Meteorologia

  • 24 OUTUBRO 2017
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 16º

Edição

"O BE não ataca o PCP. Temos outros adversários e as pessoas sabem disso"

A coordenadora do BE, Catarina Martins, disse hoje não perceber o porquê de o secretário-geral comunista ter tomado as dores dos "autarcas que se calaram perante as maldades da troika", rejeitando atacar o PCP, com quem tem caminhos convergentes.

"O BE não ataca o PCP. Temos outros adversários e as pessoas sabem disso"
Notícias ao Minuto

23:23 - 19/09/17 por Lusa

Política Catarina Martins

O líder do PCP, Jerónimo de Sousa, iniciou hoje a campanha eleitoral da CDU em defesa dos autarcas e do trabalho desenvolvido localmente, acusando Catarina Martins de ignorância quando disse, na segunda-feira, estar "absolutamente chocada" com o "silêncio cúmplice" da generalidade das autarquias enquanto eram destruídos os serviços públicos

"Eu critiquei autarcas que se calaram perante as maldades da troika. Jerónimo de Sousa tomou-lhe as dores, não percebo bem porquê e decidiu atacar o Bloco de Esquerda. Nós temos outros adversários e temos também caminhos convergentes para fazer juntos", respondeu Catarina Martins aos jornalistas, no final do comício de hoje à noite da campanha autárquica em Gondomar, no distrito do Porto.

A líder bloquista foi perentória: "O BE não ataca o PCP. Temos outros adversários e as pessoas sabem disso".

Sem esconder as "divergências que são conhecidas", Catarina Martins prefere focar-se na necessidade de um "trabalho convergente sobre aquilo que é essencial".

"Acabar com a precariedade nas autarquias, lutar por melhores serviços públicos nas autarquias. Amanhã, espero eu, vamos estar juntos a votar o projeto de lei que pode parar os despedimentos que a Altice quer fazer na PT e é isso que nós valorizamos", elencou.

Na segunda-feira, num comício na Marinha Grande, a coordenadora do BE mostrou-se "absolutamente chocada" com o "silêncio cúmplice" da generalidade das autarquias enquanto eram destruídos os serviços públicos, garantindo que os bloquistas concorrem às eleições locais também para mudar esta realidade.

"Aos que, por ignorância ou verbalismo, atiram pedras para o ar, podemos assegurar que os eleitos da CDU nunca faltaram, em maioria ou minoria, à defesa dos interesses dos trabalhadores e das populações", respondeu já hoje Jerónimo de Sousa, num almoço-comício numa quinta dos arredores de Tomar, Santarém.

O secretário-geral do PCP acrescentou ainda: "eles têm um pouco a síndrome da raposa, que vê um cacho de uvas, salta três vezes e não as apanha. Então, vira-se de costas, de forma desdenhosa, e diz: estão verdes, não prestam'. É a mesma conceção que têm em relação às autarquias".

Seja sempre o primeiro a saber. Acompanhe o site eleito pela Escolha do Consumidor 2017.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório