Meteorologia

  • 18 SETEMBRO 2019
Tempo
22º
MIN 16º MÁX 27º

Edição

CDU defende um novo rumo para a autonomia da Madeira

Um novo rumo para a autonomia da Madeira e que a mudança política "não seja mais do mesmo" foi hoje defendido pelo cabeça de lista da CDU (PCP/PEV) às eleições regionais de 22 de setembro.

CDU defende um novo rumo para a autonomia da Madeira
Notícias ao Minuto

18:50 - 13/09/19 por Lusa

Política Madeira

Numa iniciativa de campanha eleitoral realizada na zona histórica do Funchal, na parte leste da ilha, Edgar Silva declarou que os comunistas "não são indiferentes sobre uma alegada mudança" que tem sido invocada na região.

Contudo, argumentou que "de pouco serve uma mudança que seja mais do mesmo e não traga vantagem ou ganho algum".

"Estamos numa altura crucial onde importa dizer que um novo rumo é possível para a autonomia", afirmou o candidato.

Edgar Silva salientou que a coligação defende ser "possível uma autonomia ao serviço do povo e dos trabalhadores", acrescentando que é "indispensável" para a sua concretização "ter um novo projeto político, ter um conjunto de conteúdos que permitam essa viragem, esse novo rumo".

"É nesse sentido que queremos intensificar a nossa intervenção, o que importa é tudo fazer para que um novo rumo aconteça e não tenhamos mais do mesmo na Região Autónoma da Madeira", sustentou o candidato.

Edgar Silva realçou que algumas vezes as mudanças até "implicam retrocessos e regressões".

O líder comunista insular exemplificou com o que considera ser o caso do "PS que fez aprovar alterações ao Código de Trabalho, mudanças que implicaram regressões sociais e civilizacionais".

"Foram alterações que, por iniciativa do PS, com o apoio do PSD e CDS, aumentaram a precariedade e a exploração de quem trabalho", apontou, vincando que "mudar por mudar, por si só, não é um ganho".

Também referiu que na Câmara do Funchal "saiu o PSD e entrou o PS", mas registou-se um acréscimo de 20% no número de famílias em lista de espera para uma habitação social.

As eleições regionais legislativas da Madeira decorrem em 22 de setembro, com 16 partidos e uma coligação a disputar os 47 lugares no parlamento regional.

PDR, CHEGA, PNR, BE, PS, PAN, Aliança, Partido da Terra-MPT, PCTP/MRPP, PPD/PSD, Iniciativa Liberal, PTP, PURP, CDS-PP, CDU (PCP/PEV), JPP e RIR são as 17 candidaturas validadas para estas eleições, com um círculo único.

Nas regionais de 2015, os sociais-democratas seguraram a maioria absoluta -- com que sempre governaram a Madeira - por um deputado, com 24 dos 47 parlamentares.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório