Meteorologia

  • 21 FEVEREIRO 2020
Tempo
12º
MIN 11º MÁX 21º

Edição

PS acusa Governo de 'teimar' em "agenda secreta"

O PS acusou hoje o Governo de ´teimar' numa "agenda secreta", exigindo que revele os cortes decididos segunda-feira em Conselho de Ministros e que já foram transmitidos aos parceiros europeus.

PS acusa Governo de 'teimar' em "agenda secreta"
Notícias ao Minuto

13:22 - 01/04/14 por Lusa

Política Galamba

"O Governo deve dizer de imediato o que ficou decidido no Conselho de Ministros de ontem [segunda-feira], o Governo tem obrigação de dizer aos portugueses o que a ministra das Finanças foi dizer aos parceiros europeus, porque é a vida dos portugueses que está em causa.O Governo tem de anunciar de uma vez por todas quais são os cortes prometidos como provisórios que quer tornar definitivos", afirmou o secretário nacional do PS, António Galamba, numa conferência de imprensa na sede do partido.

Recordando que o Conselho de Ministros esteve reunido durante cinco horas na segunda-feira para discutir "os novos cortes" a aplicar, António Galamba lamentou que "do resultado da reunião nada se saiba em Portugal".

Contudo, acrescentou, agora percebe-se que a reunião do Governo tinha como objetivo permitir que a titular da pasta das Finanças fosse hoje a Atenas, onde decorreu uma reunião dos ministros das Finanças da zona euro, "com o resultado da discussão sobre o Documento de Orientação Estratégica e as linhas de orientação para aplicar mais cortes aos portugueses".

"O Governo decidiu, escondeu dos portugueses, mas os ministros do Eurogrupo já sabem o que foi decidido. O Governo teima nesta agenda secreta em que esconde dos portugueses os cortes que aí vêm", sublinhou.

Insistindo que os portugueses "merecem respeito", António Galamba disse não ser admissível que por "qualquer cálculo político ou eleitoral" o executivo de maioria PSD/CDS-PP mantenha escondida a sua "agenda de cortes".

"Os portugueses não podem ser uma mera variável de ajustamento do programa", vincou, acusando o Governo de atuar exclusivamente com os olhos postos nos credores internacionais, ignorando os números do desemprego e da pobreza.

A propósito dos números do desemprego hoje divulgados pelo Eurostat, que apontam para a manutenção em fevereiro da taxa de desemprego nos 15,3%, pelo terceiro mês consecutivo, o secretário nacional do PS ressalvou que "há dimensões" que continuam a aumentar e são motivo de preocupação dos socialistas.

Além disso, acrescentou, os número agora conhecidos "sublinham mais uma vez que as opções políticas que têm sido conduzidas pelo Governo em Portugal, mas também na União Europeia, não tem sido a linha que deveria ser".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório