Meteorologia

  • 18 DEZEMBRO 2017
Tempo
14º
MIN 13º MÁX 15º

Edição

PEV apoia candidatura da calçada portuguesa a Património da Humanidade

O Partido Ecologista Os Verdes (PEV) apresentou no Parlamento um projeto de resolução pelo apoio à candidatura da calçada portuguesa a Património Cultural Imaterial da Humanidade, "um património de todos os portugueses que importa preservar e valorizar".

PEV apoia candidatura da calçada portuguesa a Património da Humanidade
Notícias ao Minuto

17:12 - 07/12/17 por Lusa

Política Parlamento

O projeto de resolução do PEV, divulgado no 'site' da Assembleia da República, é "pela valorização da calçada portuguesa, o apoio à candidatura a Património Cultural Imaterial da Humanidade e a valorização da profissão de calceteiro".

Recordando que a candidatura a Património Cultural Imaterial da Humanidade da UNESCO "está neste momento a ser preparada pela Associação Calçada Portuguesa", defende que esta "deverá mover todos, pois é um património de todos os portugueses que importa preservar e valorizar".

A Associação Calçada Portuguesa, entidade sem fins lucrativos, integra a Câmara Municipal de Lisboa, a Associação Portuguesa dos Industriais de Mármores, Granitos e Ramos Afins (ASSIMAGRA), a União das Cidades Capitais Luso-Afro-Américo-Asiáticas (UCCLA), a Universidade de Lisboa e o Grupo Português da Associação Internacional para a Proteção da Propriedade Intelectual (AIPPI).

Com o projeto de resolução, o PEV pretende que a Assembleia da República recomende ao Governo "que desenvolva as diligências necessárias com vista à valorização e defesa da calçada portuguesa, uma expressão artística tradicional e distintiva de Portugal, à valorização e dignificação da profissão de calceteiro, genuinamente portuguesa e intimamente ligada ao património cultural do nosso país e ao apoio à candidatura da calçada portuguesa a Património Cultural Imaterial da Humanidade da UNESCO".

A Câmara de Lisboa aprovou, há um ano, por unanimidade, o arranque do processo de candidatura da calçada portuguesa a Património Cultural Imaterial da Humanidade.

Na altura, a autarquia esclareceu que a candidatura não poderia ser apresentada antes de 2018, já que Portugal faz parte do Comité do Património da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) até esse ano.

Aquando da aprovação, a autarquia decidiu também recolocar a escultura criada para homenagear os calceteiros, inicialmente situada na rua da Vitória, em frente à Igreja de São Nicolau, na Baixa Pombalina, e que foi retirada após vandalismo.

A peça, do escultor Sérgio Stichini, criada em 2006, está desde outubro na Praça dos Restauradores.

Portugal tem sete distinções de Património Imaterial da Humanidade, a primeira obtida em 2011 com o Fado, ficando reconhecida a importância deste género musical como parte da identidade cultural do país.

Em 2013 foi classificada a dieta mediterrânica, em 2014, o cante alentejano, canto coletivo, sem recurso a instrumentos e que incorpora música e poesia, em 2015, o fabrico de chocalhos, ofício e manifestação cultural que tem no Alentejo a sua maior expressão a nível nacional, em 2016, o processo de fabrico do barro preto de Bisalhães, em Vila Real, e a falcoaria portuguesa. Hoje, foi classificada a produção de "Bonecos de Estremoz".

Seja sempre o primeiro a saber. Acompanhe o site eleito pela Escolha do Consumidor 2017.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório