Meteorologia

  • 15 DEZEMBRO 2019
Tempo
15º
MIN 12º MÁX 17º

Edição

Banca comercial não cumpre o seu papel, critica João Lourenco

A banca comercial não está a cumprir o seu papel, criticou hoje o presidente da República de Angola, João Lourenço, salientando que o país "não é Luanda".

Banca comercial não cumpre o seu papel, critica João Lourenco

O chefe do executivo angolano, que terminou hoje uma visita de dois dias ao Bié, encontrou-se com elementos da sociedade civil, incluindo empresários e empreendedores, que se queixaram dos problemas que enfrentam no acesso ao crédito, burocracia e dívidas do Estado, reconhecendo algumas dificuldades.

"Lamentavelmente não conseguimos que a banca comercial, fora de Luanda, cumpra o seu papel e os empresários continuam a ser prejudicados, tendo de se deslocar para Luanda para ver resolvidos os seus problemas, com todos os constrangimento que daí advêm", concordou João Lourenço, prometendo "continuar a trabalhar" no sentido de levar a banca a cumprir o seu papel.

"Mesmo privada [a banca] tem de servir o país, tem de servir a sociedade, não sei o que ele ganham a ficarem fechados em Luanda e não darem poderes reais a quem está aqui no terreno, se eles abrem agências nas províncias é para resolverem os problemas locais", reforçou, destacando que "o cidadão coloca os problemas aqui e deve esperar as respostas e soluções também aqui".

João Lourenço, que falava com um empreendedor durante uma iniciativa designada como "Diálogos com a Juventude" salientou que os serviços têm de ser descentralizados.

"As pessoas que querem usar o crédito têm de ir a Luanda e isso tem de ser ultrapassado porque Angola não é Luanda, Luanda é só a capital, Angola é Angola"

Por outro lado, considerou que a banca "tem de se mentalizar que deve ganhar tostão por tostão" e não ir apenas atrás de projetos com uma grande taxa de retorno, usando o "boom" imobiliário como exemplo do que não deve acontecer: "nasceu de um dia para o outro, os bancos ganharam muito dinheiro, mas também morreu de um dia para o outro"

Pelo contrário, financiar os pequenos projetos continuará sempre a dar lucros à banca e beneficiará as pessoas que recorrem ao crédito.

O Presidente angolano ouviu também propostas de criação de um guichet único para empresas, com vista à desburocratização, considerando que tem objetivos semelhantes ao que se pretende da banca comercial, ou seja, "trazer os órgãos de decisão para junto do cidadão"

Quando à dívida pública, afirmou que "vem sendo liquidada", embora "provavelmente, não na medida desejável", tendo em conta as reclamações que recebeu durante a sua passagem pela província

O Presidente angolano esteve no Bié durante dois dias para avaliar os problemas económicos e sociais mais prementes nesta província central de Angola e aproveitou para inaugurar o novo terminal de passageiros do Aeroporto Joaquim Capanga, um hospital regional no município do Cuemba e uma nova obra de abastecimento de água no Cuíto.

Visitou também o cemitério-memorial dos Mártires do Cuíto, onde rendeu homenagem às vítimas da guerra depositando uma coroa de flores.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório