Meteorologia

  • 22 OUTUBRO 2021
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 23º

Edição

Netflix pode bater recorde com 85 anos nos Óscares

O elevado número de filmes lançados pela plataforma este ano, que contrasta com o impacto que a pandemia teve nos planos dos estúdios de cinema, pode permitir-lhe conseguir o maior número de nomeações na categoria de Melhor Filme na história dos Óscares.

Netflix pode bater recorde com 85 anos nos Óscares

Tal como em tantas outras indústrias, a do cinema também não escapou às consequências da pandemia. As medidas restritivas impostas por todo o globo levaram os principais estúdios a optarem por adiar as estreias de filmes que estavam agendadas para este ano. Um problema com o qual as plataformas de streaming não se tiveram de deparar. Na realidade, para estas, o confinamento e o teletrabalho até se revelaram vantajosos.

Destaque para a Netflix, que ao longo de 2020 estreou uma quantidade significativa dos seus filmes, o que pode levar a plataforma a bater um recorde com 85 anos nos Óscares, segundo a Variety. A Netflix está bem posicionada para arrecadar o maior número de nomeações de sempre na categoria de Melhor Filme.

Esse recorde pertence ao Metro-Goldwyn-Mayer (MGM), que conseguiu ter cinco dos dez nomeados para Melhor Filme na nona edição dos Óscares, em 1937. Ganharam o Óscar com ‘The Great Ziegfeld’, que competiu com estes quatro filmes do MGM: ‘Libeled Lady’, ‘Romeo and Juliet’, ‘San Francisco’ e ‘A Tale of Two Cities’.

Nessa altura, o MGM era considerado o maior estúdio de Hollywood, casa de talentos como Shirley Temple, Clark Gable, Judy Garland ou Katharine Hepburn. Aliás, o estúdio estava tão recheado de atores de topo que chegou a gabar-se de “ter mais estrelas do que os céus”.

Nos últimos anos, a Netflix também tem investido em força para contratar estrelas para os seus filmes e não hesitou em dar o dinheiro que realizadores de renome pediram para concretizarem algumas obras cinematográficas há muito desejadas. Martin Scorsese com ‘The Irishman’ e Aaron Sorkin com ‘The Trial of the Chicago 7’ são dois bons exemplos.

Entre a fartura cinematográfica que a Netflix disponibilizou ao longo do ano, o filme de Sorkin é de resto apontado como um dos favoritos para a nomeação para Melhor Filme. Assim como ‘Mank’, de David Fincher. Outro filme da plataforma de streaming que agradou aos críticos foi ‘Ma Rainey’s Black Bottom’, de George C. Wolfe, no qual se destacam as interpretações de Viola Davis e de Chadwick Boseman (este é o último filme do ator que morreu em agosto).

Depois, há vários filmes da Netflix que podem ajudá-la a superar o recorde do MGM. ‘Da 5 Bloods’, de Spike Lee, também foi bem recebido. ‘The Prom’ é outro candidato e conta com Meryl Streep, um nome a ter em conta sempre que falamos de Óscares. ‘The Midnight Sky’ é visto como o maior projecto de George Clooney em termos de narrativa.

‘Pieces of a Woman’, ‘The Life Ahead’ com Sofia Loren ou ‘The White Tiger’ são outras possibilidades entre o leque da Netflix.

Mas talvez, ainda mais do que o recorde de nomeações para Melhor Filme, a Netflix aspire à conquista da estatueta dourada nesta categoria. Uma glória que lhe escapou em anos anteriores com ‘Roma’, de Alfonso Cuarón, e ‘The Irishman’, de Scorsese.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Recebe truques e dicas sobre Internet, iPhone, Android, Instagram e Facebook!

O mundo tecnológico em noticias, fotos e vídeos.

Obrigado por ter ativado as notificações de Tech ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório