que devemos guardar todo o sangue do cordão umbilical que conseguirmos.”

“Devemos encontrar-nos no meio e preferir um corte do cordão que possa aumentar o volume de sangue que passa para o recém-nascido, mas sem comprometer a qualidade e quantidade da amostra a criopreservar. Só assim garantimos que as amostras colhidas têm a qualidade necessária”, afirma João Sousa, diretor de Qualidade do banco de tecidos e células BebéVida.

As atuais recomendações do American College of Obstetricians and Gynecologists indicam que, desde que a mãe tenha níveis adequados de ferro e que a gravidez tenha, pelo menos, 37 semanas, um corte do cordão umbilical entre 30 a 60 segundos após o nascimento permitirá garantir um resultado seguro para o recém-nascido e, em simultâneo, uma colheita adequada de sangue do cordão umbilical, caso seja essa a escolha dos pais.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório