Meteorologia

  • 23 OUTUBRO 2018
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 16º

Edição

Discurso do 25 de Abril? "Não há dúvida nenhuma", reage Marcelo

O Presidente da República disse esta quinta-feira que no 25 de Abril fez um discurso de prevenção de "populismos, messianismos e sebastianismos", tendo em conta o quadro internacional, como bem compreendeu um jovem de 20 e poucos anos.

Discurso do 25 de Abril? "Não há dúvida nenhuma", reage Marcelo
Notícias ao Minuto

19:59 - 26/04/18 por Lusa

Política Presidente

O chefe de Estado respondeu assim às dúvidas que o primeiro-ministro expressou sobre as suas referências a "messianismos" e ao "endeusamento de políticos" na sessão solene do 25 de Abril, que levou António Costa a observar que "é muito difícil interpretar a arte moderna e nem sempre é possível interpretar os discursos modernos".

À entrada para uma conferência no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, questionado pelos jornalistas se é mais fácil interpretar os motivos manuelinos do que a arte moderna, Marcelo Rebelo de Sousa contrapôs: "Não há dúvida nenhuma. Nunca há dúvidas de interpretação de nenhum tipo de arte, no manuelino, no renascentista".

Depois, referindo-se diretamente às dúvidas expressadas pelo primeiro-ministro, o Presidente da República recorreu às palavras de um jovem que contou ter encontrado após a sessão solene de quarta-feira, quando ia nadar, e que disse ter resumido bem a sua mensagem: "Mais vale prevenir do que remediar".

"Era mais ou menos o que eu queria dizer, olhando a outras experiências à volta de Portugal, pela Europa e no mundo", afirmou.

Enquanto caminhava para a entrada do Mosteiro dos Jerónimos, o chefe de Estado ainda acrescentou: "Eu acho que basta olhar à nossa volta, na Europa, para ver o que é que há de populismos, messianismos e sebastianismos. Há muito, de Leste a Oeste".

No seu entender, este é o momento indicado para deixar este alerta, porque no próximo ano "o 25 de Abril fica a um mês de eleições, é a pior altura para prevenir, evitando ter de remediar uns anos claros mais tarde".

"Ontem [quarta-feira] decidi, como sempre que posso faço, ir nadar, e encontrei um jovem assim nos 20 e poucos anos de idade que tinha ouvido na rádio as minhas palavras" relatou.

De acordo com o Presidente, esse jovem perguntou-lhe se o que quis dizer não foi "que mais vale prevenir do que remediar" e a sua resposta foi: "Olhe, acertou".

Depois, o jovem fez "uma pergunta muito inteligente", prosseguiu, "que foi a seguinte: mas por que é que foi este ano e não no ano e que vem, se no ano que vem é que há eleições?".

"Precisamente por isso. No ano que vem o 25 de Abril fica a um mês de eleições, é a pior altura para prevenir evitando ter de remediar uns anos claros mais tarde", justificou.

Instado a esclarecer que messias é que quer prevenir, Marcelo Rebelo de Sousa, retorquiu: "Ele [o jovem] percebeu".

Na sessão solene comemorativa do 44.º aniversário do 25 de Abril, na Assembleia da República, o Presidente da República voltou a alertar para o perigo de fenómenos de "contestação inorgânica e antissistémica e de ceticismo contra os partidos".

Apelou, uma vez mais, à "capacidade de renovação do sistema político e de resposta dos sistemas sociais, de antecipação de desafios, de prevenção de erros ou omissões", mas colocou a tónica no "equilíbrio de poderes", alertando contra "messianismos de um ou de alguns, alegadamente para salvação dos outros".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório