Meteorologia

  • 16 SETEMBRO 2021
Tempo
24º
MIN 18º MÁX 28º

Edição

EUA intensificam defesas contra ataques informáticos

O general que lidera os esforços dos EUA contra os ataques informáticos provenientes do estrangeiro e para punir os autores está a preparar "barreiras" contra as incursões que debilitaram agências governamentais e empresas responsáveis por infraestruturas críticas.

EUA intensificam defesas contra ataques informáticos
Notícias ao Minuto

23:52 - 14/09/21 por Lusa

Tech EUA

Paul Nakasone, em entrevista à AP, referiu-se, de forma geral, a "um foco intenso" dos especialistas governamentais para melhorarem a obtenção e partiha de informação sobre os ataques informáticos "e imporem custos quando necessário".

Estes custos incluem a ligação pública de países adversários a ataques de envergadura e a exposição da forma como estes ataques foram realizados, disse.

"Até há seis meses, provavelmente diríamos 'Ransomware? (penetrar um sistema informático para o bloquear e exigir um resgate para o desbloquear) É atividade criminosa'", avançou Nakasone. "Mas se tiver um impacto na nação, como temos visto, então torna-se uma questão de segurança nacional. E se é uma questão de segurança nacional, então temos de nos preparar para isso".

Uma onda devastadora de ataques informáticos comprometeu registos governamentais sensíveis e provocou o encerramento de operações de empresas de energia, hospitais e escolas.

Uma campanha de ataques de espionagem da SolarWinds expôs os endereços de correio eletrónico de 80% das contas usadas pelos gabinetes dos procuradores em Nova Iorque e em vários outros departamentos do governo.

Outro ataque informático ao servidor de correio eletrónico da Microsoft afetou um universo potencial de dezenas de milhares de utilizadores.

Nakasone lidera a Agência de Segurança Nacional (NSA, na sigla em Inglês), que vigia as comunicações estrangeiras, e o Comando Cibernético, a estrutura do Pentágono para ataques nesta área. Apesar de as duas organizações trabalharem em segredo, têm integrado o esforço da Casa Branca para identificarem publicamente as pessoas e os Estados responsáveis pelos ataques.

A Casa Branca tem associado a SolarWinds aos serviços de informações russos e o ataque à Microsoft à China.

O presidente dos EUA, Joe Biden, pressionou diretamente o seu homólogo russo, Vladimir Putin, em julho, para agir contra os piratas informáticos.

Mas o subdirector da polícia federal (FBI, na sigla em Inglês), Paul Abbate, disse hoje que não há sinais de os dirigentes de Moscovo estarem a reprimir os autores dos ataques de 'ransomware'.

Abbate, Nakasone e outros membros do governo de Biden falaram hoje durante uma conferência sobre informações e segurança nacional.

Nakasone também está a supervisionar os esforços para seguir e anular os esforços estrangeiros para influenciar as eleições nos EUA.

No início do ano, Nakasone revelou que o Comando Cibernético fez mais de duas dezenas de operações para anular interferências nas eleições presidenciais de 2020.

Em julho, Biden disse que a Federação Russa já começou a disseminar informação distorcida dirigia às eleições de metade do mandato, em 2022, classificando a operação como "uma pura violação da soberania" dos EUA.

Nakasone declinou detalhar as alegações contra a Federação Russa, dizendo que os serviços de informações estavam a "gerar pistas que depois iriam partilhar em um futuro não muito distante".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Recebe truques e dicas sobre Internet, iPhone, Android, Instagram e Facebook!

O mundo tecnológico em noticias, fotos e vídeos.

Obrigado por ter ativado as notificações de Tech ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório