Meteorologia

  • 02 MARçO 2021
Tempo
11º
MIN 8º MÁX 18º

Edição

Bloco defende proteção jurídica específica para animais sencientes

A porta-voz do Bloco de Esquerda (BE), Catarina Martins, defendeu hoje que os animais sencientes devem ter proteção jurídica específica, e que os seus proprietários têm como dever assegurar o seu bem-estar.

Bloco defende proteção jurídica específica para animais sencientes

"Pretendemos que os animais sencientes, ou seja, os animais que têm consciência do que se passa à sua volta e que têm consciência de si, tenham uma proteção jurídica específica. Isto significa que há deveres dos seus proprietários para com os animais, relacionados com o seu bem-estar", defendeu.

No final de uma visita à Escola de Cães Guia de Mortágua, da Associação Beira Aguieira de Apoio ao Deficiente Visual (ABAADV), Catarina Martins sublinhou que o estatuto jurídico dos animais deve ser rapidamente corrigido, deixando os animais de ser vistos como coisas.

"Podemos nós viver com este absurdo do Código Civil em Portugal, de considerar os animais sencientes como coisas? Temos agora a possibilidade de alterar esse estatuto na Assembleia da República e o Bloco de Esquerda quer que essa seja uma alteração com significado", justificou.

Aos jornalistas, a dirigente bloquista defendeu que a alteração tem de ser maior do que uma simples alteração de cosmética, apontando a necessidade de um novo conceito: o do animal senciente.

"Precisamos de uma alteração a sério, que respeite o bem-estar dos animais e que dê obrigações a quem deve ter obrigações, ou seja, os donos dos animais", acrescentou.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório