Meteorologia

  • 11 DEZEMBRO 2017
Tempo
12º
MIN 11º MÁX 13º

Edição

Portas elogia empresas de mobiliário portuguesas

O vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, elogiou hoje em Paris a "qualidade impressionante" das empresas portuguesas do setor mobiliário presentes numa das maiores feiras internacionais de decoração.

Portas elogia empresas de mobiliário portuguesas
Notícias ao Minuto

16:55 - 26/01/14 por Lusa

Economia Paris

O vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, elogiou hoje em Paris a "qualidade impressionante" das empresas portuguesas do setor mobiliário presentes numa das maiores feiras internacionais de decoração.

"É verdadeiramente muito impressionante e impressiona muito bem a qualidade das empresas aqui", afirmou o governante, que está hoje em Paris para visitar na feira parisiense Maison & Objet que decorre até terça-feira e onde estão presentes 79 empresas portuguesas do setor mobiliário.

Paulo Portas salientou "a qualidade do ponto de vista da apresentação" e a sofisticação que torna os portugueses "tão competitivos como outros entre os melhores neste setor".

"A utilização de materiais novos e de inovação bastante significativa e depois um crescimento em termos de 'branding' e de marketing que é impressivo, ou seja, o setor exportador português faz parte da economia mais moderna de Portugal e, dentro do setor exportador português, evidentemente o setor mobiliário", afirmou Paulo Portas à Lusa durante a visita.

O vice-primeiro-ministro sublinhou ainda a importância do mercado francês, ao afirmar que "até novembro [de 2013], as empresas portuguesas exportaram 323 milhões de euros em mobiliário só para França e têm uma quota de mercado de cerca de 30% neste país".

A Associação Portuguesa das Indústrias de Mobiliário e Afins (APIMA) indicou já este mês que as exportações portuguesas de mobiliário e colchoaria aumentaram 10% de janeiro a novembro de 2013, para mais de mil milhões de euros, no que terá sido um "ano recorde" para o setor.

Tendo por base os últimos dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), a associação referiu que as exportações de mobiliário e colchoaria para cerca de 130 mercados somaram quase 1.111 milhões de euros nos primeiros 11 meses do ano passado.

O mercado francês, com 322 milhões de euros em vendas, cresceu 7,33% face a igual período de 2013, mantendo-se com uma quota de 29% do total de exportações e como principal destino das exportações portuguesas. Ainda assim, e face a 2012, este mercado perdeu 1% em termos de quota de exportações, de acordo com a APIMA.

"Nós exportamos mais de 1100 milhões de euros em mobiliário em 2013 e isso significou um crescimento praticamente de 10% relativamente ao ano anterior", acrescentou Paulo Portas.

Uma das maiores dificuldades à exportação, salientada pelas empresas presentes no certame, tem que ver com a entrada de mercadorias normalmente em países extra europeus.

A identificação e remoção de barreiras à exportação é um "trabalho essencial" que o vice-primeiro-ministro faz em conjunto com o AICEP, com o Ministério dos Negócios Estrangeiros e com o Ministério da Economia, referiu Paulo Portas.

"Há países para onde nós poderíamos exportar mais, em que as empresas querem apostar, mas onde, às vezes, sentem alguma dificuldade em entrar", disse Paulo Portas sublinhando que "os mercados extra europeus são essenciais para o crescimento das exportações portuguesas".

O governante elogiou o trabalho das empresas exportadoras portuguesas que "são porta-estandartes de Portugal, elas anteciparam-se ao fim da crise e nesse sentido foram um Portugal moderno e competitivo"

"Num mercado extremamente competitivo, nós estamos entre os melhores dos melhores" sublinhou.

Seja sempre o primeiro a saber. Acompanhe o site eleito pela Escolha do Consumidor 2017.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório