Meteorologia

  • 21 FEVEREIRO 2020
Tempo
12º
MIN 11º MÁX 21º

Edição

"Não podemos repetir os erros do passado", diz Lobo d'Ávila

O candidato à liderança do CDS-PP Filipe Lobo d`Ávila manifestou-se hoje confiante, à chegada ao 28.º congresso do partido, advertindo que quem vai escolher o presidente são os congressistas e quem quiser "fazer contas muito certas" pode enganar-se.

"Não podemos repetir os erros do passado", diz Lobo d'Ávila
Notícias ao Minuto

11:39 - 25/01/20 por Lusa

Política Congresso CDS

"Quem escolhe o presidente são os congressistas, (...) quem quiser fazer contas muito certas pode estar enganado", disse Lobo d`Ávila, manifestando-se "muito confiante", à chegada ao Parque de Exposições de Aveiro, onde se realiza o 28.º Congresso do partido.

Admitindo que "há vários cenários em cima da mesa" quanto à próxima liderança do CDS-PP e quanto ao futuro do partido, Lobo d`Ávila apelou para que os trabalhos decorram num tom "construtivo e positivo".

"O grande desafio é recuperar a credibilidade do partido", disse, defendendo que "é importante dar um sinal de maturidade".

Instado a identificar qual dos adversários considera mais "forte", Lobo d`Ávila respondeu que espera "contar com eles no domingo quando for eleito presidente".

"O CDS está a fazer esse diagnóstico, tem de continuar a fazer esse diagnóstico. Não podemos repetir os erros do passado", disse.

Cinco candidatos disputam hoje a liderança do CDS-PP: Abel Matos Santos, da Tendência Esperança em Movimento (TEM), o deputado e porta-voz João Almeida, o antigo parlamentar Filipe Lobo d´Ávila, do grupo "Juntos pelo Futuro", o ex-presidente da concelhia de Viana do Castelo, Carlos Meira, e o líder da Juventude Popular (JP), Francisco Rodrigues dos Santos.

O programa do Congresso, no qual são esperados cerca de 1400 delegados, começa hoje com o discurso de despedida de Assunção Cristas, a ex-ministra da Agricultura que sucedeu a Paulo Portas como presidente, em 2016, e que anunciou a sua saída na noite das legislativas de outubro de 2019, quando o CDS perdeu 13 deputados, e ficou reduzido a cinco, com 4,2% dos votos.

Um dos momentos decisivos do Congresso é a votação das moções dado que é uma espécie de primeira volta para escolher o líder. E quem vencer, por norma, apresenta uma lista candidata à comissão política nacional e demais órgãos do partido.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório