Piqué inabalável: "O melhor é retirar-me após o Mundial"

Central falou da sua decisão de renunciar à seleção e deixou elogios a Neymar e Messi.

© DR
Desporto Espanha

Mais de uma semana após anunciar a renúncia à seleção espanhola após o Mundial de 2018, a decisão de Gerard Piqué continua a dar que falar.

PUB

No entanto, na conferência de imprensa de antevisão ao encontro com o Manchester City, para a Liga dos Campeões, o central garantiu que a sua posição se mantém “firme”, ainda que tenha sido “precipitada” pela polémica em torno da camisola cortada.

“Saí a quente por uma notícia que era falsa. Li muitas coisas. É uma decisão tomada por mim, porque creio que mereço sair quando quiser. Depois de dez anos com a seleção, creio que a melhor opção é retirar-me após o Mundial e dar espaço a novas gerações”, sublinhou, acrescentando que este era um desejo que já vinha detrás.

“Se não estás motivado para fazer algo, deixa-o. Depois do Mundial do Brasil, quis deixar. Não tinha motivação. Depois de falar com Del Bosque, mudei de decisão. Talvez tenha ganho tudo demasiado jovem. A chegada de Luis Enrique fez com que voltasse a motivar-me. Agora sinto que estou no melhor momento da minha carreira”, afirmou.

Falando do seu futuro, Piqué admite jogar durante largos anos no Barcelona, “se as pernas deixarem”, algo que, espera, suceda com o seu colega Neymar.

“Espero que se retire aqui. Chegou muito jovem e espero que esteja muitos anos connosco. Cada ano é um mundo e podem acontecer muitas coisas, a carreira de um jogador pode mudar de um dia para o outro”, afirmou, guardando, ainda, elogios para Messi.

“É o melhor do mundo e dá-nos muito. Não importa se está a 100% ou a 10%. É tão diferente, tão bom, que só a sua presença no terreno de jogo marca a diferença”, rematou.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS