Meteorologia

  • 07 DEZEMBRO 2021
Tempo
14º
MIN 13º MÁX 17º

Edição

PCP lança campanha em defesa do transporte público no Porto

O PCP/Porto lançou hoje uma campanha de esclarecimento junto da população em defesa dos transportes públicos e pelo direito à mobilidade, que considera serem "inseparáveis" da expansão do Metro do Porto e da modernização e reabilitação da ferrovia.

PCP lança campanha em defesa do transporte público no Porto
Notícias ao Minuto

15:54 - 21/06/18 por Lusa

Política Mobilidade

Em declarações à Lusa, Jaime Toga, da Comissão Política do Comité Central do PCP, afirmou que esta campanha, que termina no dia 28, em Vila Nova de Gaia, visa "contactar a população" do distrito e esclarecê-la sobre um conjunto de propostas que o partido defende para esta área, como "a revogação das portagens nas ex-SCUT" (autoestradas anteriormente sem custos para o utilizador) da Área Metropolitana do Porto e "a conversão da Sociedade de Transportes Coletivos do Porto (STCP) para operador interno".

Apesar da proposta para revogação das portagens nas ex-SCUT ter sido já revogada na Assembleia da República, disse Toga, "o PCP assume o compromisso de prosseguir com esta intenção".

"E os direitos à mobilidade e ao transporte público são inseparáveis de outras matérias" como a qualidade do serviço e os preços pagos, acrescentou o comunista, considerando que para garantir qualidade de serviço "é preciso alargar a rede do Metro do Porto".

O comunista defendeu ser necessário "pensar a longo prazo na extensão do Metro e não apenas como arma de propaganda eleitoral", afirmando que devem avançar os projetos para novas ligações a Matosinhos, a Gaia e do Hospital de São João, no Porto, ao centro da Maia, bem como devem ser concretizadas as linhas já pensadas há anos para a Trofa e para o centro de Gondomar.

No âmbito da STCP, disse, "o PCP pretende afirmar a sua proposta de conversão da empresa para operador interno", que permitirá "substituir os operadores privados no Grande Porto".

"O primeiro passo é substituir a Resende pela STCP em Matosinhos, porque o operador privado não oferece condições de qualidade, de conforto e de segurança", sublinhou.

Jaime Toga referiu também ser necessário "proceder à modernização, na sua totalidade, da linha [ferroviária] do Douro e Tâmega" e à reabertura da linha de Leixões, proposta que já foi aprovada no parlamento.

Para o PCP, não se pode "deixar de atentar que parte significativa de pessoas estão privadas destas ligações".

Considerando positivo o alargamento do Andante -- título de transporte na Área Metropolitana do Porto -- a outros operadores, o comunista salientou, contudo, que "é preciso incutir-lhe outras medidas", designadamente "aprofundar o seu caráter social" através de um reforço nos descontos a estudantes, "mas também pessoas com deficiência".

O PCP defende ainda a possibilidade de os titulares do passe Andante estacionarem gratuitamente nos parques de estacionamento públicos existentes na periferia das grandes cidades, permitindo assim "retirar viaturas dos centros".

Esta campanha, que arrancou esta manhã junto à estação de São Bento, no Porto, vai estar na sexta-feira e no sábado em oito concelhos do interior do distrito.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

;
Campo obrigatório