Meteorologia

  • 25 ABRIL 2019
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 16º

Edição

Moeda angolana volta a bater mínimos históricos face a euro e dólar

A moeda angolana abriu hoje em mínimos históricos face à europeia e à norte-americana, ao transacionar-se a 363,074 kwanzas/euro e 321,049 kwanzas/dólar, indicam hoje dados do Banco Nacional de Angola (BNA).

Moeda angolana volta a bater mínimos históricos face a euro e dólar
Notícias ao Minuto

09:15 - 16/04/19 por Lusa

Economia BNA

Segundo o banco central angolano, a moeda oficial de Angola ultrapassou os 363,029 kwanzas/euro atingidos a 25 de março, bem como os 320,118 kwanzas/dólar registados a 08 deste mês.

Em relação à moeda europeia, a angolana já se depreciou 48,936% desde 09 de janeiro do ano passado, quando era transacionada a 185,4 kwanzas/euro e as autoridades de Luanda começaram a vender aos bancos comerciais as divisas em leilão.

A moeda angolana atingirá uma depreciação de 50% frente à europeia quando for transacionada a 370,800 kwanzas/euro.

Face à moeda norte-americana, e depois de, a 08 deste mês ter ultrapassado a barreira dos 320 kwanzas/dólar, voltou a passar outra, ao fixar-se nos 321,049 kwanzas/dólar, o que equivale a uma depreciação de 48,319% desde 09 de janeiro de 2018, quando se transacionava a 165,92 kwanzas/euro.

Para atingir uma depreciação de 50% face ao dólar, o kwanza terá de atingir os 331,860 kwanzas/dólar.

Em janeiro de 2018, face ao pico da crise económica que o país então vivia, as autoridades angolanas começaram a vender aos bancos comerciais as divisas em leilão, primeiro trissemanais e atualmente diárias.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório