Meteorologia

  • 24 JANEIRO 2021
Tempo
13º
MIN 12º MÁX 17º

Edição

Estado deve "honrar compromissos" com Novo Banco e com portugueses

 O presidente do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos, afirmou hoje que o Estado deve "honrar os seus compromissos" no contrato com o Novo Banco e que o primeiro-ministro "deve honrar" o contrato de confiança que fez com os portugueses.

Estado deve "honrar compromissos" com Novo Banco e com portugueses
Notícias ao Minuto

14:59 - 27/11/20 por Lusa

Política CDS

"O CDS é da opinião que o Estado português deve honrar os seus compromissos, mas também é da opinião que o primeiro-ministro, António Costa, deve honrar o contrato de confiança que fez com os portugueses", salientou Francisco Rodrigues dos Santos.

Em declarações aos jornalistas, à margem de uma visita ao Centro Hospitalar Tâmega e Sousa, o presidente do CDS-PP defendeu que os portugueses "já deram 11 mil milhões de euros para o Novo Banco" e é necessário "transparência, seriedade e rigor na atribuição de dinheiros públicos".

"Dinheiros públicos que tem faltado a muitos setores que estão à beira da pobreza com verdadeiros dramas humanos, sem esperança e absolutamente resignados", reforçou.

Francisco Rodrigues dos Santos afirmou também que o Estado tem "todas as condições para cumprir o contrato que fez com o Novo Banco".

"Terá de seguir um processo mais transparente, mais escrutinado pela Assembleia da República e o primeiro-ministro tem de explicar porque é que aquele valor vai ser transferido para o Novo Banco, demonstrá-lo através da sua auditoria e que também fique claro que o Novo Banco está a cumprir as suas obrigações contratuais", referiu.

O plenário do parlamento confirmou na quinta-feira a votação na especialidade da proposta orçamental do BE que anula a transferência de 476 milhões de euros do Fundo de Resolução para o Novo Banco.

Numa votação confusa e que teve de ser repetida, depois de avocada e debatida no plenário, PSD, PCP, PEV, Chega e a deputada não inscrita Joacine Katar Moreira juntaram os seus votos ao BE para viabilizar esta alteração, apesar dos votos contra de PS, Iniciativa Liberal e da deputada não inscrita Cristina Rodrigues e a abstenção do CDS-PP e do PAN.

A surpresa do último dia das votações na especialidade do Orçamento do Estado para 2021 (OE2021) aconteceu já na reta final de quarta-feira, quando a proposta do BE - a única dos bloquistas que acabou por ser aprovada - que anula a transferência de 476 milhões de euros do Fundo da Resolução destinada ao Novo Banco teve luz verde, com votos favoráveis do PSD, BE, PCP e PAN, a abstenção do CDS-PP e os votos contra do PS, Iniciativa Liberal e Chega.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório