Meteorologia

  • 21 NOVEMBRO 2018
Tempo
14º
MIN 12º MÁX 15º

Edição

Partidos reagendam reações depois de longa espera no Parlamento

Todos os grupos parlamentares adiaram, pelo segundo ano consecutivo, uma reação à proposta de Orçamento do Estado para hoje de manhã, depois de o documento ter dado entrada no Parlamento pelas 23h48 de segunda-feira.

Partidos reagendam reações depois de longa espera no Parlamento
Notícias ao Minuto

00:17 - 16/10/18 por Lusa

Política Orçamento

Ao contrário do ano passado, em que o Orçamento do Estado foi entregue às 23h16 mas ainda se realizou a tradicional conferência de imprensa do ministro das Finanças, desta vez Mário Centeno apenas falará no dia seguinte à entrada da proposta orçamental no parlamento.

Com a conferência de imprensa no Ministério das Finanças, em Lisboa, marcada para as 8h30, PSD, PS, PCP e PEV agendaram as primeiras reações ao documento para a Assembleia da República a partir das 10:00.

A coordenadora do BE, Catarina Martins, já tinha marcada uma visita ao mercado municipal de Torres Novas, pelas 10h00, sendo durante esta ação que comentará a proposta do Governo.

Já a líder do CDS-PP, Assunção Cristas, tem prevista uma reunião com a UGT, em Lisboa, com início às 9h00, devendo reagir ao documento nesta ocasião.

Pelos restantes partidos, falarão o vice-presidente da bancada do PSD António Leitão Amaro, o líder parlamentar e presidente do PS, Carlos César, o deputado do PCP António Filipe e a deputada do PEV Heloísa Apolónia.

Já em 2017, quando o Orçamento do Estado entrou no parlamento a 45 minutos da hora limite, os partidos adiaram as reações para o dia seguinte, um sábado, e o PSD chegou mesmo a acusar o Governo de "incapacidade" e "desrespeito pelo parlamento".

Como habitualmente, durante o dia, foram várias as versões sobre a hora a que seria entregue o Orçamento do Estado, começando nas 20h00, depois passando para as 22h00, até à entrega final a pouco mais de dez minutos do prazo limite.

Durante a tarde, PCP e BE fizeram os últimos contactos com o Governo para acertar pormenores de redação final, embora fonte do executivo assegure que estas reuniões não contribuíram para a hora tardia a que deu entrada o documento.

Cerca das 22h00, foi pública nos corredores da Assembleia da República uma breve conversa entre o secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Pedro Nuno Santos, e Jorge Cordeiro, da Comissão Política do PCP.

Todos os grupos parlamentares tinham destacado deputados para um primeiro comentário ao Orçamento do Estado, que foram desmobilizando à medida que a hora de entrega foi resvalando para perto da meia-noite.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório