Meteorologia

  • 17 OUTUBRO 2018
Tempo
13º
MIN 11º MÁX 15º

Edição

Dezenas de artistas pedem a libertação de deputado ugandês Bobi Wine

Dezenas de músicos, escritores e um futebolista assinaram uma carta aberta pela libertação e investigação dos maus-tratos ao deputado e músico ugandês Bobi Wine, detido na semana passada em Kampala.

Dezenas de artistas pedem a libertação de deputado ugandês Bobi Wine
Notícias ao Minuto

12:17 - 22/08/18 por Lusa

Cultura Apoio

Os signatários da carta divulgada na íntegra pelo portal OkayAfrica condenam a morte do condutor de Bobi Wine e o espancamento e detenção de outros três deputados da oposição.

"[As autoridades] reclamam ter encontrado duas metralhadoras, uma pistola e munições no quarto de Bobi e ele foi acusado de traição e levado perante um tribunal militar na quinta-feira. O seu rosto estava muito inchado e nem podia falar nem ver nem andar, de tão duro espancamento que recebeu. A acusação foi reduzida para posse ilegal de armas e está atualmente detido num quartel militar com acesso limitado à família e aos advogados até nova aparição no tribunal militar na quinta-feira", pode ler-se no documento.

Entre as figuras que assinam a carta encontra-se o baixista dos U2, Adam Clayton, a compositora e atriz Angélique Kidjo, o produtor e músico Brian Eno, o vocalista dos Coldplay, Chris Martin, a vocalista dos Pretenders, Chrissie Hynde, o vocalista dos Blur, Damon Albarn, o músico Femi Kuti, o futebolista do Manchester United Fred, o vice-líder do Partido Trabalhista britânico, Tom Watson, e o prémio Nobel da Literatura Wole Soyinka.

"Apelamos ao governo do Uganda para que garanta o acesso total de Bobi Wine a tratamento médico, que permita uma investigação total e imparcial da sua violenta detenção e do assassinato de Yasin Kawuma [seu motorista] e que siga os procedimentos reconhecidos internacionalmente no caso contra ele", escrevem os signatários, que prometem manter-se "vigilantes" em relação a este caso.

Os assinantes da carta realçam que vão usar as suas vozes e redes de contactos a nível local, regional e internacional para chamar a atenção para o caso.

Na segunda-feira, a polícia do Uganda disparou vários tiros e utilizou gás lacrimogéneo para dispersar uma multidão de manifestantes que, na capital, Kampala, exigiam a libertação de Bobi Wine.

A detenção e alegada tortura do deputado e músico Robert Kyagulanyi Ssentamu, também conhecido como Bobi Wine, levou ao aumento das tensões políticas no país do leste africano.

Ssentamu foi acusado na semana passada por posse ilegal de armas de fogo após ter sido detido num incidente que envolveu o apedrejamento da comitiva automóvel do presidente Yoweri Museveni.

O músico nega as acusações e diz ter sido "severamente torturado" durante a detenção.

Um outro deputado detido em conjunto com Ssentamu, Francis Zaake, foi hospitalizado com ferimentos sofridos durante o tempo em que esteve detido.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório