Meteorologia

  • 17 JULHO 2018
Tempo
19º
MIN 18º MÁX 21º

Edição

Deputada devolveu verbas recebidas a dobrar. "Uma questão de consciência"

A deputada do PSD eleita pelo circulo da Madeira refere que agiu de acordo com aquilo que entendeu "ser a lei", mas reconheceu que tal (prática) possa ser eticamente questionável

Deputada devolveu verbas recebidas a dobrar. "Uma questão de consciência"
Notícias ao Minuto

14:00 - 17/04/18 por Tiago Miguel Simões

Política Sara Madruga Costa

Depois de no fim de semana o semanário Expresso ter publicado um artigo que denunciava a existência da duplicação de abonos para viagens dos deputados das Regiões Autónomas, Paulino Ascenção, deputado do Bloco, eleito pela Madeira, fez saber esta segunda-feira que renunciava ao mandato, pedindo desculpa por uma prática que assumiu ser incorreta.

Agora, foi a vez de Sara Madruga Costa, deputada do PSD, também ela eleita pela Madeira, se pronunciar sobre o caso.

"Não tive a prática regular de receber o subsídio de mobilidade de todas as viagens que realizei, nem pouco mais ao menos até porque sempre tive dúvidas sobre o seu acerto. No entanto, agi de acordo com aquilo que entendi ser a lei, embora reconheça, com toda a humildade que tal possa ser eticamente questionável", começou por esclarecer em comunicado a que o Notícias ao Minuto teve acesso a deputada que, ao contrário do seu 'colega' de Esquerda, não abdicou do seu assento parlamentar.

Sara Madruga Costa faz saber que apoia "incondicionalmente" o pedido de parecer solicitado pelo PSD à sub-comissão de ética do Parlamento e, antes que se saiba o resultado do mesmo, a deputada indica que fez questão de devolver as verbas recebidas, segundo a mesma, devido a "uma questão de consciência".

"A Assembleia da República paga a todos os deputados um apoio que é calculado em função da distância do local de residência de cada um. Este montante, é pago a todos os deputados não residentes em Lisboa, mesmo se não fizerem as viagens e independentemente do meio utilizado para a sua deslocação", faz sobressair, concretizando depois com o exemplo dos habitantes das regiões autónomas.

"Aos deputados residentes na Madeira e nos Açores é atribuído o montante de 500 euros, os únicos que têm obrigatoriamente de se deslocar de avião".

A social-democrata passa, depois, para o seu caso em particular, afirmando que viaja "todas as semanas à Madeira", onde reside, tem marido e família e onde também desenvolve parte da sua atividade política.

Em jeito de conclusão, Sara Madruga Costa diz considerar "que esta é uma excelente oportunidade para [se] rever este sistema", mostrando-se disponível para o debate.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.