Meteorologia

  • 17 OUTUBRO 2018
Tempo
13º
MIN 11º MÁX 15º

Edição

Zuckerberg desculpa-se no PE e diz que mudanças vão demorar "algum tempo"

O fundador da rede social Facebook, Mark Zuckerberg, desculpou-se hoje, no Parlamento Europeu, pela incapacidade demonstrada pela sua empresa para evitar que os dados pessoais dos cidadãos europeus fossem erradamente usados.

Zuckerberg desculpa-se no PE e diz que mudanças vão demorar "algum tempo"
Notícias ao Minuto

18:24 - 22/05/18 por Lusa

Tech Parlamento Europeu

"Ficou claro nos últimos anos que não fizemos o suficiente para evitar que estas ferramentas [do Facebook] fossem erradamente usadas, e isso inclui notícias falsas, ingerências em eleições de outros países, ou o uso indevido da informação pessoal dos utilizadores. Não vimos bem a amplitude das nossas responsabilidades. Cometemos um erro e lamento-o", disse na sua intervenção inicial na Conferência dos Presidentes, no Parlamento Europeu (PE), em Bruxelas.

Mark Zuckerberg, que falava diante do presidente Antoni Tajani, dos presidentes dos grupos políticos e do presidente e do relator da comissão de Liberdades Civis e Justiça do PE, assumiu que vai demorar "algum tempo" até que a rede social consiga empreender todas as mudanças necessárias para garantir a segurança dos cidadãos.

"A segurança não é um problema que possa ser totalmente resolvido. Enfrentamos adversários sofisticados, bem financiados, que estão em permanente evolução, mas estamos comprometidos em investir fortemente, e em a melhorar as nossas técnicas para garantir que nos mantemos à frente", vincou.

O fundador do Facebook admitiu ainda que, em 2016, a rede social foi "demasiado lenta" a identificar a ingerência russa nas eleições norte-americanas, que favoreceu o Presidente Donald Trump.

"Não estávamos preparados para aquela campanha de desinformação. Desde então, investimos para tornar mais difícil este tipo de ataques no Facebook. Já o fizemos nas eleições francesas e nas alemãs. Estamos a trabalhar com os governos para partilhar informações de ameaças em tempo real. Estamos a usar novas tecnologias para remover contas falsas responsáveis pela publicação de notícias falsas", enumerou.

Zuckerberg elencou as medidas que a rede social tem em marcha para afiançar que um caso como o da Cambrige Analytica não se voltará a repetir, dando como exemplo a duplicação do número de pessoas que trabalha na área de segurança da gigante norte-americana, o bloqueio de aplicações inativas durante três meses, ou a ferramenta que permite aos utilizadores remover autorizações de aplicações que não querem continuar a usar.

"Estamos a investigar cada uma das aplicações que teve acesso a um grande número de dados de pessoas antes de mudarmos a nossa política de segurança em 2014", acrescentou, indicando que o Facebook já suspendeu cerca de duas centenas.

O PE manifestou interesse em conhecer o alcance do uso abusivo de dados pessoais de utilizadores do Facebook, nomeadamente pela empresa Cambrige Analytica, para interferir em campanha políticas, designadamente a do referendo sobre o 'Brexit'.

Em 07 de abril, a Comissão Europeia anunciou que o Facebook admitiu que os dados de "até 2,7 milhões" de utilizadores daquela rede social a residir na União Europeia possam ter sido transmitidos de "maneira inapropriada" à empresa britânica Cambridge Analytica.

Três dias antes, o fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, tinha admitido que a consultora Cambridge usou os dados de mais de 87 milhões de perfis, a maioria nos Estados Unidos, sem a autorização dos visados.

De acordo com uma fonte oficial da rede social norte-americana, a consultora pode ter acedido a dados de cerca de 63.080 utilizadores do Facebook em Portugal.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Recebe truques e dicas sobre Internet, iPhone, Android, Instagram e Facebook!

O mundo tecnológico em noticias, fotos e vídeos.

Obrigado por ter ativado as notificações de Tech ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório